PORTUGAYS OPORTUGAL NAO PRESTA?

Portugal é frequentemente acusado de não ter contribuído significativamente para o desenvolvimento da ciência e da tecnologia européias. Mas isso é uma grande injustiça! Não é muito divulgado, mas foram os portugueses que inventaram o limpador de para-brisas dos automóveis! Os alemães apenas tiveram a ideia de... mostrar mais Portugal é frequentemente acusado de não ter contribuído significativamente para o desenvolvimento da ciência e da tecnologia européias. Mas isso é uma grande injustiça! Não é muito divulgado, mas foram os portugueses que inventaram o limpador de para-brisas dos automóveis! Os alemães apenas tiveram a ideia de colocá-los do lado de fora do vidro. Do mesmo jeito os portugueses foram injustiçados com sua invenção da cadeira ejetora. A invenção não é atribuída a eles só porque foram os americanos que tiveram a ideia de tirar a cadeira ejetora do helicóptero e pô-la no avião. Portugal fez grandes avanços na tecnologia sustentavel inventou uma maquina capaz de produzir vento gerada por energia eólica e outra capaz de gerar luz gerada por energia solar
Actualmente, Portugal está cada vez mais gago e tem-se amarianado neste domínio.
Suportado pelo "choque tecnológico de 1.000.000 de volts xocráticos", a ciência e tecnologia têm-se desenvolvido bastante nestes últimos anos, tendo feito a maior invenção de todos os tempos: o "simplex complicadex".
Uma grande inovação é um computador chamado de merdalhães. Parece ser um novo conceito na computação, apesar de já existir noutros lados. Os avanços científicos e tecnológicos levam muito tempo a chegar.
O actual governo português está a investir grande parte dos seus recursos numa nova área da ciéncia: a "bufótica", que consiste numa rede complexa de bufos que bufam e bufam e bufam gerando fenónemos de pânico. Embora pareça que tem graves efeitos secundários no ser humano, ao nível do córtex cerebral, tornando-os dementes e incapazes de reagir a qualquer tortura, os testes têm sido utilizados com êxito.
Localizado ao extremo Oeste da Europa, também conhecido como o Maior país Africano na UE. É tao pequeno que não sei se aquilo deve ser considerado um país, está mais para uma simples província espanhola. É o maior país africano que tinha o mundo todo até então conhecido, até lá o resto do mundo acendia fogueiras com dois paus quando conseguia, felizmente fomos lá explorar o que eles não tinham.
Portugal fez orgulhosamente parte do mundo e moldo-o, até o Brasil que é tão grande que fala português, arcaico mas é português.
O país não tem florestas. Apenas quintais para no Verão serem feitos uns churrascos que acabam por queimar tudo à volta.
As praias são muitas, mas estão a ser consumidas por turistas que roubam a areia para com ela fabricar as suas casas.
Na fronteira com o país vizinho, o terreno é montanhoso. Isso dificulta a invasão estrangeira. Na verdade, nem mesmo os tugas se interessam pelo que têm e não têm.
Isso de política é coisa estranha para o português. Quando vota não sabe em quem está a votar e quando sabe não sabe por que está a votar. O actual PM é um tal de Trocaste que gosta muito de aparecer na televisão, dizendo que Portugal é o melhor país da Europa e que toda a Europa inveja Portugal.
O regime político varia entre a república e a república das bananas com toques de democracia em ambos. Claro que é tudo para inglês ver. A democracia é algo que muitos desejam mas só existe em sonho. A prova disso é que volta e meia são sempre os mesmos no poder, mudando apenas o nome do partido para formar governo. Este pode ser minoritário desgovernável dizem, mas é mentira) e o maioritário (maioria das vezes). Quando em minoria forma-se uma república. Logo alguns se esforçam por criar instabilidade quando esta não existe e tudo vai pelo melhor. Todos se entendem às mil maravilhas, ou nem por isso.
A república das bananas surge com a maioria. Neste estado todos reclamam mas nada levam. Surgem os tumultos, crises sociais e assobios aos desgovernantes. Este é o verdadeiro estado desgovernável.
Para a política vão todos aqueles que nada sabem ou fazem, a não ser roubar pela calada. Para melhor disfarçar, a maioria passa pelo direito (advogados) para legalmente, pois são eles que fazem as leis, roubarem. O Parlamento Português, que se chama Assembleia da República, constitui-se como um órgão legislativo unicameral. O deputado português, assim que é eleito, passa a sofrer de uma espécie de síndrome do esquecimento, pois some, em sua cabeça, a ideia de democracia. Exemplo disso é a questão do aborto. Fizeram um tal de plebiscito, onde a população votou contra a liberalização da prática. Um tempinho depois, os senhores deputados, calmamente, desfizeram a decisão popular e o aborto passou a ser permitido na República Portuguesa.
4 respostas 4