Especialista vê manipulação em imagens de agressão a Serra exibidas pelo JN. Serra virou piada de vez?

São Paulo - O especialista em videografismo José Antônio Meira afirma, nesta sexta-feira (22), que houve manipulação nas imagens divulgadas na edição de quinta-feira (21) do Jornal Nacional, da TV Globo. A reportagem tratou sobre um segundo objeto que teria atingido a cabeça do candidato à Presidência da República,... mostrar mais São Paulo - O especialista em videografismo José Antônio Meira afirma, nesta sexta-feira (22), que houve manipulação nas imagens divulgadas na edição de quinta-feira (21) do Jornal Nacional, da TV Globo. A reportagem tratou sobre um segundo objeto que teria atingido a cabeça do candidato à Presidência da República, José Serra (PSDB), durante confronto entre cabos eleitorais do PSDB e do PT, na zona oeste do Rio de Janeiro.

A emissora sustentava que, depois da bolinha de papel, um rolo de fita adesiva teria atingido a cabeça do candidato, fazendo com que ele sentisse tontura e fosse hospitalizado. Após ter feito uma sequência quadro-a-quadro, em seu próprio computador, Meira não encontrou qualquer vestígio de fita crepe nas imagens. Inicialmente, a análise do coordenador do curso de relações públicas multimídia da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) foi publicada no portal Nova-E.

"Foi golpe baixo em época de eleição", resume, em entrevista por telefone à Rede Brasil Atual. "O que aparece é um artifact, um efeito, que mais pode ser chamado de defeito, resultante de muita compressão de um vídeo digital. Era apenas a cabeça de uma pessoa ao lado do Serra. Se fosse um objeto em movimento, teria aparecido em outros planos sequenciais, chegando, voando, caindo. Não tem nada disso", detalha o especialista..

O vídeo, em qualidade ruim, foi feito por um repórter do jornal Folha de S. Paulo. A verificação quadro-a-quadro pode ser feita por qualquer pessoa, segundo o especialista. Para isso, é necessário ter um programa específico de edição de imagens instalado em um computador, além de placa de vídeo compatível com a tarefa. Por isso, Meira qualifica como "prepotência" a decisão da TV Globo de mostrar imagens com o que ele considera ser uma falsa versão – já que ela poderia ser desmascarada facilmente.

"Na minha opinião, foi manipulação de imagens, o que sempre houve na TV Globo", acusa. "A diferença é que, agora, temos o recurso das redes de relacionamento na internet. A informação está em todo lugar, publicada por qualquer pessoa. Assim, a polêmica ganha uma proporção bem maior. Não dá mais pra se dar ao luxo de manipular na grande mídia e achar que vai ficar por isso mesmo. Estão jogando fora a credibilidade em função do partidarismo”, afirma Meira.

Em nota, a Central Globo de Comunicação atribui a responsabilidade pelo material e pela análise aos autores das imagens e ao perito consultado, Ricardo Molina. Segundo a emissora, as imagens exibidas foram colhidas do SBT e a da Folha.com, "enviadas sem edição ao perito Ricardo Molina".

"A TV Globo se baseou também no relato de sua repórter e de outras testemunhas que relataram ter visto o candidato José Serra ser atingido por um objeto semelhante a um rolo de fita adesiva", prossegue a nota. A emissora afirma que um laudo técnico, "com informações mais detalhadas" está em produção por Molina, "que, também, pode ser procurado para responder as perguntas a nós dirigidas", completa o texto.
6 respostas 6