Anônimo
Anônimo perguntou em Sociedade e CulturaReligião e Espiritualidade · Há 1 década

Reencarnação! O próprio Jesus admitiu...por que duvidar?

A primeira passagem em que Jesus admitiu o Renascimento (a palavra REENCARNAÇÃO só apareceu no século XIX) em outro corpo ocorreu quando revelou, a dois enviados de João Batista, que este era “o Elias que havia de vir”, ou seja, a reencarnação de Elias. Com isso, Jesus confirmou explicitamente o retorno do espírito a um novo corpo de carne, que nada tem a ver com o anterior, confirmando assim as profecias registradas no Velho Testamento acerca do retorno de Elias, como seu precursor. É importante esclarecer que a última profecia a esse respeito encontra-se no versículo 5, capitulo 4, do Livro de Malaquias. A segunda vez em que Jesus nos fala de reencarnação foi no Monte Tabor, após a sua transfiguração, estando presentes Pedro, João e Tiago. Nessa oportunidade, segundo o relato de Marcos, o Mestre conversou com os espíritos de Elias e Moisés materializados. Isso se deu quando os apóstolos, ao descerem do Monte Tabor, procuraram obter de Jesus um esclarecimento para a seguinte dúvida: se os fariseus e os escribas, intérpretes das escrituras, declaravam que Elias ao voltar desempenharia a missão de precursor do Messias, isto é, cumpriria a incumbência de sua missão antes de Jesus, e que Elias estava no mundo espiritual, logo Jesus não seria o Messias esperado. Diante desse questionamento, o Mestre respondeu sem rodeios: “Mas digo-vos que Elias já veio, e fizeram dele quanto quiseram, como está escrito dele”. Ao receberem tal resposta, eles deduziram que o espírito Elias havia reencarnado como João Batista, que, em virtude de ter sido degolado a mando de Herodes, já havia retornado à espiritualidade. Tudo isso se confirma com o registro de Mateus sobre a conclusão a que os apóstolos chegaram: “Então os discípulos compreenderam que Jesus tinha falado de João Batista”.

PORTANTO, MELHOR MUDAR O DISCURSO...TÁ COMPROVADO QUE O PRÓPRIO JESUS ADMITIU A REENCARNAÇÃO.

MELHOR CONTINUAR A DIZER QUE ENTIDADES SÃO DEMÔNIOS...SAI MAIS BARATO...

Opinem, por favor...

Atualizada:

BELINHA...Colocar palavras na boca de Jesus? Você sabe ler mesmo? Pelo visto, não...Não preciso disso, jovem. Basta ler e verá...bem se souber...

2 atualizadas:

EDUARDO J...Outro que não sabe ler. Reencarnação é palavra do século XIX...JESUS FALOU EM RENASCIMENTO...Poin, poin, poin pra você. Volta pra escola!

3 atualizadas:

LU, neném...não quero convencer ninguém, apenas provar que Jesus falou em Renascimento. Foi Ele quem disse, não eu! Se acomode e aceite...Foi Jesus quem disse!

4 atualizadas:

L.H., concordo, mas quando querem enfiar a bíblia guela abaixo, mostro apenas que neste livro há o desmentido sobre Reencarnação/Renascimento. Que não usema bíblia para mentir, então, já que acreditam nela. Você está certo!

5 atualizadas:

POIS É...FALARAM FALARAM INSULTARAM, SE DESCABELARAM, MAS NADA TROUXERAM PARA DESMENTIR. JESUS FALOU EM RENASCIMENTO E ISSO NINGUÉM PODE NEGAR. ESTOU USANDO A PRÓPRIA BÍBLIA, QUE O CRISTÃO SE APOIA, PARA DEMONSTRAR O ERRO E OS INSULTOS AOS ESPÍRITAS EM RELAÇÃO A REENCARNAÇÃO. SE JESUS FALOU, QUEM PODE REBATER OU QUESTIONAR? MAS PARA ISSO AS PESSOAS NÃO ESTÃO PREPARADAS: VER UM ENGANO. NÃO SOU EU QUEM DIGO...MAS O FILHO DE DEUS! APENAS PROCUREM ENTENDER QUE NEM TUDO É RUIM. A TEORIA DO EQUÍVOCO, NÃO É UM EQUÍVOCO...A CHANCELA É DE JESUS CRISTO, NOSSO SENHOR. RENASCIMENTO/REENCARNAÇÃO...A MESMÍSSIMA COISA. JESUS SABE...

