Anônimo
Anônimo perguntou em Governo e PolíticaLei e Ética · Há 1 década

A justiça do trabalho sempre favorece o empregado. Mesmo que esse conte um milhão de mentiras. Cadê a justiça?

No ano 2000, meus pais tinham uma empresa juntos, era uma loja de roupas. Eles contrataram uma vendedora, não assinaram a carteira dela e ela só trabalhou 21 dias.

Alguns vacilos dela, levaram meus pais a crer que ela estava roubando, e minha mãe chamou a atenção dela referente ao uso do caixa e pedidos de vale. Porém depois dessa chamada, a cidadã não voltou mais pra trabalhar... Meus pais não fizeram o pagamento referente aos 21 dias que ela ficou pois ela simplesmente sumiu.

No início de 2002 meus pais se separaram e a firma foi encerrada.

Em 2006 eu já era maior de idade, e abri meu próprio negócio (uma loja de roupas também) e registrei a minha firma em meu nome, se tratando de uma firma individual.

Minha mãe é costureira (informal) e não possui bens. Sou solteira e nós moramos juntas, e as vezes ela me ajuda na loja.

Em meados de 2008, apareceu uma oficial de justiça em minha loja, e ficamos sabendo que já rolava na justiça do trabalho (desde Dez/2001) um processo judicial contra minha mãe, acionado pela tal vendedora que mencionei. No processo, ela falou um monte de mentiras, disse que trabalhou mais de um ano na loja de minha mãe sem carteira assinada, que não recebeu os ultimos 5 meses, que não tirava horário de almoço e nem recebia vale transporte... Enfim! Mentiu muito! E mentiu com força!

Não soubemos antes do processo, pois nos mudamos de casa e como a loja fechou, ela e a justiça se perderam da minha mãe.

A pior parte é que agora no processo consta que minha loja é "sucessora" da loja que minha mãe tinha com meu pai.

Na ocasião o oficial de justiça obrigou (com reforço policial) a minha mãe assinar um papel dizendo que ela estava ciente dos fatos e a fornecer o CPF dela (A ação movida pela garota não tinha nem o nome correto da minha mãe, nem nome da razão social da empresa que ela tinha, nem CNPJ, nem CPF,

só tinha o nome fantasia da loja)

O processo corre a passos lentos e ontém (dia 03/02/10) uma outra oficial de justiça disse que ia penhorar minhas coisas na loja, pra pagar a vagabunda. Porém eu falei que a firma era minha, mostrei documentos que comprovam e ela disse que voltaria amanhã (hoje) as 14h pra ver como seria feito.

O que eu quero saber é:

A justiça do trabalho pode penhorar minhas coisas, sendo que essa menina nunca trabalhou pra mim?

Minha firma é minha firma, a dos meus pais eram dos meus pais... Não houve "sucessão" de nada, conquistei tudo o que tenho com muito suor e não acho justo perder pra uma vagabunda mentirosa que jamais teve vínculo empregatício comigo.

Não houve audiência, não houve nada... Os oficiais só chegam lá na minha loja com papéis da justiça e o processo já está rolando há 8 anos e como a empresa dos meus pais não existe mais, eles (a justiça) simplesmente querem jogar a batata quente pra cima de mim.

Eu pergunto:

Isso está certo??

Cadê a justiça??

Cadê meu direito de defesa?

É só mentir na justiça que se leva? Pq se for assim, eu vou abrir uns 20 processos mentirosos na Justiça do Trabalho e dizer que trabalhei em trocentas empresas sem receber e vou ganhar uma grana...

Estou indignada! Preciso de uma orientação!

Atualizada:

Ela tem todo o direito de correr atrás dos direitos dela. Desde que NÃO MINTA! Por isso ela é uma vagabunda!

Se ela estivesse mesmo interessada nos direitos dela, não teria largado o trabalho sem dar satisfações e teria sim procurado a justiça, mas teria pelo menos dito a verdade.

Minha mãe tem sim uma testemunha da época, em que essa aproveitadora trabalhou. Uma vizinha de loja que lembra que ela ficou pouco tempo e simplesmente abandonou o trabalho.

Meus pais podem ter errado em não registrá-la, mas ela não está sendo honesta pra justiça... Por isso, digo e repito: ELA NÃO PASSA DE VAGABUNDA!

E de mais a mais, essa nova empresa é minha, não dos meus pais, posso ser filha deles mas não tenho nada a ver com o ocorrido...

A oficial de justiça voltou lá hoje, e me orientou a procurar um advogado para anexar ao processo dela, que minha empresa não é sucessora da empresa dos meus pais. Ou seja, ônus pra mim, que não tenho nada a ver com a história! LAMENTÁVEL!

