ABORTO. Quando amparado por lei, quem deve decidir é a religião, a medicina ou a própria pessoa?

Nas ultimas semanas o tema sobre aborto foi levantado sobre uma menina de 9 anos que ficou grávida de gêmeos, após ter sido violada pelo padrasto.

A reação do arcebispo foi imediata. Assim que soube que o aborto tinha sido consumado, Dom José Cardoso Sobrinho disse que “a Igreja Católica considera que houve um crime e um ato inaceitável para a doutrina". Assim, decidiu que "todas as pessoas que participaram do aborto, com exceção da criança, estão excomungadas da Igreja".

O aborto é um tema. que causa muita polêmica.

E não se esqueçam de responder, na sua opinião... Quem deve decidir é a religião, a medicina ou a própria pessoa?

Comentem sobre o assunto.

Um forte abraço á todos

♥♥♥Beijinhos♥♥♥

Atualizada:

Pessoal, como disse acima o tem é polemico. Postei essa pergunta para saber o que vcs pensam realmente sobre o assunto. De acordo com os valores de vida que aprenderam.

Fiz a pergunta nesta categoria que por sinal é a minha primeira postada aqui, mas vejo que muitos não querem opinar sobre o tema.

Talvez, por medo? divergencia de opniões que se misturam com o assunto religião , aonde preferem nulos ficarem?

Fonte da pergunta: Pesquisa na internet.

44 Respostas

Classificação
  • Há 1 década
    Melhor resposta

    ...É amiga, como você disse, o caso é polêmico. Mas entendendo que para cada caso existe uma solução/resposta. Quanto ao religioso, não vejo que a pessoa precisa seguir a doutrina de nenhuma instituição religiosa´, pois se há temor de Deus no coração da pessoa, ela sabe como agir. Pois quem teme a Deus, conhece a Sua palavra. Não acredito que uma pessoa diz temer a Deus e ignorar o conteúdo bíblico. Quem tem compromisso com Deus não precisa de doutrina religiosa, pois muitas vezes essas doutrinas são até mesmo anti-bíblica. Quem tem compromisso com Deus anda no caminho da excelência, pois os mandamentos de Deus encaminha as pessoas para à excelência. Quem teme a Deus sabe que o sexo só é permitido depois do casamento. As pessoas que fazem sexo antes do casamento e se engravidam, tem que ter caráter para assumir a criança, esse tipo de aborto é crime e é condenável por Deus. Mas quando a gravidez implica no risco de morte da mãe, aí o caso é diferente, pois quem garantirá que a criança nascerá perfeita e sobreviverá também, sendo a mãe sacrificada??? Vejo um tipo de aborto aprovável: ABORTO EM LEGÍTIMA DEFESA.

    Na verdade sinto-me muito pequeno para entrar nesta causa, pois o assunto é muito delicado mesmo. A única coisa que reprovo é o aborto criminoso.

    Em relação a condenação da igreja católica, quero dizer que só há um juiz e só Ele poderá condenar ou libertar, e esse nome chama-se Jesus. Pois a Bíblia afirma que no dia do grande juizo Ele separará os bodes das ovelhas. Então, quero dizer que nenhuma instituição religiosa tem poder para condenar ninguém.Podem sim, excluir as pessoas do seu ról de membros. Mas condená-las ao inferno nunca.

    • Faça login para comentar as respostas
  • Anônimo
    Há 1 década

    A própria pessoa... de preferência o homem e a mulher envolvidos quando for possível...

    Em casos de estupro aí a mulher tem o direito de decidir...

    Agora crianças, meninas estupradas e engravidadas... deveriam levar em conta a opinião dessas crianças, apesar de que com nove anos que maturidade terá sobre o que é ser mãe!?!?.... Apenas sentirá na pele e no coração o que é ter a infância roubada....

    Neste caso de ciranças, pais, médicos deveriam decidir juntos....

    Mas em todas a opção do aborto não deveria ser considerada crime, mas uma opção....

    É um assunto complicado quando nunca passamos por situações que exigissem tais decisões....

    É muito fácil condenar quando estamos de fora, apenas como expectadores....

    Resumindo: Aborto não deveria ser considerado crime... mais uma escolha conforme a ética e moral dos envolvidos...

