Em que situações utiliza-se "a" com crase: à?

7 Respostas

Classificação
  • Lv 7
    Há 1 década
    Resposta favorita

    antes de palavras femininas e no lugar de "para"

  • Anônimo
    Há 1 década

    artigo "a" + preposição "a" = à

    é como artigo "o" + preposição "a" = ao

    Observação geral de Crase: Sempre haverá crase quando a oração se refere a alguém ou a alguma coisa.

  • Há 1 década

    Crase é a fusão (ou contração) de duas vogais idênticas numa só. Em linguagem escrita, a crase é representada

    pelo acento grave.

    Exemplo:

    Vamos à cidade logo depois do almoço.

    a + a

    prep. art.

    Observe que o verbo ir requer a preposição a e o substantivo cidade pede o artigo a.

    Não é somente a contração da preposição a com o artigo feminino a ou com o pronome a e o a inicial

    dos pronomes aquele(s), aquela(s), aquilo que passa pelo processo da crase. Outras vogais idênticas são também

    contraídas, visto ser a crase um processo fonológico. Exemplos:

    leer ler

    door dor

    Ocorrência da crase

    1. Preposição a + artigos a, as:

    Fui à feira ontem.

    Paulo dedica-se às artes marciais.

    OBSERVAÇÕES

    a) Quando o nome não admitir artigo, não poderá haver crase:

    Vou a Campinas amanhã.

    Estamos viajando em direção a Roma.

    No entanto, se houver um modificador do nome, haverá crase:

    Vou à Campinas das andorinhas.

    Estamos viajando em direção à Roma das Sete Colinas.

    b) Ocorre a crase somente se os nomes femininos puderem ser substituídos por nomes masculinos, que admitam

    ao antes deles:

    Vou à praia.

    Vou ao campo.

    As crianças foram à praça.

    As crianças foram ao largo.

    Portanto, não haverá crase em:

    Ela escreveu a redação a tinta.

    (Ela escreveu a redação a lápis.)

    Compramos a TV a vista.

    (Compramos a TV a prazo.)

    2. Preposição a + pronomes demonstrativos aquele(s), aquela(s), aquilo:

    Maria referiu-se àquele cavalheiro de terno cinza.

    Depois nos dirigimos àquelas mulheres da Associação.

    Nunca me reportei àquilo que você disse.

    3. Na indicação de horas:

    João se levanta às sete horas.

    Devemos atrasar o relógio à zero hora.

    Eles chegaram à meia-noite.

    4. Antes de nomes que apresentam a palavra moda (ou maneira) implícita:

    Adoro bife à milanesa.

    Eles querem vitela à parmigiana.

    Ele vestiu-se à Fidel Castro.

    Ele cortou o cabela à Nero.

    5. Em locuções adverbiais constituídas de substantivo feminino plural:

    Pedrinho costuma ir ao cinema às escondidas.

    Às vezes preferimos viajar de carro.

  • Há 1 década

    Para saber se ocorre ou não a crase, basta seguir três regras básicas:

    01) Só ocorre crase diante de palavras femininas, portanto nunca use o acento grave indicativo de crase diante de palavras que não sejam femininas.

    Ex. O sol estava a pino. Sem crase, pois pino não é palavra feminina.

    Ela recorreu a mim. Sem crase, pois mim não é palavra feminina.

    Estou disposto a ajudar você. Sem crase, pois ajudar não é palavra feminina.

    02) Se a preposição a vier de um verbo que indica destino (ir, vir, voltar, chegar, cair, comparecer, dirigir-se...), troque este verbo por outro que indique procedência (vir, voltar, chegar...); se, diante do que indicar procedência, surgir da, diante do que indicar destino, ocorrerá crase; caso contrário, não ocorrerá crase.

    Ex. Vou a Porto Alegre. Sem crase, pois Venho de Porto Alegre.

    Vou à Bahia. Com crase, pois Venho da Bahia.

    Obs.: Não se esqueça do que foi estudado em Artigo.

    03) Se não houver verbo indicando movimento, troca-se a palavra feminina por outra masculina; se, diante da masculina, surgir ao, diante da feminina, ocorrerá crase; caso contrário, não ocorrerá crase.

    Ex. Assisti à peça. Com crase, pois Assisti ao filme.

    Paguei à cabeleireira. Com crase, pois Paguei ao cabeleireiro.

    Respeito as regras. Sem crase, pois Respeito os regulamentos.

    Casos especiais:

    01) Diante das palavras moda e maneira, das expressões adverbiais à moda de e à maneira de, mesmo que as palavras moda e maneira fiquem subentendidas, ocorre crase.

    Ex. Fizemos um churrasco à gaúcha.

    Comemos bife à milanesa, frango à passarinho e espaguete à bolonhesa.

    Joãozinho usa cabelos à Príncipe Valente.

    02) Nos adjuntos adverbiais de modo, de lugar e de tempo femininos, ocorre crase.

    Ex. à tarde, à noite, às pressas, às escondidas, às escuras, às tontas, à direita, à esquerda, à vontade, à revelia...

    03) Nas locuções prepositivas e conjuntivas femininas ocorre crase.

    Ex. à maneira de, à moda de, às custas de, à procura de, à espera de, à medida que, à proporção que...

