Anônimo
Anônimo perguntou em SaúdeDoenças e PatologiasDoenças de Pele · Há 1 década

O q é emanjoma?

6 Respostas

Classificação
  • M.M
    Lv 7
    Há 1 década
    Resposta favorita

    Um hemangioma clássico é uma lesão vermelha visível na pele, que pode ser superficial (nas camadas superiores, chamado de hemangioma capilar), profundo (hemangioma cavernoso) ou uma mistura dos dois. Os hemangiomas normalmente aparecem ao nascimento, embora possam aparecer alguns meses após o nascimento, freqüentemente iniciando em um local que parece estar ligeiramente escurecido ou com coloração diferente da pele circunvizinha.

    Os hemangiomas, quer sejam profundos ou superficiais, passam por uma fase de crescimento rápido onde volume e tamanho aumentam rapidamente. Esta fase é seguida de uma fase de repouso, onde o hemangioma se altera muito pouco e de uma fase de involução, onde o hemangioma passa por uma regressão. Durante a fase de involução, os hemangiomas podem desaparecer por completo. Os hemangiomas cavernosos grandes deformam a pele ao seu redor e apesar de uma involução completa, irão deixar alterações visíveis na pele. O hemangioma capilar mais superficial pode involuir completamente, não deixando nenhuma evidência de sua presença.

    Os hemangiomas podem aparecer em qualquer parte do corpo. Entretanto, eles perturbam mais os pais quando estão na face ou na cabeça dos bebês. Os hemangiomas das pálpebras interferem no desenvolvimento de uma visão normal e devem ser tratados logo nos primeiros meses de vida. Em raras ocasiões, o tamanho e a localização dos hemangiomas podem interferir na respiração, na alimentação ou em outras funções vitais. Estas lesões também requerem tratamento imediato.

    Os hemangiomas cavernosos grandes podem desenvolver infecções secundárias e formar úlceras. O sangramento não é comum, mas pode ser significativo após uma lesão do hemangioma.

    Sintomas:

    lesão vascular vermelha a roxo avermelhada na pele

    possivelmente tumor vascular marcadamente elevado, massivo

    Sinais e exames:

    Os hemangiomas são diagnosticados por exames físicos. No caso de lesões mistas ou profundas, uma tomografia computadorizada ou uma ressonância magnética podem ser realizadas para se assegurar que as estruturas mais profundas não estejam envolvidas. Em algumas ocasiões, o hemangioma pode estar associado a outras síndromes raras. Estudos complementares podem ser realizados para determinar a presença de algumas destas síndromes.

    Tratamento:

    Os "hemangiomas tipo morango" superficiais normalmente não são tratados pois o tratamento pode gerar um defeito cosmético. A involução espontânea da lesão deixa a pele com aparência normal. Em alguns casos, pode-se usar laser para erradicar os vasos pequenos. Os hemangiomas cavernosos que envolvem a pálpebra e obstruem a visão normalmente são tratados com injeções de esteróides ou tratamento a laser, que reduz rapidamente o tamanho das lesões permitindo o desenvolvimento normal da visão.

    Quando apropriado, os hemangiomas cavernosos ou hemangiomas mistos são tratados com esteróides orais e injeções de esteróides diretamente no hemangioma. Recentemente, os lasers tem sido utilizados para reduzir o volume dos hemangiomas. Os lasers que emitem uma luz amarela podem danificar de maneira seletiva os vasos no hemangioma sem danificar a camada superficial da pele. Os lasers YAG recuperam a pele tratando o hemangioma de dentro para fora, usando um sistema de liberação de fibra vidro. Alguns médicos estão utilizando combinações de injeção de esteróide e terapia a laser.

    Expectativas (prognóstico):

    Os hemangiomas superficiais pequenos podem involuir completamente.