5 Respostas

Classificação
  • Anônimo
    Há 1 década
    Resposta favorita

    A ´Justiça´ to Trabalho é uma das piores coisasque existe ´nessepaiz´, trabalhei 25 anos na area de RH de empresas e ja vi todo tipo de absurdo que acontece, isto é antigo mas tem piorado ultimamente,virou uma industria de reclamações trabalhistas, o Reclamante pode ´´pedir´ tudo que tem e o que não tem de direito, os advogados cobram 30% daquilo que ele receber e não ha sansão para ´mentiras´se o reclamado deixar de comparecer na audiencia ( o que acho que aconteceu com sua mãe), o processo é julgado a revelia é tudo que o reclamante pediu passa a ser ´verdade´.

    Parece venda de carro velho o cara chega pedindo R$ 50000,00 e leva R$ 2000,00 (30% do adv)

    É claro que há empresas que desrespeitam os funcionarios, ( seus pais também ´erraram ´neste sentido mas isso acontece aos milhares pois os custos ´sociais´ encarecem suas despesas), mas na imensa maioria dos casos os empregados abusam desse direito, isso sem conatr que todos são tratados da mesma forma seja uma empresa tipo, Ford, Coca-Cola (que tem imensos deptos juridicos, como a loja de sua mãe e uma quitanda (com poucos recursos para se defender).

    A ´justiça´esta etendo que houve uma fraude( que também acontece muito) onde fecharam uma empresa e abriram outra para não pagar os ´direitos da reclamante)

    Nosso Presidente conheçe bem tudo isso, bem como a imensa colcha de retalhos que é a CLT mas não mexeu uma palha para modificar tudo isso.

    A legislação é tão confusa que sempre ´ha algo´ para se procurar a receber (hs. extras, equiparação, cozinha etc, etc e agora até assedio moral)

    Não sou advogado mas como ex-profissional de RH, tenho certeza que sua situação não é mada facil, se voce tiver algo em seu nome, automovel, conta corrente, imovel muito em breve havera penhora, procure imediatamene um advogado de sua confiança.

    PS, DEpois que deixei de serm empregado abri um micro empresa e com todo meu conhecimento aiNda tive 4 processos trabalhistas, hoje trabalho só com minha esposa, empregado NUNCA MAIS, trabalhei em varias empresas em 25 anos e poderia ter feito reclamações contra meus ex patões pois conheço em a legislação, mas nunca o fiz por não achar justo, hoje voce encontra muita gente quer EMPREGO e não TRABALHO

    Boa Sorte

  • Há 1 década

    Verdade amiga! Sinceramente fica muito complicado criar empregos nesse País, já fui empresário e sei do que vc está falando! Têm muita gente que já entra no emprego pensando em tirar muito dinheiro do Patrão nessa Justiça do Trabalho ! Eu alugava um caminhão a frete quando meu movimento aumentava, e esse motorista trabalhou 3 meses fazendo entregas , o caminhão era dele, um belo dia me apareceu uma intimação com um cálculo de R$ 66.000,00 (sessenta e seis mil reais) por eu não ter assinado a carteira dele, um monte de multas, horas extras, vale transporte. Eu paguei a um advogado e lutei contra mas mesmo assim ainda me levou R$ 2.500,00.

  • Swan
    Lv 5
    Há 1 década

    Oi, Nany, estou chocada com esse caso dessa menina que ficou apenas 21 dias, e nem apareceu mais.

    Custei a acreditar no que li, referente a considerar sua firma como "sucessora" da antiga firma dos seus pais! A firma é outra, o CNPJ é outro, você é outra pessoa!

    Eu vou colocar uma estrela, e vou torcer para alguém ter algum conselho bom para esse caso, porque o caso é tão absurdo que, sinceramente, eu nem sei o que pensar.

    Eu vou torcer por você. Um grande abraço!

  • 1º: Se seus pais tivessem agido corretamente, ou seja, assinado a carteira dela e pago o que devia, eles estariam cobertos tbm pela justiça do trabalho. O registro na Carteira é fundamental p/ provar tempo de serviço. Eles foram os 1ºs. a errar.

    2º A 1ª audiência (qd for marcada) será para vc levar seu advogado (imprescindível) p/ vc se defender, depois sairá o veredicto.

    3º: Arrume testemunhas (pessoas que trabalharam junto com ela) para provar que ela só ficou lá 21 dias.

    4º: Não repita o erro dos seus pais e registre todos os seus funcionários.

    A garota (que vc chama de vagabunda), tá correndo atrás do que é dela e que seus pais não deram e nem cumpriram a lei.

  • O que você acha das respostas? Você pode entrar para votar em uma resposta.
  • Há 1 década

    Puxa que situação...

    Estou torcendo por ti...

    bjus e boa sorte

Tem mais perguntas? Obtenha suas respostas perguntando agora.