41 Respostas

Classificação
  • Há 1 década
    Melhor resposta

    Kitalamy meu amigo...

    Estes evangélicos vão é te enrrolar e não vão responder a sua pergunta. Sabe por quê ? porque eles negam a ciência.

    A reencarnação é a idéia da existência de um espírito separado do corpo; com a morte do corpo esse mesmo espírito reassume uma outra forma material e segue evoluindo. O renascimento na concepção Budista não é a transmigração de um espírito, de uma identidade substancial, mas a continuidade de um processo, um fluxo do devir, no qual vidas sucessivas estão conectadas umas às outras através de causas e condições. Esse processo ou fluxo não ocorre apenas com a morte mas está presente constantemente nas nossas vidas. Nós estamos em constante mudança, com cada momento nas nossas vidas surgindo na dependência do momento anterior, que deixou de existir. É um pouco parecido com a correnteza de um rio, a correnteza fluindo continuamente sem cessar. Não é possível entrar no mesmo rio duas vezes.

    Podemos ilustrar o renascimento com um símile, é como se a chama de uma vela fosse empregada para acender uma outra vela e nesse processo a primeira vela fosse apagada. A chama da segunda vela surgiu na dependência da primeira vela, ou seja, tem uma conexão com ela, mas a chama da segunda vela não é idêntica à primeira. Então, as duas chamas possuem uma ligação mas não são idênticas.

    3. De onde então vem o homem e para onde ele está indo?

    Há três respostas possíveis para esta questão. Aqueles que acreditam na existência de um Deus, em geral, postulam que antes da criação de um ser ele não existe, ele passa a existir pela vontade do Deus criador. De acordo com o seu modo de vida, o seu destino será o paraíso ou o inferno eternos. Há outros, humanistas e cientistas, que postulam que um ser surge através da concepção baseada em causas naturais, nasce, e depois de viver algum tempo, morre deixando de existir por completo.

    O Budismo não adota nenhuma dessas explicações. A primeira dá origem a uma série de questões de ordem ética. É difícil explicar, se somos realmente criados por um Deus, porque tantos seres nascem com deformidades terríveis ou porque tantos fetos abortam por causas naturais ou são natimortos. Também parece um tanto injusto que alguém esteja destinado ao sofrimento eterno no inferno ou à felicidade eterna no paraíso tendo vivido apenas 60, 70 ou 80 anos. A segunda explicação é um pouco melhor do que a primeira e está mais baseada em evidências científicas, mas ainda assim deixa muitas questões sem resposta. Como é possível que um fenômeno tão incrível como a consciência possa se desenvolver do simples encontro entre o esperma e o óvulo? E agora que muitos fenômenos paranormais são reconhecidos como ramos da ciência, fenômenos como a telepatia são cada vez mais difíceis de se encaixar num modelo puramente materialista.

    Para o Budismo, com a morte, a consciência com todas as suas tendências, preferências, habilidades e características que foram desenvolvidas e condicionadas nesta vida, se re-estabelece no embrião. Dessa maneira, o ser cresce, nasce e desenvolve uma personalidade condicionada pelas características que foram trazidas da vida passada e pelo novo ambiente, além de outros fatores condicionantes como a hereditariedade, etc. Essa personalidade está sujeita a mudança e será modificada através do esforço consciente por fatores condicionantes tais como a educação, a influência dos pais e da sociedade, etc. Outra vez, com a morte, essa consciência irá se re-estabelecer num novo embrião.

