Por que eu, ou um cidadão qualquer, não têm O DIREITO DE SABER que 50% do valor pago num sabão em pó é imposto?

Eu defendo a aprovação de projeto de lei que prevê a discriminação do valor da carga tributária de cada produto na nota fiscal. Por que preferem essa taxação "silenciosa", diferente do que acontece em outros países, como Canadá? Só neste ano, cada cidadão já pagou, em média, mais de R$ 1,5 mil só em... mostrar mais Eu defendo a aprovação de projeto de lei que prevê a discriminação do valor da carga tributária de cada produto na nota fiscal. Por que preferem essa taxação "silenciosa", diferente do que acontece em outros países, como Canadá? Só neste ano, cada cidadão já pagou, em média, mais de R$ 1,5 mil só em tributos. Infelizmente, nós contribuintes não vemos esse dinheiro ser aplicado como deveria. Ou seja, não sabemos COMO ele é arrecadado (escondem de nós o percetual embutido nos bens de consumo) e nem NO QUE é gasto. Não sabemos nada. Aqui, muita gente ainda pensa, principalmente nas camadas de menor instrução, que os altos preços são produto da ganância dos empresários. Se houvesse algo semelhante no Brasil, o consumidor saberia que paga impostos até sobre os itens básicos da alimentação. No arroz e no feijão, são uns 17%; na carne bovina, 20%; no café, 25; e na manteiga, 36%.

A discriminação do valor pago em impostos pelo consumidor está prevista no Artigo 150 da Constituição. Até hoje, 22 anos depois da aprovação da Nova Carta em 1988, esse dispositivo não foi regulamentado. Um projeto de lei com esse objetivo, referendado por um abaixo-assinado com 1,5 milhão de assinaturas, até já foi entregue ao Congresso Nacional pela ACSP em 2006. Aprovado pelo Senado, estava pronto para ser votado pela Câmara. Empacou, de novo.

Que engraçado né?
15 respostas 15