Como os escravos vindos da África se comunicavam com os brasileiros se falavam um idioma diferente?

Como os senhores de engenho, os jagunços mandavam nos escravos, se eles não sabiam nosso idioma e nem o dos indígenas, exista alguma interprete que dava as ordens? (isso também vale para os índios que serviram como primeira mão de obra escrava no período colonial), tenho essa dúvida a muito tempo e não consigo achar a resposta

12 Respostas

Classificação
  • Há 1 mês
    Melhor resposta

    Foi assim como você imaginou.

    Os escravos não entendiam as ordens que lhes eram dadas, e as "instruções" de trabalho eram dadas na base da força e do castigo. Para complicar, desde cedo os compradores preferiam escravos de origens diferentes - para evitar fugas, rebeliões - e cada engenho podia ter uma Babel de escravos, com várias línguas sendo faladas e apenas uma como a língua de comando.

    O que acontece nesses casos (mesmo quando é uma relação pacífica), quando várias línguas precisam conviver e uma delas emerge como padrão, por estar associado a alguma hegemonia política ou econômica - como aconteceu com o grego, na época do helenismo, ou na Índia, em relação ao inglês.

    No Brasil, o que aconteceu é que os escravos foram assimilando rapidamente o português, não só como forma de subir na escala de confiança dos seus proprietários (afinal, não estamos tratando de seres incapazes de aprender) como também como meio mais fácil de se comunicar com outros escravos.

    Os escravos que aprenderam o português mais rapidamente foram chamados "ladinos" (que significa espertos), enquanto que os que demoravam foram chamados de "boçais".

    Mas, não se engane.

    A escravidão é péssima como forma de instrução. Mesmo que aprendessem o português, os escravos eram submetidos a uma rotina que tolhia totalmente a iniciativa individual, de modo que eram adestrados a fazer apenas o que lhes era ordenado.

    Isso levava a períodos de inatividade, baixa produtividade e, principalmente, a um sentimento de impotência diante dos desafios do cotidiano, influenciando muito mal a nossa formação econômica

  • Anônimo
    Há 1 mês

    tinha um tipo de servo chamado ladino que era mais valorizado pois sabia falar portugues

    Fonte(s): daome
  • Anônimo
    Há 1 mês

    Aprendia na chibata, fih..

  • Anônimo
    Há 1 mês

    Não se comunicavam Vinham para trabalhar. Claro que c/ o tempo aprendiam. Mas lhes era proibido estudar, pois isso não sabiam ler ou escrever.

  • O que você acha das respostas? Você pode entrar para votar em uma resposta.
  • Anônimo
    Há 4 semanas

    A língua do patrão era o chicote, ele entendia bem isto. 

  • Anônimo
    Há 1 mês

    🇪🇪🇪🇪🇪🇪🇪🇪🇪🇪🇪🇪🇪🇪🇪🇪🇪🇪🇪🇪🇪🇪🇪🇪🇪🇪🇪🇪🇪🇪🇪🇪🇪🇪

  • Flor
    Lv 7
    Há 1 mês

    Kkkkk kkkkkkkkkkkkkkk

  • Há 1 mês

    n se comunicavam

  • Há 1 mês

    também não sei kkkkk vou ficar de olho nas respostas

  • Há 1 mês

    Eles não falavam, quando chegavam aqui faziam voto de silêncio, que na história ficou conhecido como "O Silêncio do Inocentes". No fim, todos sabiam que eles não iam gastar seu latim com gente ignorante, os brasileiros nunca foram respeitados na história global.

    Fonte(s): LAQUES, V.V. A História do Brasil: Enfoque, pag 25, Editora Abril. 2001.
Tem mais perguntas? Obtenha suas respostas perguntando agora.