Thata perguntou em Família e RelacionamentosDivórcio · Há 1 década

Me ajudem estou cheias de dúvidas!?

Meu namorado foi casado,ficou casado por 2 à 3 anos,dai ele se separou e a ex entrou com processo de separação...

Hoje ele tem a averbação da separação( acho que é isso mesmo) ...Essa averbação tem 3 anos e ele quer se divorciar da ex,Fomos no fórum para os advogados do estado nos auxiliar.Pórem está muito demorado,a ex não quer assinar então entramos com a conversão da separação em divórcio litigioso...

Ele teve 1 filha com essa ex ela tem 7 anos e ele paga 30 % do salário minimo para essa filha e hj estou grávida de 9 meses e quero saber tbm se ele pode entrar com recurso para reduzir ou dividir essa porcentagem entre as duas ...(LEMBRANDO QUE ELE TEM REGISTRADO SUA RENDA MENSAL NA CARTEIRA APENAS 535,00)...

Como que eu faço para agilizar?Me ajudem por favor....

A ex ainda pode pedir pensão para ela mesmo na averbação ela concordando que não precisava de pensão?

Muito grata a quem responder essas perguntas...

6 Respostas

Classificação
  • Há 1 década
    Resposta favorita

    Vamos com calma!

    Separação é uma coisa, divórcio é outra!

    Separação judicial é quando o casal quer se separar mas não há separação de corpos por mais de um ano. Essa separação pode ser consensual (amigável) ou litigiosa (quando uma das partes não aceita algo - a separação, pensão, divisão de bens...)

    Divórcio pode ser requerido quando o casal está há mais de um ano separado de fato (sepração de corpos) ou quando já se passou um ano do término da sepração judicial.

    Em ambos os casos não existe a "ficção" de não assinar. Ou seja, se uma das partes não quer manter o casamento, o juiz (ou juiza) irá determinar a sepração, pois ninguém pode ser obrigado a ser casado.

    Em seu caso, se seu namorado já averbou a sepração no CArtório de Registro Civil (que é a averbação da sepração), possivelmente ele já esteja separado judicialmente. Se essa separação já pasosu mais de um ano (vc falou em 3), o divórcio pode ser pedido. Todavia, quando há separação judicial anterior ao divórcio, não se pode mais discutir valor de pensão, divisão de bens, ou qualque routra coisa. A única coisa que se pode discutir é se passou ou não mais de um ano da separação judicial.

    Portanto, pelo que vi é uma simples conversão de separação em divórcio. Normalmente esse trâmite leva cerca de 6 meses (mas no Brasil tudo é meio complicado e burocrático). Peça ao advogado o número do processo e consulte no site do tribunal de justiça (www.tj(estado que tramita o processo).gov.br).

    Ressalto que não existe a figura de "ela não quer assinar". O que pode estar acontecendo é o oficial de justiça não estar conseguindo localizá-la ou o advogado ter entrado com a ação em comarca errada.

  • Lica
    Lv 4
    Há 1 década

    a unica saída é vc colocar sua familia nas mãos de Deus e orar para que Deus ajude que vcs sejam felizes e prospero, e coloque este lindo bebezinho que vai nascer no colinho de Jesus , concerteza esta criança vai te trazer muitas alegrias.

    Escute momento de fé com Padre Marcelo Rossi , radio globo am 1100 das 09:05 as 10:00 da manhã de Segunda a Sábado.

  • ?
    Lv 5
    Há 1 década

    Thata, pense bem se fosse ao inverso e essa criança fosse sua filha como vc reagiria? E outra coisa que me deixa pasma! sabendo que o cara ganha pouco que mal dá para se sustentar ainda vão colocar outra criança no mundo para também passar necessidade? São essas coisas que deveria levar em consideração, afinal pq prejudicar uma criança que necessita de cuidados e vai ainda arrumar outra? Devia ser programado e visto isto....agora abaixar a mísera pensão que ele paga a outra filha nenhum juiz irá aceitar.....desculpe querida pela minha sinceridade mas isto realmente não tem cabimento...e se coloca no lugar da outra filha. ..beijocas grandes

  • Há 1 década

    JAMAIS ele poderá alegar ter agora uma nova familia para reduzir o que paga a outra filha.Os tribunais são unânimes em assentar que quando uma pessoa decide ter uma nova familia DEVE levar em consideração o compromisso anterior,pois se fosse assim muitos iriam sair por aí,fazendo filhos e a cada novo bacuri iriam ao tribunal repartir a pensão.

    Enquanto não for concedido o divórcio pode ser solicitado a pensão para ela MAS SOMENTE É ACEITA se houver MOTIVAÇÃO nos termos do codigo de processo civil e é muito raro haver isto.

    Não adianta ela não querer pois o divórcio sai de qualquer jeito,apenas demora mais....boa sorte.

    Fonte(s): Perito judicial
  • O que você acha das respostas? Você pode entrar para votar em uma resposta.
  • Há 1 década

    Olá!

    Olha, pra agilizar a conversão em divórcio só contratando um advogado particular mesmo.

    Com relação à pensão, seu namorado pode sim entrar com um pedido de revisão de pensão tendo em vista que terá mais um filho, para tentar diminuir o valor. Normalmente o juiz determina a redução, nos casos como o seu. Não importa se o salário é pouco, ele tem dois filhos para sustentar agora, se der a mais pra um, o sustento do outro fica comprometido.

    A ex pode pedir pensão para ele a qualquer hora, porque pedir todo mundo pode. Ocorre que se ela está apta para o trabalho, em idade de trabalhar, etc, é muito difícil o juiz conceder a pensão. Normalmente o juiz concede apenas nas situações de real necessidade, se a mulher parou de trabalhar quando casou e está fora do mercado, nunca trabalhou, etc. Se não, muito difícil, ainda mais considerando o salário do seu marido e que ele tem uma família e dois filhos para sustentar.

    Espero ter te ajudado e boa sorte!

  • Amada
    Lv 7
    Há 1 década

    Ele paga apenas 30% do salário minimo, a criança dele esta passando é necessidade, sei que vc está gravida , mas faça um esforço e peça para seu marido ajudar com um pouco mais.

Tem mais perguntas? Obtenha suas respostas perguntando agora.