Qual a importância dos recursos energéticos para o homem?

Seguir
  • Seguir de forma pública
  • Seguir de forma privada
  • Deixar de seguir
Podem ser sites, textos, slides, qualquer coisa
Melhor resposta
os recursos energéticos que podem ser utilizados pelo homem são de dois tipos: não renováveis e renováveis.

Os combustíveis fósseis (petróleo, carvão e gás natural) são recursos não renováveis isto é, um dia se esgotarão completamente; eles também são muito poluidores, pois o seu uso implica muita poluição do ar. Por esses motivos eles estão actualmente em declínio, em especial o petróleo. Assim, o Homem teve a necessidade de encontrar energias alternativas para suprimir as suas necessidades e eliminar os problemas ambientais. Das alternativas possíveis são a energia eólica, solar, hidroeléctrica, geotérmica, marés, ondas, biomassa e biogás.

As fontes de energia estão ligadas ao tipo de economia: quanto mais industrializada ela for, maior será o uso de energia.



Energia Não renovável

Energias Sujas: Nuclear e Combustíveis Fósseis

O Greenpeace é uma instituição que defende a utilização de energias renováveis em substituição às fonte sujas de energia.

Mas, há outras fontes de energia que não são renováveis. Por exemplo, a energia que usamos nos nossos carros não se pode fabricar; os combustíveis fósseis levam milhões de anos para se formarem e não podem ser produzidos de um dia para o outro.

As fontes de energia não renováveis são finitas e esgotam-se (um poço de petróleo não pode ser enchido pois este combustível é resultado de milhões de anos de decomposição orgânica). Uma vez gasta não é possível usá-la de novo, por isso, o melhor é conservar e poupar ao máximo as formas de energia não renovável.

Deves desligar os aparelhos que não estão a ser usados, vistos ou ouvidos e apagar as luzes da sala ou do quarto quando ninguém lá está.

Ao colocar isoladores nas paredes podemos reduzir a quantidade de energia necessária para aquecer ou arrefecer a casa. Isolar a casa é como vestir uma camisola ou casaco quando tens frio; da mesma forma o isolador prende o calor dentro de casa mantendo uma temperatura agradável.

Para fabricar todos os jornais, canos de alumínio, garrafas de plástico e outros bens é necessário gastar muita energia. Através da reciclagem - processo que consiste em triturar ou moer os materiais para voltar a usá-los - os objectos podem ser aproveitados utilizando muito menos energia do que se produzíssemos com matérias primas. Assim, outra forma de poupar energia é através da reciclagem.

Nos veículos automóveis também é possível minimizar o consumo de combustível; por exemplo se os pneus estiverem convenientemente cheios, o carro afinado com ar e óleo limpo andando da forma mais correcta gasta-se menos gasolina. Nunca sobrecarregues o carro, pois quanto mais carga mais difícil é a deslocação e, por isso, gasta mais combustível.

Quando os teus pais comprarem um carro novo diz-lhes para comparar cada modelo e adquirir aquele que gaste menos litros de combustível por km.

Também podes poupar energia na tua escola. Em cada semana a turma pode eleger um encarregado que garanta o racionamento correcto da energia. Implementa uma Patrulha de Energia. Começa por colocar pequenos avisos por cima dos interruptores eléctricos com o seguinte: "Não esquecer de apagar as luzes". Tenta garantir que todos os teus colegas mandam para a reciclagem os canos de alumínio, garrafas, papeis e jornais, etc. Não te esqueças de separar o lixo quando o despejas: o vidro no vidrão e o papel e cartão no papelão.

Energia Nuclear

Em apenas 30 anos, a energia nuclear aumentou a sua participação na produção total de energia elétrica partindo de um valor extremamente pequeno, 0.1%, para um valor substancial de 17%. Para se dar a perspectiva deste desenvolvimento importante a energia hidrelétrica cuja tecnologia vem sendo empregada há cerca de um século participa no balanço elétrico mundial com cerca de 18%, e as perspectivas de um aumento deste valor são limitadas a nível mundial, o que não é o caso da energia nuclear.

Durante os próximos dez anos o desenvolvimento da energia nucleoelétrica no mundo não se igualara ao grande crescimento das duas últimas décadas. As razões para isto são várias e complexas. Cita-se inicialmente um decréscimo da taxa de crescimento da energia elétrica nos países industrializados na última década em conseqüência da diminuição do crescimento econômico. É de se notar que mais de 80% da capacidade instalada em usinas nucleares no mundo está concentrada nos países da OCDE, e serão estes países que continuarão a ditar o crescimento da energia nuclear a nível mundial.

Houve, também, adicionalmente, um aumento das preocupações do público em relação à energia nuclear, Ievando a cancelamentos ou atrasos de usinas nucleares e revisão de programas de expansão. Há fortes sinais de que se inicia uma maior aceitação pelo público da energia nuclear nos dias de hoje, após várias reuniões internacionais especializadas sobre meio ambiente e a constatação de um possível aquecimento do planeta devido ao efeito estufa adicional, em parte causado por fontes térmicas convencionais de geração de energia elétrica

O fenómeno da radioatividade foi descoberto pelo físico francês Henri Becquerel em 1896, quando verificou que sais de urânio emitiam radiação semelhante à dos raios-X, impressionando chapas fotográficas e concluiu que, se um átomo tiver seu núcleo muito energético, ele tenderá a estabilizar-se, emitindo o excesso de energia na forma de partículas e ondas.