    Esse processo de renascimento irá continuar até que as condições que o causarem persistam. Quando essas condições deixarem de existir, ao invés de renascer, a consciência alcançará um estado que é chamado nirvana, e esse é o objetivo último no Budismo.

    4. Como a consciência migra de um corpo para outro?

    Imagine as ondas de rádio. As ondas de rádio não são compostas de palavras ou notas musicais mas de energia em distintas freqüências que são transmitidas através do espaço e atraídas e capturadas por um receptor no qual se manifestam como palavras e música. Algo similar ocorre com a consciência. Ao morrer, a energia mental cruza o espaço e se une ao esperma e o óvulo para formar o novo ser. O embrião e a consciência se desenvolvem através de uma relação de mútua dependência e influência.

    5. Os seres humanos sempre renascem como seres humanos?

    Não. De acordo com o Budismo há vários planos de existência nos quais ocorre o renascimento. Alguns seres renascem no paraíso celestial, alguns no inferno e assim por diante. O paraíso celestial ou o inferno não são propriamente lugares mas estados de existência onde a mente experimenta respectivamente principalmente prazer ou dor. A vida nesses planos no entanto é temporária e depois disso haverá um novo renascimento que poderá muito bem ocorrer entre os seres humanos. Então, a principal diferença entre o plano humano e os outros planos é a qualidade da experiência mental.

    O fator mais importante que condiciona o renascimento é karma.

    Karma quer dizer ação baseada na intenção e se refere ao conjunto de ações com a mente, corpo e linguagem que constituem no seu conjunto a bagagem que carregamos conosco.

    Essas ações geram consequências que são os frutos do karma. Os frutos do karma influenciam tanto a nossa experiência do mundo como o processo de renascimento por ocasião da morte.

    Karma é uma palavra em Sânscrito, (Kamma em Pali), que quer dizer ação baseada na intenção e essa intenção inclui volição, escolha e decisão, o ímpeto mental que conduz à ação. A intenção é aquilo que incita e dirige todas as ações humanas, ambas, criativas e destrutivas e por isso é a essência de karma.

    Intenção no contexto Budista tem um significado muito mais sutil do que o uso mais geral dessa palavra. Em geral tendemos a usá-la quando queremos proporcionar um elo de ligação entre o pensamento interno e as suas ações externas resultantes. Por exemplo, podemos dizer, “Eu não tinha intenção de fazer isso,” “Eu não tinha intenção de dizer isso” ou “Ela fez isso de forma intencional.”

    Mas, de acordo com os ensinamentos Budistas, todas as ações e linguagem, todos os pensamentos, não importa quão fugazes sejam, e as respostas da mente a sensações recebidas através dos órgãos dos sentidos contêm elementos de intenção. Assim, a intenção é a escolha volitiva feita pela mente em relação aos objetos para os quais a atenção é dirigida; é o fator que conduz a mente a se inclinar ou a repelir os vários objetos da atenção, ou de prosseguir em uma certa direção; é o que guia ou governa como a mente responde aos estímulos; é a força que planeja e organiza os movimentos da mente e no final das contas é aquilo que determina os estados experimentados pela mente.

    Karma opera no universo como uma cadeia contínua de causa e efeito. Essa cadeia não está só confinada à causação no sentido físico, mas também tem implicações éticas e morais. “Boas ações trazem bons resultados, más ações trazem maus resultados”, é um dito comum. Nesse sentido karma é uma lei moral.

    Os seres humanos estão constantemente emitindo energia física e mental em todas as direções. Na física aprendemos que não há perda de energia, ela só muda de forma. Essa é a chamada lei da conservação de energia. Do mesmo modo, a energia mental nunca é perdida. Ela é transformada. Portanto, karma é a lei da conservação da energia moral.

    Através das ações com a mente, corpo e linguagem os seres estão emitindo energia para o universo, e em contrapartida, eles são afetados pelas influências que fluem na sua direção. Os seres portanto, enviam e recebem todas essas influências, encontrando-se num estado de interdependência.

