O que basicamente um diabético NÃO pode comer?

Seguir
  • Seguir de forma pública
  • Seguir de forma privada
  • Deixar de seguir
Dentre as comidas mais simples: feijão, arroz, salada, carne, ovos, leite, etc. Alguem me indica um site sobre o assunto.
Melhor resposta
Um dos clichês mais famosos em relação ao diabetes é o de que a dieta é a pedra angular do tratamento. Muitos pacientes portadores de diabetes não insulino-dependente conseguem manter-se perfeitamente compensados apenas com dieta e eventualmente aumento de exercícios físicos. A grande maioria dos pacientes portadores de diabetes tipo II, não insulino-dependentes, são obesos. O segundo fato importante é que nos pacientes obesos a ação da insulina é prejudicada em muitos aspectos, essa ação melhora dramaticamente quando o paciente perde peso. Uma vez que a resistência à insulina é uma das alterações fundamentais do diabetes tipo II, a abordagem terapêutica mais racional para esses pacientes é implementar uma perda de peso, baseada em dieta apropriada. Só existem duas maneiras de perder peso, consumir menos calorias e aumentar o exercício físico. O resto é o resto.

O plano dietético do diabético consiste em uma dieta normal modificada, com restrição de hidratos de carbono. No diabético obeso a quantidade de calorias é restrita, de forma a permitir perda de peso. Se o indivíduo tem peso normal, deve manter as calorias. Se o paciente tiver outros problemas, que não raro se associam ao diabetes, como aumento de ácido úrico, lípides ou hipertensão, terá que adaptar sua dieta pois, também essas condições exigem restrições alimentares. Os alimentos são a principal fonte de energia para o organismo. Seu valor energético é medido em calorias. A quantidade de calorias necessária varia muito de indivíduo a indivíduo. Disciplina é fundamental no controle do diabetes. É importante o estabelecimento de horários e hábitos alimentares regulares.

Hidratos de carbono

Dividem-se em dois grupos:
* Hidratos de carbono simples
* Hidratos de carbono complexos

Os hidratos de carbono simples necessitam de uma digestão mínima e são absorvidos diretamente, de tal maneira que quando ingeridos, os níveis de glicemia sobem rapidamente. Portanto alimentos desse grupo devem ser evitados. Exemplos de hidratos de carbono simples: açúcar, mel, geleia, compotas, marmelada, suco de frutas industrializado, refrigerantes, gelatina, doces, chocolate, cerveja, frutas em conserva, tortas, massas, biscoitos doces, pudins, etc.

Os hidratos de carbono complexos necessitam de uma digestão mais elaborada, sendo absorvidos mais lentamente, de tal forma que a glicemia não sobe tão rapidamente. Estes alimentos podem ser ingeridos com moderação, em quantidades equilibradas e divididas ao longo do dia. Exemplos de hidratos de carbono complexos: pão, bolacha de água e sal, cereais matinais não adoçados, mingau de aveia, legumes, macarrão e massas em geral, arroz, feijão, farinhas, sopas, vegetais ricos em amido como batata, milho, etc. Deve-se ter cautela com alimentos dietéticos, light, especiais para diabéticos, etc. Muitos, como chocolate dietético, por exemplo, não oferecem vantagens, não são livres de açúcar e induzem o diabético a pensar que pode ingeri-los livremente. Deve-se sempre ler os rótulos e conferir os ingredientes antes de consumir esse tipo de alimento. Alimentos e bebidas que empregam adoçantes artificiais podem ser utilizados com moderação. Aqui se inclui gelatinas, refrigerantes e sucos de frutas. Frutas comuns enlatadas e alimentos adoçados com sacarose, glicose, xilitol, lactose e sorbitol devem ser ingeridos com precaução, uma vez que têm hidratos de carbono simples de fácil absorção.