    Os hemangiomas cavernosos grandes devem ser avaliados por um médico e tratados de maneira adequada.

    ok

  • Há 1 década

    Um hemangioma é um crescimento, generalmente benigno, dos vasos sanguíneos

    O termo hemangioma é usado para denominar genericamente um grupo extenso de lesões vasculares que devem ser melhor chamados de tumores vasculares da infância ou angiodisplasias. Os tumores vasculares são os tumores mais freqüentes da infância com incidência de 3-5 para cada 100 nascimentos.

    São lesões benignas que aparecem nos primeiros meses de vida e, em alguns casos, podem desaparecer até os 7-10 anos de idade. São extremamente variáveis na sua forma de apresentação clínica. A grande maioria é constituida de pequenas lesões vinhosas sem maior repercussão para a vida do paciente e são considerados pelos familiares como "manchas de nascença". Portanto este é o grupo de crianças, cerca de 85%, para os quais casos adotamos conduta expectante. Cerca de 15% dos tumores vasculares se comportam de maneira a requerer intervenção.

    Fonte(s): Mais no link abaixo: http://www.hemangioma.com.br/
  • Há 1 década

    O termo hemangioma é usado para denominar genericamente um grupo extenso de lesões vasculares que devem ser melhor chamados de tumores vasculares da infância ou angiodisplasias. Os tumores vasculares são os tumores mais freqüentes da infância com incidência de 3-5 para cada 100 nascimentos.

    São lesões benignas que aparecem nos primeiros meses de vida e, em alguns casos, podem desaparecer até os 7-10 anos de idade. São extremamente variáveis na sua forma de apresentação clínica. A grande maioria é constituida de pequenas lesões vinhosas sem maior repercussão para a vida do paciente e são considerados pelos familiares como "manchas de nascença". Portanto este é o grupo de crianças, cerca de 85%, para os quais casos adotamos conduta expectante. Cerca de 15% dos tumores vasculares se comportam de maneira a requerer intervenção.

  • Há 1 década

    INTRODUÇÃO

    Hemangiomas são pequenos tumores benignos formados por vasos sanguíneos enovelados. Surgem durante a formação do embrião, antes do nascimento, podendo ocorrer em diversos órgãos, entre eles a pele e o fígado. Manchas de nascimento vermelhas normalmente são causadas por hemangiomas na pele.

    Em geral, o hemangioma permanece inalterado após o nascimento, podendo crescer mas raramente causa algum sintoma, principalmente quando está localizado no fígado. Lá, é encontrado geralmente ao acaso, por algum exame (ultrassonografia, tomografia ou ressonância) realizado por outro motivo.

    Os hemangiomas são os tumores benignos do fígado mais comuns, geralmente encontrados em mulheres jovens (pelas ecografias ginecológicas de rotina). Acometem de 0,4 a 7% de toda a população e são múltiplos (mais de um) e 70% dos casos. Geralmente as lesões são pequenas, mas em 10% dos casos podem ultrapassar 5 cm de diâmetro, sendo chamados de gigantes.

    Sintomas são incomuns e, mesmo nas pessoas com sintomas (dor abdominal, empachamento após alimentação, febre, náuseas e vômitos), muitas tem outra doença (como dispepsia) e acabam descobrindo o hemangioma por acaso.

    No entanto, se o hemangioma é muito grande (alguns chegam a ocupar quase todo o fígado), há o risco de que se rompa (após trauma, é raro que se rompa sozinho), gerando hemorragia interna ou que forme coágulos no seu interior, que consomem plaquetas e fatores da coagulação e provocam facilidade de hemorragias em outros órgãos (síndrome de Kasabach-Merrit). Mas mesmo nos hemangiomas gigantes os sintomas são incomuns e o mais comuns são os causados por empurras outras estruturas como o estômago, gerando saciedade precoce.

    Relação dos sintomas com o tamanho da lesão - Mayo Clinic (1980-1987)

    Tamanho (cm)

    No. De pacientes

    Sintomas (%)

    < 4cm

    29

    4 (14)

    4-10 cm

    20

    3 (15)

    >10 cm

    20

    18 (90)

    Total

    69

    25

    A comprovação diagnóstica se faz por exames de imagem. Na ultrassonografia, o aspecto típico é de uma lesão arredondada, hiperecogênica (mais branca), com bordas bem definidas e fluxo sanguíneo ao doppler. A tomografia mostra a lesão captando contraste, geralmente de modo uniforme. A ressonância nuclear magnética mostra uma lesão com hipersinal (mais branca) na fase T2 e hipossinal (mais escuro) na fase T1.