    Beijos!

    Shaiya!

    • Faça login para comentar as respostas
  • Thedy
    Lv 6
    Há 1 década

    Querida D@ny!!!

    Eu sou contra o aborto, acredito que não cai uma folha de uma árvore se Deus não permitir e também acredito na lei do retorno!!!

    Quantas mães abandonam seus filhos recém nascidos em qualquer lugar como se fosse um objeto qualquer, pode até conseguir escapar das leis dos homens, mas não escapa das leis de Deus!!!

    Ninguem passa impune, todos voltam para queimar seus carmas ou seja, pagar suas dívidas de vida passada!!!

    A religião traz o exclarecimento, ninguem tem direito de tirar a vida que a Deus pertence!!!

    A Lei tem que ser respeitada e cumprida para que possamos ter direitos e deveres como cidadões!!!

    Então a melhor resposta é deixar a mulher decidir, pois ela é dona do seu próprio destino, agora quem vai fazer o aborto ou seja o médico, também tem grande responsabilidade, pois está ajudando a tirar uma vida!!!

    E se olharmos pelo lado positivo, quem sabe essa criança venha com muita luz e sabedoria e pode dar muitas alegrias para sua mãe, principalmente em sua velhice, pois quem doa amor recebe amor e se a mãe o aceitou com amor concerteza irá receber amor!!!

    D@ny querida, tenha uma belíssima noite!!!

    Beijos!!!

    • Faça login para comentar as respostas
  • Há 1 década

    Olhe, sou contra o aborto. Mas não por causa de religião. Quando se trata de uma mulher adulta que não tenha sido extrupada eu acho inadimissível cometer um aborto, pois hoje em dia até uma criança sabe como se prevenir para não se ter um filho. Meu de 8 anos já sabe. Mas quando se trata de uma criança , em qualquer situação deve sim fazer o aborto com ou sem o consentimento dos pais. Principalmente no caso como dessa menina. Claro que tem a parte de uma vida que se vai, mas se fosse com uma filha minha faria. Não sei o motivo de escomungar uma pessoa por isso. Não frequento religião nenhuma, mas tenho certeza que Deus aprovaria esta atitude de um aborto. A nossa justiça não serve para nada, viu o caso da menina de onze anos no Rio Grande do Sul o que a justiça falou sobre o extrupo dela?

    http://www.mp.rs.gov.br/imprensa/clipping/id77831....

    Nesse mundo não existe mais novidade nenhuma.

    Bjokas e obrigada por pedir minha opinião

    • Faça login para comentar as respostas
  • O que você acha das respostas? Você pode entrar para votar em uma resposta.
  • D@NY, neste caso quem tem que decidir é a família e os médicos. A igreja que se dane. Afinal não serão eles a criarem as crianças que são frutos de estupros.

    Gostaria de deixar claro que sou contra abortos. Que sou espírita. Mas isso não quer dizer que eu seja fanática e não veja as coisas pelos olhos da razão.

    Beijocas.

    • Faça login para comentar as respostas
  • Há 1 década

    Dany,

    Quando a gravidez é motivada por estupro ou quando ela representa risco à saúde da mãe, a lei brasileira reconhece o direito ao aborto

    Neste caso, a decisão deve ser da própria gestante

    Os médicos e os padres opinam

    Não podemos nunca querer tirar da igreja o direito de ela ser a instituição em defesa da vida

    Alguém aí disse que a Igreja não deve opinar

    Pq?

    Neste caso, o que motivou a decisão radical do arcebispo foi a atitude dos médicos, que aproveitando a ingenuidade da família da vítima, coagiu-lhes a consentir no aborto, sem que fosse dado à vítima o direito de escolha livre

    Quero me manifestar que sou radicalmente contra o aborto e o considero um assassinato

    Dizer que deve ser dado à mulher o direito de dispor de seu corpo é discurso demagógico

    Porque não cuidou antes ao transar sem preservativo?

    • Faça login para comentar as respostas
  • Há 1 década

    Dany essa e uma coisa um tanto polemica , mas eu acho que ele so deve ser feito nquando a propria pessoa que foi atigida por tal ato queira faze-lo, ou quando menor no caso da menina de 9 anos; a lei e o medico por ser tratar de uma criança , que jamais teria condições de opinar se sim ou não, pois ainda não tem noção da

    gravidade do fato!

