Crucificações e autoflagelos, isso é ser cristão ?

Hoje é lembrado o dia da cricificação de Jesus. Um bar aqui próximo toca créu nas alturas, as pessoas se entopem de cachaça, parece um dia de carnaval sem chiclete. Outros vão para seus templos, outros vão fazer turismo. Imagino que turismo deva ser algo prazeroso, interessante, exótico. Não imagino um turismo num... mostrar mais Hoje é lembrado o dia da cricificação de Jesus. Um bar aqui próximo toca créu nas alturas, as pessoas se entopem de cachaça, parece um dia de carnaval sem chiclete.
Outros vão para seus templos, outros vão fazer turismo. Imagino que turismo deva ser algo prazeroso, interessante, exótico. Não imagino um turismo num matadouro ou sanatório, você imagina ?.
Leia esssa materia:
San Pedro Cutud (Filipinas) - Pelo menos 30 pessoas pediram para ser crucificadas hoje em vários povoados do norte das Filipinas, enquanto dúzias de flagelantes percorrem as ruas com as cabeças cobertas e as roupas ensangüentadas por ocasião das celebrações da Sexta-Feira Santa.
Em San Pedro Cutud, onde as crucificações se transformaram em um acontecimento anual que atrai milhares de turistas, 20 pessoas estavam dispostas a percorrer os dois quilômetros com a cruz nas costas para depois serem pregadas nela.

Um dos mais conhecidos é o carpinteiro Ruben Enage, de 47 anos, que hoje será crucificado pela 22ª vez desde 1985.

Enage tinha prometido cumprir a penitência 20 vezes quando se salvou milagrosamente, segundo ele, de uma queda de um andaime, mas cada vez que tentou deixá-lo após cumprir a promessa alguém de sua família caía doente.

"Continuarei fazendo até que meu corpo possa resistir a dor dos pregos de 15 centímetros nas palmas das minhas mãos e pés", assegurou Enage nesta Semana Santa.

Embora as crucificações mais conhecidas sejam as de San Pedro Cutud, a mesma paixão e penitência também é vivida em outras cidades dessa província de Pampanga, como em San Fernando ou em Santa Lúcia.

A hierarquia eclesiástica das Filipinas tinha pedido aos católicos que se abstenham este ano das freqüentes crucificações e flagelações de penitentes para não transformar em um "circo" a Semana Santa.

Abraço amigos e feliz páscoa.
Atualizar: Devemos torturar sem clemência é nosso orgulho, nossa hipocrisia, nosso espírito indolente e acomodado. Isso sim.
21 respostas 21