Fibras

Muitos alimentos, particularmente aqueles de origem vegetal, são ricos em fibras, que facilitam a passagem dos alimentos através do estômago e intestino. Uma dieta rica em fibras é ótima para a saúde. Exemplo de alimentos ricos em fibras: pão integral, arroz integral, frutas cruas, incluindo a pele sempre que possível, vegetais frescos e vegetais cozidos com a casca, legumes, cereais integrais, etc. Uma dieta rica em fibras também é útil ao ajudar o organismo a diminuir os níveis de colesterol.

Proteínas

São necessárias para a manutenção e crescimento das células. Sua ingestão é fundamental, porém não precisa ser exagerada. Exemplos de alimentos ricos em proteínas: carne, leite e derivados e ovos.

Gorduras

As gorduras representam a maior concentração de calorias em qualquer dieta. Enquanto 1 g de carboidratos ou proteínas tem 4 Kcal, 1 g de gordura tem 9 Kcal e para o diabético, manter o peso estável é fundamental. Existem dois tipos fundamentais de gorduras, as saturadas e as insaturadas. As saturadas devem ser evitadas, seu uso não ultrapassando 10% das calorias ingeridas, pois são as responsáveis por aumentos consideráveis nos níveis do colesterol sérico, principalmente na fração LDL, incrementando o risco cardiovascular (que leva ao infarto, por exemplo).
Geralmente alimentos de origem animal como carne, leite e derivados e gema de ovo, bem como alguns de origem vegetal como coco, amendoim, nozes, amêndoas e assemelhados e frutas secas são ricos em gordura saturada. Carnes vermelhas têm mais gordura do que carnes brancas, de frango ou peixe.

Alguns alimentos como camarão, caranguejo, lagosta e outros crustáceos, embora pobres em gordura, são ricos em colesterol. Outras fontes ricas em colesterol são as vísceras. O preparo dos alimentos desempenha papel importante no consumo de gorduras. Alimentos assados, cozidos ou grelhados são mais saudáveis. Durante a fritura, a alta temperatura aumenta o teor de gorduras saturadas. No preparo das carnes, deve-se tomar o cuidado de retirar a gordura ou a pele do frango ou peixe antes do cozimento. Já as gorduras insaturadas são aquelas de origem vegetal. É fácil distinguir entre os dois tipos de gorduras: as saturadas são sólidas em temperatura ambiente, enquanto as insaturadas são líquidas. Os óleos líquidos à temperatura ambiente, são ricos em gorduras insaturadas, possuindo baixo teor de gordura saturada, podendo contribuir para uma redução dos níveis de colesterol sérico. Exemplos desses óleos são os de canola, milho, girassol, soja e oliva.

Deve-se preferir usar leite desnatado e derivados de leite, como queijo, por exemplo, também obtidos a partir de leite desnatado (queijos brancos e ricota).

O diabético, uma vez que tenha compreendido bem sua dieta, pode comer normalmente em restaurantes. Deve evitar alimentos desconhecidos cujos ingredientes desconheça e, obviamente, aqueles contra-indicados ao diabetes. Da mesma forma, pode e deve comparecer a festas e comemorações. Principalmente as crianças, que não devem se sentir diferentes ou excluídas pelo fato de serem diabéticas. A criança diabética deve ser instruída a dar preferencia aos salgados e salgadinhos, evitando os doces e balas. A mãe pode levar de casa, ou combinar com quem dá a festa para que providencie refrigerantes, gelatina e até algum docinho dietético. É sempre importante, após esses eventos, determinar o valor da glicemia e administrar 1 dose extra de insulina de ação rápida, conforme orientação do médico, em caso de necessidade.

Beijo

Consulte o site: http://www.geocities.com/hotsprings/vill...
  • 2
  • Comentário

Outras respostas (10)

Classificada como mais alta
  • Classificada como mais alta
  • Mais antigo
  • Mais recente
  • am_moreirasouza respondido 6 anos atrás
    Talvez a explicação abaixo ajude você:

    Mitos e verdades
    Muitas pessoas acreditam que o fato de um alimento ser natural significa que é seguro e eficiente. Vejamos alguns exemplos de mitos e verdades a respeito deles.

