Qual é a graça da intolerância?

Qual é a graça, o sentido, o motivo, a necessidade de agredir verbal ou fisicamente quem professa crença diversa? Qual o sentido de atacar pessoas, pelo questionável "dever" de dizer "verdades", que nunca são as verdades alheias? A que serve a intolerância religiosa, que vai aos extremos... mostrar mais Qual é a graça, o sentido, o motivo, a necessidade de agredir verbal ou fisicamente quem professa crença diversa?

Qual o sentido de atacar pessoas, pelo questionável "dever" de dizer "verdades", que nunca são as verdades alheias?

A que serve a intolerância religiosa, que vai aos extremos de destruir símbolos religiosos alheios, como se fossem proprietários deles?

Quem deu a alguns o direito de infernizar quem crê diferente com perguntas que são agudas agressões morais e pessoais, feitas em nome de um suposto Jesus , que eles criam para justificar seus piores sentimentos?

Que Jesus seguem?

O que diz," Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma".( Mateus 11:29)

Não , de certo que não é Este.

Deve ser o Jesus que não está escrito em lugar nenhum, mas que é usado para fazer o mal, pregar a discórdia, a desavença, a contenda, o ódio aos demais.

A quem servem essas criaturas que se promovem intolerância religiosa em nome de uma suposta verdade, que só é verdade para eles, para os outros é uma dolorosa forma de ser incompreendido.

Quem tem mais razão o que pratica a intolerância e se ri disto, ou quem a sofre e sofre com ela?

Que fizeram do Y!R?

Sem paz e bem.
Atualizar: É Óbvio, é óbvio que é o contrário. Quando não se tem suficiente segurança do que se crê é que se adota um comportamento de agredir o outro para justificar o que acha que crê, que por ser muito débil, precisa de muito grito para ser ouvido, por si mesmo e pelos outros. Quem crê de verdade, crê serenamente, vive e... mostrar mais É Óbvio, é óbvio que é o contrário.
Quando não se tem suficiente segurança do que se crê é que se adota um comportamento de agredir o outro para justificar o que acha que crê, que por ser muito débil, precisa de muito grito para ser ouvido, por si mesmo e pelos outros.
Quem crê de verdade, crê serenamente, vive e deixa viver.
Atualização 2: Profeta, note bem que eu não citei nominalmente as seitas , entretanto você vestiu a carapuça, interessante, viu como se condenam a si mesmos?
Que vergonha!
17 respostas 17