    Ultrassonografia

    Apesar da lesão ser tipicamente uniforme, o padrão de "enchimento" com o contraste pode ajudar a diagnosticar o hemangioma e descartar a possibilidade de câncer. Como um novelo de vasos sanguíneos, o hemangioma torna-se completamente cheio de contraste logo a pós a sua aplicação. Lesões menores "enchem" rapidamente, enquanto que lesões maiores "enchem" mais devagar a partir do centro, com a possibilidade de "falhas de enchimento" causadas por trombose e focos de fibrose.

    Ressonância nuclear magnética do fígado mostrando hemangioma. À esquerda, imagem em T2, mostrando lesão mais clara (seta) e à direita em T1, mostrando imagem escura. "S" é o baço (spleen). fonte

    Outros exames diagnósticos são a cintilografia com Tc99m e hemácias marcadas, a arteriografia e a biópsia hepática. Em alguns casos duvidosos, exames laboratoriais podem ajudar a distinguir hemangiomas de tumores malignos. Mas geralmente o diagnóstico é feito com segurança com apenas dois métodos de imagem, geralmente um deles o ultra-som.

    Geralmente não é necessário nenhum tratamento, apenas observação clínica com exames (geralmente uma ultrassonografia anual ou a cada dois anos é suficiente). Hemangiomas sintomáticos são incomuns, mas gigantes sintomáticos podem exigir tratamento. As principais opções terapêuticas são: ressecção cirúrgica, transplante hepático, ligadura da artéria hepática, embolização, radioterapia e corticoterapia. A escolha do tratamento dependerá de particularidades de cada caso e da experiência e possibilidades do serviço.

    As principais indicações de tratamento são: sintomas, dúvida diagnóstica (em relação a tumores malignos), lesões superficiais maiores que 6cm (pelo risco de rompimento), anemia hiperproliferativa e síndrome de Kasabach-Merrit (pelo consumo de hemácias, plaquetas e fatores de coagulação no interior do hemangioma), rotura e crescimento rápido. O tamanho do hemangioma, em si, não é indicação de tratamento.

    As perspectivas do hemangioma são ótimas. A maioria dos casos é descoberta ao acaso e a pessoa permanece assintomática por toda a vida. Apenas uma minoria necessita de tratamento, que geralmente é cirúrgico e com mortalidade quase zero. Hemangiomas muito grandes podem ser tratados com embolização (obstruindo-se a artéria que leva sangue para ele) com graus variados de sucesso, mas com raras complicações.

    termo hemangioma é usado para denominar genericamente um grupo extenso de lesões vasculares que devem ser melhor chamados de tumores vasculares da infância ou angiodisplasias. Os tumores vasculares são os tumores mais freqüentes da infância com incidência de 3-5 para cada 100 nascimentos.

    São lesões benignas que aparecem nos primeiros meses de vida e, em alguns casos, podem desaparecer até os 7-10 anos de idade. São extremamente variáveis na sua forma de apresentação clínica. A grande maioria é constituida de pequenas lesões vinhosas sem maior repercussão para a vida do paciente e são considerados pelos familiares como "manchas de nascença". Portanto este é o grupo de crianças, cerca de 85%, para os quais casos adotamos conduta expectante. Cerca de 15% dos tumores vasculares se comportam de maneira a requerer intervenção.