    04) Diante da palavra distância, só ocorrerá crase, se houver a formação de locução prepositiva, ou seja, se não houver a preposição de, não ocorrerá crase.

    Ex. Reconheci-o a distância.

    Reconheci-o à distância de duzentos metros.

    05) Diante de pronomes possessivos femininos, é facultativo o uso do artigo, então, quando houver a preposição a, será facultativa a ocorrência de crase.

    Ex. Referi-me a sua professora.

    Referi-me à sua professora.

    06) Após a preposição até, é facultativo o uso da preposição a, portanto, caso haja substantivo feminino à frente, a ocorrência de crase será facultativa.

    Ex. Fui até a secretaria.

    Fui até à secretaria.

    07) A palavra CASA:

    A palavra casa só terá artigo, se estiver especificada, portanto só ocorrerá crase diante da palavra casa nesse caso.

    Ex. Cheguei a casa antes de todos.

    Cheguei à casa de Ronaldo antes de todos.

    08) A palavra TERRA:

    Significando planeta, é substantivo próprio e tem artigo, conseqüentemente, quando houver a preposição a, ocorrerá a crase; significando chão firme, solo, só tem artigo, quando estiver especificada, portanto só nesse caso poderá ocorrer a crase.

    Ex. Os astronautas voltaram à Terra.

    Os marinheiros voltaram a terra.

    Irei à terra de meus avós.

  • O que você acha das respostas? Você pode entrar para votar em uma resposta.
  • Anônimo
    Há 4 anos

    A Com Crase

  • Anônimo
    Há 1 década

    crase - Contração do artigo definido feminino a com a preposição a. Em vez de se grafar aa, grafa-se à. A pronúncia correta é a. Só se usa crase quando uma palavra (substantivo ou adjetivo) exigir a preposição a e houver um substantivo feminino que admita o artigo a ou as: Vou à escola.

    Assim, é erro grave colocar crase antes de nomes masculinos ou verbos ou pronomes, pois esses termos (salvo em raras exceções) não admitem artigo feminino. Estão erradas as construções: Vou à pé, ele está à sair, entrega à domicílio, venda à prazo, direi à ela, não contou à ninguém. Também não se usa crase quando a preposição a estiver seguida de palavra no plural: discursou a autoridades, presta socorro a vítimas. O mesmo vale para expressões em que já houver uma preposição antes da preposição a: foram até a praça, ficaram até as 19h.

    Há uma regra geral que dá conta da maioria dos casos: troque a palavra feminina por outra masculina. Se na substituição for usada a contração ao, haverá crase. Caso contrário, não: estar à janela porque se diz estar ao portão; às três horas porque se diz aos 42 minutos; entregou o documento a essa mulher porque não se diz entregou o documento ao esse homem; assistiu a uma boa peça porque não se diz assistiu ao um bom filme.

    Em algumas poucas expressões é difícil substituir o termo feminino por outro masculino. Nesses casos, troque o a por uma outra preposição e veja se o artigo sobrevive: O carro virou à direita porque se diz O carro virou para a direita.

    A substituição do feminino pelo masculino também não funciona para nomes de países ou cidades. Para saber se ir a Roma leva crase, substitua os verbos ir ou chegar por vir ou voltar. Se o resultado for a palavra da, haverá crase: Vou à França porque volto da França, mas vou a Roma porque volto de Roma.

    Casos especiais:

    a) Há crase antes de palavras masculinas se estiver subentendida a expressão à moda de ou à maneira de: móveis à Luís 15, filé à Chateaubriand. Também se pode dizer Vou à João Mendes. Neste caso, está subentendido o termo praça.

    b) A crase também deve ser usada em locuções adverbiais com termos femininos: às vezes, às pressas, à primeira vista, à medida que, à noite, à custa de, à procura de, à proporção que, à toa, à uma hora (uma é numeral e não artigo indefinido). Nestes casos, a regra geral de substituir por palavra masculina não funciona.

    c) Em outras locuções, como à vela, à bala, à mão, à máquina, à vista o uso da crase é optativo. Serve para esclarecer o sentido da frase. Receber a bala pode significar receber a bala no corpo ou receber os visitantes à bala. Aqui também não funciona a regra geral de substituir por palavra masculina.

    d) Nomes de países ou cidades femininos que normalmente repelem o artigo levam crase se estiverem qualificados: Voltou à Roma de César; Viajou à bela Paris.

    < e) É possível usar crase em pronomes demonstrativos aquele, aquilo, aquela, a, as: Ele não se referiu àquele deputado; O presidente se dirigiu àquela casa; O padre nunca se adaptou àquilo; A capitania de Minas Gerais estava ligada à de São Paulo; Falarei às que quiserem me ouvir. Haverá crase se houver necessidade do uso de preposição antes do pronome.

    crente - Não use para designar o fiel de qualquer religião ou seita. Indique sempre a que igreja a pessoa pertence.

    Fonte(s): MANUAL DE REDAÇÃO E ESTILO DA FOLHA DE SÃO PAULO
  • Anônimo
    Há 1 década

    ele é um verbo de ligação

Tem mais perguntas? Obtenha suas respostas perguntando agora.