    Mitos
    Diabético não pode comer beterraba;
    Diabético não pode comer batata e arroz junto;
    Diabético não pode comer arroz e macarrão;
    O diabético não deve comer caqui, pois é muito doce;
    Substituir o leite por café;
    Caldo de cana e água de coco são naturais, portanto o diabético pode beber a vontade;
    Água tônica é amarga e o diabético pode beber sem problemas;
    Suco de fruta é natural, portanto o diabético deve usar e abusar;
    Açúcar causa diabetes;
    Não beber refrigerante dietético;
    Beber muita água dá diabetes;
    O diabético não pode comer aipim e nem farofa;
    Banana faz mal ao diabético;
    Mel e açúcar mascavo são naturais. Sendo assim, diabético pode usar;
    Fritura faz mal, mas se utilizada margarina light não;
    Verdades
    0s três maiores nutrientes da nossa alimentação são:
    Carboidratos (glicídeos);
    Proteínas;
    Lipídeos (gorduras).
    Todos formam glicose no nosso organismo.

    100% dos carboidratos ingeridos formam glicose;
    35% das proteínas formam glicose;
    10% das gorduras ingeridas irão formar glicose.
    Para manter a taxa de açúcar ou glicemia constante no sangue é necessário uma unidade de insulina para cada 15g de carboidrato.

    Os glicídeos podem ser divididos em três grupos:
    1) Monossacarídeos - são os açúcares simples, que não necessitam sofrer qualquer transformação para serem absorvidos pelo organismo. Exemplo:

    Glicose, dextrose - é encontrada no milho, na uva, no mel e em certas raízes;
    Frutose - é o açúcar das frutas;
    Galactose - faz parte da lactose.
    2) Dissacarídeos - são os açúcares duplos ou combinações de açúcares simples. Temos nesse grupo:

    Sacarose {glicose + frutose} - é encontrado no açúcar de cana, da beterraba açucareira e no mel;
    Lactose {glicose + galactose} - é o açúcar do leite;
    Maltose {glicose + glicose} - é o açúcar do malte e da cevada.
    3) Polissacarídeos - são os carboidratos mais complexos compostos de muitas unidades de monossacarídeos. São eles:

    Amido - encontra-se armazenado nas sementes, nas raízes, nos tubérculos, nas frutas, no caule e folhas de vegetais;
    Pectina - não é digerível e encontra-se nas frutas;
    Celulose - é um polissacarídeo resistente às enzimas digestivas, mas podem sofrer ação das bactérias intestinais;
    Glicogênio - é a forma sob a qual a glicose se armazena no organismo humano.
    A principal função dos glicídeos é proporcionar energia.
    E isso só acontece se tiver insulina. De 50 a 60% do Valor Energético Total (VET) diário, ingerido por um indivíduo, devem ser compostos de glicídeos. Dez a 15% de proteínas e menos de 30% de lipídeos. Temos, então, um total igual a 100%. Isto é uma alimentação equilibrada, balanceada que todo ser humano necessita. Inclusive o portador de diabetes.

    Em um VET de 2 mil kilocalorias diários, 300 gr são de glicídeos que deverão ser distribuídos ao longo do dia em cinco ou seis refeições diárias. Tudo para não se ter muito mais glicídeos em uma refeição do que em outra. E respeitar também o esquema de insulinização e ou hipoglicimiante oral adotados, a fim de evitar flutuações na glicemia.

    Se privilegiar-se o uso de glicídeos de rápida absorção, será necessário o uso de insulina de ação rápida. Caso contrário, a glicemia sobe (hiperglicemia) e a insulina engorda, não valendo a pena usar glicídeos de rápida absorção. Este exemplo é válido em tese, mas não aplica na prática.