    --------------------------------------------------------------------------------

    Classificação

    --------------------------------------------------------------------------------

    As angiodisplasias ou tumores vasculares da infância podem ser divididas em grupos de lesões que apresentam a mesma história natural, aspecto ao exame fisico, histologia e evolução, de acordo com a classificação de Curado;

    Hemangioma Plano Superficial

    Profundo

    Hemangioma Tumoral Fragiforme

    Tuberoso

    Cavernoso

    Síndrome Hemangiomatosa Sindrome de Kasabach-Merrit

    Síndrome de Klippel-Trenaunay

    Síndrome de Sturge-Weber

    --------------------------------------------------------------------------------

    Hemangioma Plano

    --------------------------------------------------------------------------------

    São manchas vinhosas bem delimitadas localizadas na pele e mucosas, presentes desde o nascimento. Podem comprometer extensões variadas desde milimetros até grandes áreas na superfície corpórea. São considerados malformação do tecido vascular e representam um aumento na rede de capilares da derme. Nunca regridem e a partir da segunda década ocorre hipertrofia progressiva das regiões comprometidas com aparecimento de granulomas e nodulações em sua superfície.

    Portanto devem ser tratados.

    Diagnóstico diferencial: Os hemangiomas planos não devem ser confundidos com as manchas róseas freqüentes nos recem-nascidos, comprometendo principalmente pálpebras, glabela e nuca. Estas manchas desaparecem no primeiro ano de vida.

    Tratamento: Atualmente a opção de tratamento para o hemangioma plano com melhor resultado estético é o raio laser. O "Flashlamp-Pumped Pulsed Dye Laser", cujo comprimento de onda coincide com o pico beta da oxihemoglobina é o único que tem a especificidade adequada para o tratamento dos hemangiomas planos da criança, sem causar seqüelas.

    --------------------------------------------------------------------------------

    Hemangioma Tumoral

    --------------------------------------------------------------------------------

    São os hemangiomas que apresentam volume.

    --------------------------------------------------------------------------------

    Hemangioma Fragiforme e Tuberoso

    --------------------------------------------------------------------------------

    Saõ lesões que apresentam comportamento peculiar. Ao nascimento apenas 40% das lesões são detectáveis como pequenas manchas vermelhas ou pequenas teleangiéctasias.

    No primeiro mês de vida apresentam crescimento abrupto em volume e extensão tornando-se elevadas e sua textura lembra a do morango.

    O crescimento abrupto é decorrente de verdadeira proliferação celular aonde encontramos: 1) proliferação de células endoteliais,

    2) espessamento de membrana basal

    e 3) aumento do número de mastócitos.

    Estas alterações demonstram a acorrência de angiogênese. Este tipo de lesão é considerada como o hemangioma verdadeiro, tendo em vista que o sufixo -oma designa proliferação.

    Os fragiformes se originam de um broto angiogênico e tem tendência circular. Situam-se no segmento cefálico em 80% dos casos. Os tuberosos se originam de vários brotos angiogênicos e podem atingir grandes extensões tornando-se uma ameaça à vida principalmente quando ocorre: obstrução de vias aéreas ou digestivas, obstrução de visão, massas grandes e deformantes, ulcerações de difícil controle e quando associados a plaquetopenia - Sindrome de Kasabach-Merritt.

    Tratamento: Sofrem involução a partir do primeiro ano de vida, que se completa até os 7-10 anos. A conduta é expectante em 80% dos casos. As pequenas lesões fragiformes ou tuberosas podem ser ressecadas desde que a remoção não provoque seqüela estética ou funcional. Os hemangiomas tuberosos extensos devem ser abordados rapidamente com as seguintes opções terapeuticas:

    corticoterapia e

    interferon.

    A corticoterapia em altas doses tem a propriedade de acelerar a cicatrização dos ferimentos, interromper o crescimento e corrigir a plaquetopenia. Porém esta ação efetiva só ocorre em 50 a 60% dos casos. O tempo de tratamento deve ser curto devido aos efeitos relacionados a múltipla ação deste glicocorticóide no organismo, levando a Sindrome de Cushing e alterações no crescimento do paciente. É necessário o acompanhamento do endocrinologista.