    Beijos sabor algodão doce,amo voce!!

    Fonte(s): A etica!
    • Faça login para comentar as respostas
  • Há 1 década

    Aborto Delituoso

    Comovemo-nos, habitualmente, diante das grandes tragédias que agitam a opinião.

    Homicídios que convulsionam a imprensa e mobilizam largas equipes policias...

    Furtos espetaculares que inspiram vastas medidas de vigilância...

    Assassínios, conflitos, ludíbrios e assaltos de todo jaez criam a guerra de nervos, em toda parte; e, para coibir semelhantes fecundações de ignorância e delinqüência, erguem-se cárceres e fundem-se algemas, organiza-se o trabalho forçado e em algumas nações a própria lapidação de infelizes é praticada na rua, sem qualquer laivo de compaixão.

    Todavia, um crime existe mais doloroso, pela volúpia de crueldade com que é praticado, no silêncio do santuário doméstico ou no regaço da Natureza...

    Crime estarrecedor, porque a vítima não tem voz para suplicar piedade e nem braços robustos com que se confie aos movimentos da reação.

    Referimo-nos ao aborto delituoso, em que pais inconscientes determinam a morte dos próprios filhos, asfixiando-lhes a existência, antes que possam sorrir para a bênção da luz.

    Homens da Terra, e, sobretudo vós, corações maternos chamados à exaltação do amor e da vida, abstende-vos de semelhante ação que vos desequilibra a alma e entenebrece o caminho!

    Fugi do satânico propósito de sufocar os rebentos do próprio seio, porque os anjos tenros que rechaçais são mensageiros da Providência, assomantes no lar em vosso próprio socorro, e, se não há legislação humana que vos assinale a torpitude do infanticídio, nos recintos familiares ou na sombra da noite, os olhos divinos de Nosso Pai vos contemplam do Céu, chamando-vos, em silêncio, às provas do reajuste, a fim de que se vos expurgue da consciência a falta indesculpável que perpetrastes.

    Emmanuel, por Francisco Cândido Xavier. Da obra: Religião dos Espíritos.

    http://poemasdepaz.blogspot.com/2008_04_19_archive...

    • Faça login para comentar as respostas
  • Há 1 década

    Acho que isso deve ser uma decisão da própria mulher uma vez que é ela quem vai ter que lidar com as consequências de seus atos independente de sua escolha. Mais do que isso, acho que a igreja não deveria nem ter o direito de se manifestar.

    • Faça login para comentar as respostas
  • T
    Lv 7
    Há 1 década

    Acho que corretamente seria a medicina, pois a igreja ou a religião deveria se importar somente com o ensino espiritual não físico e a própria pessoa não pode decidir em alguma opção sem um medico que vai avaliar a sua condição física, isto se for um aborto concedido por lei. bjs

    • Faça login para comentar as respostas
  • Veja minha cara: sou católico e como tal sou contra o aborto e a favor da vida.

    De fato o aborto é um tema polêmico, uma vez que direta ou indiretamente todos podemos ser afetados por ele, afinal se nossas mães nos tivessem abortado não estaríamos discutindo o tema.

    Agora creio que a função da lei é defender a vida, como tal ela deve proibir tal prática.

    Contudo, devemos partir do ponto que temos o livre-arbítrio, isto é podemos fazer nossas próprias escolhas desde que arquemos com as consequências posteriores. Ou seja, cada um pode escolher o que quer fazer.

    Mas aí a gente entra em outro caso. Nossos direitos terminam quando começam os dos outros, e todos temos direito a vida.

    Nesse caso o melhor é que cada um possa escolher a vida, sempre. Ou seja, temos de dar educação a todos para se preparem para formar família. Esse é o melhor caminho. Evitar o aborto e preservar a vida e a dignidade humana, preparando as pessoas para viverem a verdadeira função do sexo, gerar filhos e não mero prazer.

    Fique em paz!!!

    • Faça login para comentar as respostas
Tem mais perguntas? Obtenha suas respostas perguntando agora.