    Se usar mais glicídeos do que se deve (acima de 50% a 60%), ele será estocado como gordura, causando um aumento de peso. Cria-se um desequilíbrio alimentar que irá repercutir na saúde do indivíduo.

    É importante lembrar que a alimentação deve ser adequada em micronutrientes (vitaminas, minerais e oligoelementos). Esse equilíbrio não pode ser rompido.

    Como vimos, não se trata do pode comer e do não pode comer e, sim, de selecionar alimentos para uma alimentação quantitativamente suficiente, qualitativamente completa, além de harmoniosa em seus componentes.

    Acompanhe o quadro de respostas dos mitos:

    Diabético não pode comer beterraba. (Falso)
    Cada100 gr de beterraba contém 9,5 gr de glicídeos. O mesmo que a cenoura.

    Diabético não pode comer batata e arroz junto. (Falso)
    Pode, desde que esteja contemplado dentro de sua cota de carboidrato daquela refeição.

    Diabético não pode comer arroz e macarrão. (Falso)
    Pode, desde que esteja dentro da cota de carboidrato da refeição.

    O diabético não deve comer caqui, pois é muito doce. (Falso)
    Pode, desde que se respeite a cota de carboidratos.

    Substituir o leite por café. (Falso)
    O leite é fonte de proteína e cálcio. O certo seria substituí-lo por coalhada, iogurte ou queijo. Já o café pode ser substituído pelo chá preto ou pelo mate.

    Caldo de cana e água de coco são naturais, portanto o diabético pode beber a vontade. (Falso e Verdadeiro)
    Para consumir caldo de cana, necessita-se de insulina de ação rápida, que é utilizado por quem faz uso de bomba de infusão contínua de insulina. Requer estar em ótimo controle glicêmico, liberado portanto pelo médico. Não é aconselhável por seu difícil manejo e por não trazer benefícios maiores à saúde do que outros alimentos trazem.

    Já a água de coco não pode ser ingerida a vontade. A não ser que esteja dentro da cota de carboidrato.

    Água tônica é amarga e o diabético pode beber sem problemas. (Falso e Verdadeiro)
    É o mesmo caso do caldo de cana. Para bebê-la, necessita-se de insulina de ação rápida, utilizado por quem faz uso de bomba de infusão contínua de insulina. Requer estar em ótimo controle glicêmico. Não é aconselhável por seu difícil manejo e por não trazer benefícios maiores à saúde do que outros alimentos trazem.

    Suco de fruta é natural, portanto o diabético deve usar e abusar. (Falso)
    Pode-se usar, mas não abusar. É importante não esquecer de verificar a cota de carboidrato antes.

    Açúcar causa diabetes. (Falso)
    O uso de açúcar não causa diabetes. Mas sendo diabético, seu uso depende de insulina de ação rápida e pode ser usado em quadros de hipoglicemia. Nestes casos, apenas para quem faz uso de bomba de infusão contínua de insulina, estando bem monitorado e com a glicemia controlada.

    Não beber refrigerante dietético (Falso)
    Pode-se confiar nos refrigerantes dietéticos.

    Beber muita água dá diabetes. (Falso)
    Não. A hiperglicemia ou o alto índice de açúcar no sangue é que provoca a sede. A sensação de estar com muita sede ou a polidpsia faz com que se beba muita água. Este quadro leva a poliúria (urinar muito e freqüentemente). Estes são sintomas de diabetes malcontrolado.

    O diabético não pode comer aipim e nem farofa. (Falso)
    Pode, desde que esteja dentro da cota de carboidrato de uma refeição.

    Banana faz mal ao diabético. (Falso)
    Não. O diabético pode comer banana, desde que respeite a cota de carboidrato.