    Nos casos de não resposta a corticoterapia a melhor opção é o tratamento sistêmico com interferon que tem ação comprovada sobre as células endoteliais. Seu uso prolongado promove diminuição progressiva da lesão, principalmente quando o tratamento é iniciado nos primeiros meses de vida durante a fase de proliferação endotelial. É um grande avanço no tratamento dos hemangiomas que ameaçam a vida. O tratamento com interferon deve ser seguido com monitorização clínico-laboratorial especializada.

    Os hemangiomas fragiformes e tuberosos devem ser abordados para correção das seqüelas após a fase de involução, preferencialmente ainda na idade pré-escolar. Muitas vezes a extensão das lesões exige várias ressecções parceladas de tecido fibro-gorduroso e excesso de pele. O uso do corticóide ou do interferon tem proporcionado a indicação mais precoce da cirurgia reparadora.

    --------------------------------------------------------------------------------

    Hemangioma Cavernoso

    --------------------------------------------------------------------------------

    São tumores formados por ectasias venosas. Localizam-se mais profundamente na derme e também podem comprometer estruturas mais profundas como subcutâneo, músculos, ossos, etc. Podem ser vísiveis como ectasias ou como tumores arroxeados localizados mais profundamente nas partes moles. São malformações que estão presentes desde o nascimento geralmente de forma incipiente e se manifestam clinicamente de forma proporcional ao crescimento da criança ou sob alterações hormonais ou de pressão local. O diagnóstico pode ser clínico nas lesões mais superficiais. As lesões mais profundas vão exigir o auxílio da imagem para confirmação diagnóstica: ultrassonografia, mapeamento com hemácias marcadas, tomografia computadorizada, ressonância magnética ou arteriografia.

    Tratamento:: Nunca involuem e portanto devem ser tratados. As pequenas lesões de face podem ser tratadas com escleroterapia. As lesões com componente arterial importante podem ser tratadas com embolização através da arteriografia superseletiva.

    A cirurgia deve ser indicada somente quando não causar seqüelas funcionais ou estéticas, ou como uma última opção em circunstancias de crescimento progressivo ou lesões sangrantes. A embolização prévia pode auxiliar no controle do sangramento intra-operatório nas ressecções em locais de difícil acesso ou extensas.

    Observação:

    A radioterapia a princípio está contraindicada para o tratamento dos tumores vasculares da infância devido aos efeitos colaterais permanentes, já que contamos com melhores opções terapêuticas.

    O Departamento de Cirurgia Reparadora do Hospital do Câncer - AC Camargo está à disposição para qualquer dúvida.

    que é Hemangioma Plano e qual o seu tratamento?

    26/08/2005

    São manchas vinhosas bem delimitadas localizadas na pele e mucosas, presentes desde o nascimento. Podem comprometer extensões variadas desde milimetros até grandes áreas na superfície corpórea. São considerados malformação do tecido vascular e representam um aumento na rede de capilares da derme. Nunca regridem e a partir da segunda década ocorre hipertrofia progressiva das regiões comprometidas com aparecimento de granulomas e nodulações em sua superfície.

    Portanto devem ser tratados.

    Diagnóstico diferencial: Os hemangiomas planos não devem ser confundidos com as manchas róseas frequentes nos recem-nascidos, comprometendo principalmente pálpebras, glabela e nuca. Estas manchas desaparecem no primeiro ano de vida.

    Tratamento

    Atualmente a opção de tratamento para o hemangioma plano com melhor resultado estético é o raio laser. O "Flashlamp-Pumped Pulsed Dye Laser", cujo comprimento de onda coincide com o pico beta da oxihemoglobina é o único que tem a especificidade adequada para o tratamento dos hemangiomas planos da criança, sem causar seqüelas.

    IMPORTANTE

    Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios.

  • O que você acha das respostas? Você pode entrar para votar em uma resposta.
  • DMC
    Lv 7
    Há 1 década

    Emanjoma é uma palavra que voce inventou (aliás , muito feia).

  • joca
    Lv 4
    Há 1 década

    furunco tumor,

Tem mais perguntas? Obtenha suas respostas perguntando agora.