Evangélico, por que o seu deus quer me mandar para o inferno? (não responda sem ler tudo)?

Perguntinha básica para os evangélicos. Após ela vieram muitas outras, mas foi essa que começou a me libertar do engano das religiões, há muito tempo. Eu não acredito na bíblia, mas, para que falemos a mesma língua, vou falar como se acreditasse. Deus é onisciente. Ou seja, sabe de todas as coisas e, como se não... mostrar mais Perguntinha básica para os evangélicos. Após ela vieram muitas outras, mas foi essa que começou a me libertar do engano das religiões, há muito tempo.
Eu não acredito na bíblia, mas, para que falemos a mesma língua, vou falar como se acreditasse.
Deus é onisciente. Ou seja, sabe de todas as coisas e, como se não bastasse, sabe de tudo desde sempre. Assim sendo:
1. O livre arbítrio é uma grande falácia. Suponhamos que amanhã eu estupre alguém. Se isso acontecer, será por que desde o início deus já sabia que assim aconteceria. Se eu tivesse escolha, se eu pudesse não violentar a pobre moça, deus não seria onisciente. Como é que ele é onisciente se ele nem sabe ao certo o que eu vou fazer amanhã?
2. Se o livre arbítrio não existe, deus criou inúmeras pessoas especialmente para mandá-las para o inferno. Eu não sei se eu vou para lá ou não, certo? Afinal, “enquanto há vida há esperança...”, mas deus sabe. E, se ele sabe, isso não pode ser mudado. Se eu for para o inferno, significa que, desde o início dos tempos, deus já havia decidido me mandar para lá. Exatamente, eu disse decidido. Pois além de onisciente, deus é onipotente também, certo? Se ele pode tudo, ele poderia fazer qualquer coisa para não me mandar para o inferno. Poderia nem sequer existir inferno. Mas, ele quis que houvesse e quis que eu fosse para lá.
3. Que espécie de pai cria um filho sabendo que um dia irá torturá-lo da forma mais cruel, independente de qualquer coisa que o filho faça?
4. Seja lá que pai for, ele não me serve.

Eu já perguntei muito isso. A “melhor” resposta que me dão é: “Deus é o mestre. Se ele quer assim, que assim seja.”. Ela é ridícula, claro, mas é a “melhor”.
Imagine que você resolva agora ter um filho pensando: “Vou ter esse filho. Não vou educá-lo convenientemente, não vou dar-lhe a devida atenção, não vou explicar-lhe como ter uma vida boa e honesta. Então, ele vai se envolver com drogas, crime, etc. Aí, como castigo, eu vou cortar-lhe as duas pernas e os dois braços e abandoná-lo por aí. E, se alguém me questionar, eu direi: “Eu sou o pai dele, eu faço o que eu quiser.””
Entendem por que a tal resposta é tão ridícula?
Você fica indignado quando um homem estupra e mata uma criança. Também fica quando um bandido assalta e mata um trabalhador. Mas não quando deus queima as criancinhas dele para sempre? Comparados a deus nós somos crianças, não somos? E por que ele nos manda sistematicamente para o inferno?
Se você tem um filho pequeno, e se esse filho bater em você ou no irmãozinho dele, você o jogaria dentro de uma bacia de água fervendo? Viu, você, pobre e imperfeito pecador, é melhor do que o seu deus.
Eu sei que ir para o céu e ficar lá dando glória e aleluia para sempre deve ser muito legal, mas você conseguiria estar lá sabendo que o dono do lugar, por simples capricho, mandou milhões de filhos dele para o fogo eterno? Talvez você seja suficientemente egoísta, mas eu não consegui ser.
Se você é assim tão egoísta e eu não, significa que além de deus ser muito sádico, a religião não serve nem para fazer pessoas melhores.
E, se tudo isso é assim, o que você está fazendo aí?
Atualizar: Em primeiro lugar, o homem não escolhe nada, como eu demonstrei, pois do contrário deus não seria onisciente. Como o homem não escolhe nada, o único que pode escolher, ou predeterminar, como disseram em resposta anterior, é deus. Se é ele quem determina, a culpa só pode ser dele. O homem se tornou digno de... mostrar mais Em primeiro lugar, o homem não escolhe nada, como eu demonstrei, pois do contrário deus não seria onisciente.
Como o homem não escolhe nada, o único que pode escolher, ou predeterminar, como disseram em resposta anterior, é deus. Se é ele quem determina, a culpa só pode ser dele.
O homem se tornou digno de condenação por uma questão na verdade simples. Foi por que deus quis. Você nega que seu deus todo-poderoso poderia fazer um mundo sem condenação, sem inferno, sem pedófilos, sem qualquer injustiça? Ele podia, não podia? Sei lá. Tirasse a árvore do jardim, matasse a serpente, qualquer coisa. E por que não fez? Será que ver crianças sendo estupradas ou judeus sendo assados é divertido?
Atualização 2: O homem não escolhe nada, pois do contrário deus não seria onisciente. Por causa da onisciência, quem predetermina, é deus. Se é ele quem predetermina, a culpa só pode ser dele. O homem se tornou digno de condenação por uma questão na verdade simples. Foi por que deus quis. Deus todo-poderoso poderia fazer um... mostrar mais O homem não escolhe nada, pois do contrário deus não seria onisciente.
Por causa da onisciência, quem predetermina, é deus. Se é ele quem predetermina, a culpa só pode ser dele.
O homem se tornou digno de condenação por uma questão na verdade simples. Foi por que deus quis. Deus todo-poderoso poderia fazer um mundo sem condenação, sem inferno, sem pedófilos, sem qualquer injustiça. Sei lá. Tirasse a árvore do jardim, matasse a serpente, qualquer coisa. E por que não fez? Será que ver crianças sendo estupradas ou judeus sendo assados é divertido?
Gilberto, eu nada disse sobre deus existir ou não. Só expus uma característica injusta do deus da bíblia.
Talvez sempre alguém precise de religiões, como sempre haverá aleijados precisando de muletas. Que tal cultuarmos as muletas?
Por que quer que eu tenha pesadelos? Ore por mim, irmão. Afinal, você me ama.
B.A, Não sei por que o comentário sobre escrever errado. Só sei que você não escreve errado mesmo. Isso que você faz não é escrever.
14 respostas 14