    Mel e açúcar mascavo são naturais. Sendo assim, diabético pode usar (Falso e Verdadeiro)
    O uso de açúcar mascavo e mel depende de insulina de ação rápida, pode ser usado em casos de hipoglicemia e em quem faz uso de bomba de infusão contínua de insulina. Mas precisa-se estar bem monitorado e com a glicemia controlada. Não é aconselhável o uso por seu difícil manejo e por não trazer benefícios maiores à saúde do que outros alimentos.

    Fritura faz mal, mas se utilizada margarina light não. (Falso)
    Se a fritura estiver dentro de cota de lipídeos (gorduras) é permitido. Mas se extrapolar a cota, não deve-se comer.
    • 1
    • Comentário
  • claudinha respondido 6 anos atrás
    A dieta do diabético deve ser uma dieta normal , com restrição de carboidratos e acucar [glicose].. Se o paciente tiver outros problemas,hipertensão obesidade cardiopatias que geralmente estão associadas ao diabetes , terá restrições alimentares. indicada pelo nutricionista
    • Taxa
    • Comentário
  • CROWN respondido 6 anos atrás
    Sou diabetica há 35 anos, indico à você os seguintes sites:
    - diabetenet.com.br
    - portaldiabetes.com.br
    -anad.org.br
    -diabetes.org.br
    - diabetic-center.com.br
    Se tiver alguma duvida entre em contato, o meu e-mail é bell.madeira@gmail.com
    • Taxa
    • Comentário
  • ѕσяαια respondido 6 anos atrás
  • danillo respondido 6 anos atrás
    Somente evitar açucar (sacarose, glicose e maltose)!!!
    • 1
    • Comentário
  • MLM respondido 6 anos atrás
    Evite qq alimento que contenha carbohidrato pq eles se transformam em glicose dentro do seu organismo, por exemplo: arroz, batata, massas e outros farináceos, isso sem falar em doces. Vá no google e digite diabetes e aparecerá muitos sites.
    • Taxa
    • Comentário
  • potranto2000 respondido 6 anos atrás
    Na dúvida, o melhor que pode fazer para diabetes atravéz da alimentação é não consumir nada de carboidratos.

    Fonte(s):

    Experiência própria.
    • 1
    • Comentário
  • branco respondido 6 anos atrás
    A indigo Gi respondeu corretamente, mas deve-se evitar sobretudo açucar de cana de açucar, mesmo o mascavo, mel. Cuidar na ingerição de carbohodratos comer menos por refeição e fazer 6 refeições. Seu medico e nutricionista lhe receitará a dieta ideal e cada caso é um caso. Pode-se até ingerir uma fatia de torta mas dai deve-se cortar o pão em seu lugar. Não comer muito numa refeição, beber b astante agua ou cha, e fazer exercicios. Deve-se controlar a clicose, com aparelhos que façam a medição.Pode-se comer de tudo que não contenha açucar de cana. Feijão, arroz se prefere o integral ou parabolizado, muita salada verde, ovos,leite se não tiver problema com lactose. pão integral ou de centeio sem açucar. Mas deve-se limitar as fatias de pão, cuidado com massas. Frutas pode usar todas mas também com moderação .Sobremesas chas e café adoçadas com adoçantes. Pena que os produtos dieteticos sejam tão caros. Tomar os remedios em hora certa. Fazer exames medicos periodicamente pelo menos de 6 em 6 meses, medir a clicose diariamente. cuidar da pressão e do peso.
    • Taxa
    • Comentário
  • Sign In 

    para adicionar sua resposta

  • téka :) respondido 6 anos atrás
    se você gosta de comer uma colher de açúcar por dia é bom parar porque isso te fará mal :b
    • 1
    • Comentário

Quem está seguindo esta pergunta?

    %
    MELHORES RESPOSTAS
    Membro desde:
    Pontos: Pontos: Nível
    Total de respostas:
    Pontos nesta semana:
    Seguir
     
    Deixar de seguir
     
    Bloquear
     
    Desbloquear