    O Karma não deve ser confundido com destino, fatalidade. Destino transmite a idéia de que a vida de alguém foi planejada de antemão por algum poder externo e que a pessoa não tem controle sobre o desenrolar dos eventos na sua vida.

    Nesse sentido é importante observar que karma através dos seus frutos é um fator que influencia o futuro e não que determina o futuro, pois a cada momento os seres têm a oportunidade de agir no sentido de reforçar os frutos do karma ou de minimizá-los. Isso ocorre porque no Budismo karma não é visto de uma forma absolutamente linear. Há um processo linear em operação através do qual experimentamos no presente os frutos de ações passadas mas também há um processo sincrônico no qual o presente é influenciado pelo fruto das ações no presente. Dessa forma o Budismo reconhece que há um certo espaço para o exercício do livre arbítrio.

    Abraços Hannia.

    • Faça login para comentar as respostas
  • Tati
    Lv 7
    Há 1 década

    Oi!

    Só quem desconhece para negar e são incapazes de perceber a sua volta as coisas que acontece. Reencarnação sim por que não teríamos motivos para estarmos aqui e não passaríamos por situações ruins.

    Bjs

    • Faça login para comentar as respostas
  • Há 1 década

    Bom,

    isso depende do ponto de vista ne, pois o conceito de reencarnar ao meu conhecimento seria de voltar, mas com outro corpo, ( outra materia fisica ) .......... coisa que no caso eu discordo que seria dessa forma.

    Mas como disse e o meu ponto de vista, pois ninguem, sabe como será ne ...............

    • Faça login para comentar as respostas
  • INDO ELES ANDANDO E FALANDO, EIS QUE UM CARRO DE FOGO, COM CAVALOS DE FOGO, OS SEPAROU UM DO OUTRO; E ELIAS SUBIU AO CÉU NUM REDEMOINHO.

    O QUE VENDO ELISEU CLAMOU: MEU PAI , MEU PAI, CARROS DE ISRAEL E SEUS CAVALEIROS! E NUNCA MAIS O VIU ...... ( Reis 2 11,14)

    ELIAS NÃO CONHECEU A MORTE POIS FOI ARREBATADO, E SENDO ASSIM ELE NÃO PODERIA TER REENCARNADO.

    JESUS AO DIZER ELIAS JÁ VEIO E NÃO O RECONHECERAM , REFERIU-SE AO MINISTÉRIO DE JOÃO BATISTA QUE ERA O MESMO DE ELIAS. paz

    • Faça login para comentar as respostas
  • O que você acha das respostas? Você pode entrar para votar em uma resposta.
  • Isso está escrito em: Mateus 11 vs de 7 a 14 ! Essa passagem, é o terror dos "Pastô" ! Lá em Mateus 15, fala da transfiguração e a aparição de Moisés e Elias ! Os "crentes" ou melhor dizendo, o "pastô", também pulam essa passagem! Eles costumam dizer que o diabo é o pai da mentira, mas não dizem quem é mãe! Será que é a pregação dos "crentes", a mãe da mentira! ?

    Fonte(s): Aperto!
    • Faça login para comentar as respostas
  • Há 1 década

    Kitalamy.

    Na época em que CRISTO JESUS estava na Terra a palavra usada era RESSURREIÇÃO e essa palavra tanto se refere a dar vida a um morto, como dar vida a si mesmo, no caso de Lázaro e de Tabita e no próprio caso de Jesus.

    Ela também possuí um significado material e outro espiritual. No primeiro caso se refere à volta do espírito em outro corpo, em outra vida ou em outro Ciclo. Também se refere ao renascimento espiritual, nos Céus.

    "Bendito e Santo o que tem parte na primeira ressurreição, sobre ele não prevalecerá a segunda morte."

    Por outro lado, como entender a JUSTIÇA DIVINA senão pela Lei de Renascimentos?

