Como e por que alguns filmes custam caro demais se não têm cenários, nem efeitos especiais, nem um número realmente consistente de atores?

Mulher-Gato é um ótimo exemplo disso!

1 Resposta

Classificação
  • Anônimo
    Há 2 meses
    Melhor resposta

    Simples, A resposta é: porque ninguém quer que custem menos. Tudo se resume a um conceito financeiro conhecido como Lei de Parkinson, que explica, entre outras coisas, que os orçamentos de filmes sempre se expandirão para “absorver plenamente o capital” disponível, quer ele resulte em um produto melhor ou mais vendável.

    Depende do filme, claro. Mas, de modo geral, qualquer empreitada cinematográfica vai custar caro. Porque envolve, necessariamente, a contratação de uma equipe e dos equipamentos que esta gente vai usar, o que, por si só, já é caro.

    Depois vem o elenco, os figurinos e maquiagem deste elenco, o aluguel das locações e/ou estúdios, a construção de uma cidade cinematográfica… Isto porque estou descrevendo um filme atual e de orçamento enxuto. Se fizermos um filme de época, tanto no passado quanto no futuro, todos os itens citados até agora vão encarecer tremendamente. Se necessitar de efeitos especiais e computação gráfica, pior.

    Sem falar de direitos autorais, na trilha sonora envolvida, no trabalho de edição e pós produção… Em resumo: são muitas pessoas, muitos cenários, muitos direitos a serem acertados. E tudo isto custa dinheiro, muito dinheiro, tudo e inflacionado principalmente em Hollywood.

    Cada filme é um produto único (mesmo as continuações) e chega a um mercado em permanente mutação. O próximo sucesso pode ser uma comédia de baixo orçamento ou uma extravagância de efeitos especiais ao custo de US$ 250 milhões. O mundo do entretenimento é cheio de surpresas.

Tem mais perguntas? Obtenha suas respostas perguntando agora.