    E, como poderia ser CRISTO JESUS, o Salvador de todos os homens se não houvesse uma Lei que trouxesse o espírito novamente à Terra para crescer mais um pouco, rumo à Luz Suprema?

    São Paulo discorre, longa e exaustivamente, falando dos Patriarcas e Profetas e conclui que todos eles mesmo após todo o sacrifício que fizeram não alcançaram a Salvação...

    Depois, arremata, divinamente inspirado:

    "PARA QUE ELES SEM NÓS NÃO FOSSEM APERFEIÇOADOS."

    Dando a quem está preparado, a clara indicação que os Santos Apóstolos foram anteriormente, em outras vidas os Patriarcas e Profetas.

    A única grande diferença que há entre os espíritas e outras correntes espiritualistas e nós, CRISTÃOS APOSTOLARES OU PRIMITIVOS é que nós não acreditamos que essa volta seja para queimar carma.

    Voltamos sim, centenas de vezes para aprender a Obedecer.

    Nós acreditamos que a Salvação ou Libertação, para ser mais claro é pelo CONHECIMENTO. CONHECIMENTO que ELE vai liberando à ínfima partícula de Si Mesmo que em nós habita.

    E conhecereis a Verdade e a Verdade vos libertará.

    E a Salvação é para quando estamos ainda aqui na Terra e não para depois da morte.

    Felicidades.

    Velho Riozinho.

    • Faça login para comentar as respostas
  • Há 1 década

    Foi requisitada a opinião, então lá vai.

    Podia ter na bíblia dizendo que Jesus/deus falou que só vai para o céu aquele que conseguir planta bananeira.

    Tá na bíblia, mas não quer dizer que é verdade, o espiritismo assim como o catolicismo e o evangelismo (e as demais que seguem o mesmo estilo) se baseiam interiramente na interpretação de um livro que NÃO existe garantia de que suas palavras são reais.

    Só porque tá na bíblia que alguém foi e voltou, não quer dizer que é real.

    Opinião.

    Perceba que eu NÃO falei que não era real, só disse que a bíblia não é garantia pra algo ser real ou não.

    • Faça login para comentar as respostas
  • Há 1 década

    Na minha opinião:

    Faz diferença para aquele que acredita na reencarnação se o termo está na Bíblia ou não. O importante é você acreditar e não perder tempo em tentar mostrar isso para os outros. Deus nos deu livre arbítrio e a inteligência para questionarmos tudo o que aparecer na nossa frente. Se depois de ler e refletir, você chegou a conclusão que sim então siga a sua vida acreditando nisso. Até,porque na hora de se encontrar com Deus, ele vai dizer se teve alguma serventia ou não acreditar na reencarnação. E outra coisa se as pessoas não estão preparadas para entender, elas não vão entender. Porque, talvez elas precisem reencarnar várias vezes para que possa entender ou precisem morrer e irem para o céu, para o inferno ou purgatório para se dar conta disto. Em suma se você entende algo de cunho espiritual significa que você está mais evoluído que as outras pessoas. Para as outras pessoas o que vocês entendem mostra o seu grau de espiritualidade.

    Deus é sábio em tudo que faz. Se o mundo está deste jeito é por culpa inteiramente nossa, do nosso livre arbítrio e de não pararmos para refletir antes de agir. No final o que conta é estudar, conhecer a verdade onde quer que ela esteja e respeitar o próximo.

    • Faça login para comentar as respostas
  • Há 1 década

    Buscar bases - na Bíblia - para a doutrina Espíria é como tentar achar cabelo em ovo de galinga. TEXTOS FORA DE CONTEXTO É PRETEXTO P/ HERESIAS.

    Fonte(s): _
    • Faça login para comentar as respostas
  • Há 1 década

    contra fatos não há argumentos... interessante colocação.

    Mas pesso a Deus pai que me dê discernimento,pois São coisas que vão além da minha comprrençao e conhecimento.

    • Faça login para comentar as respostas
Tem mais perguntas? Obtenha suas respostas perguntando agora.