Combustíveis fósseis

Existem três grandes tipos de combustíveis fósseis: o carvão, o petróleo e o gás natural. Estes foram formados à milhões de anos atrás na época dos dinossauros, daí o nome de combustível fóssil.

Os combustíveis fósseis são resultado de um processo de decomposição das plantas e dos animais. Ou seja, tudo começa aquando da morte das plantas, dos dinossauros e outras criaturas, segue-se pela decomposição dos corpos enterrados, nas camadas da debaixo da terra. São necessários dois milhões de anos para que estas camadas de matéria orgânica se transformem em pedra preta e dura a que chamamos o carvão, num líquido negro: o petróleo, ou ainda no gás natural.

Podemos verificar que os combustíveis fósseis podem ser encontrados debaixo da terra em muitos locais do nosso planeta. Cada um dos combustíveis fósseis é extraído de diferente maneira. O carvão retira-se de minas profundas através da escavação.

As companhias petrolíferas extraem o petróleo escavando poços muito fundos. O petróleo é então bombeado e trazido para a superfície terrestre (tal como o furo de água existente em algumas das casas campestres). Normalmente são transportados em tanques e barcos próprios até chegar à maioria dos países do mundo (é o que acontece em Portugal, pois quase todo o petróleo é exportado) depois de ser refinado.

Os combustíveis fósseis demoram dois milhões de anos para se formarem. Actualmente os humanos gastam desmesuradamente recursos que se formaram á mais de 65 milhões de anos no tempo dos dinossauros. Uma vez esgotados não é possível fabricá-los e temos que esperar muito tempo para voltarem a existir. Assim, é melhor preservá-los e poupá-los antes que esgotem. Eles não se renovam nem se fabricam.

Como conclusão, como os combustíveis fosseis são mais facilmente gastos que produzidos podem concluir que estes correspondem a recursos energéticos não renováveis.

Curiosidade

• Os combustíveis fósseis foram formados há mais de 65 milhões de anos o que corresponde à idade dos dinossauros

• Portugal não apresenta locais subterrâneos com estes combustíveis (ou seja, não é um país rico em combustíveis fósseis).
bullet

Petróleo

O petróleo é um combustível fóssil de grande importância no nosso dia a dia.

Existem muitos produtos que derivam do petróleo, como por exemplo, os fertilizantes para as quintas, as roupas, a pasta de dentes, as garrafas e canetas de plástico. Quase todos os plásticos têm origem no petróleo.

Nas refinarias o petróleo bruto é separado em vários produtos pelo aquecimento deste espesso combustível. Estes produtos são: a gasolina, o gasóleo, o combustível dos aviões, os óleos, etc.

O petróleo é armazenado em grandes tanques antes de ser distribuído pelo mundo.

Pelas suas reservas concentradas em poucos países, o petróleo é motivo de disputas económicas e conflitos armados. Além disso, é uma das maiores fontes de poluição do ar.

O Oriente Médio continua a ser o principal protagonista na indústria do petróleo.

A região ofusca o resto do mundo em termos de reservas, garantindo sua proeminência no cenário político global. Só a Arábia Saudita possui 25% das reservas comprovadas no mundo.

O Mar do Norte e o Canadá ainda possuem reservas significativas, mas de extracção cara.
bullet

Carvão

O carvão é um combustível fóssil sólido, constituído por restos de plantas que cresceram em pântanos enormes e quentes, durante o período carbónico. Ao morrerem, as plantas caíram para os pântanos e foram enterradas, bem fundo, na lama, formando uma camada compacta de vegetação em decomposição, chamada turfa. Durante milhões de anos, o peso da lama sobrejacente comprimiu a turfa até solidificar. Por fim, o calor e a pressão transformaram-na em carvão.

Existem diferentes tipos de carvão, alguns de melhor qualidade como fonte de energia (os que têm maior percentagem de carbono) e outros de poder calorífero inferior.

A turfa é o que possui menor teor de carbono; a seguir vem a lignite, depois a hulha, que é o tipo mais abundante e mais consumido no mundo (por volta de 80% do total), e por fim a antracite, o mais puro (95% de carbono) mas também o mais raro, representando apenas cerca de 5% do consumo mundial.

O carvão mineral foi importantíssimo do século XVIII ao final do XIX, época da Primeira Revolução Industrial.

Com o desenvolvimento da indústria automobilística – que usa derivados do petróleo como combustíveis e também na fabricação dos pneus e plásticos diversos -, pouco a pouco o carvão foi cedendo lugar ao petróleo como grande fonte de energia mundial. Assim, no final do século XIX, em 1880, 97% da energia consumida no mundo provinha do carvão, mas noventa anos depois, em 1970, somente 12% desse total provinha desse recurso natural; depois da chamada “crise do petróleo”, ocorrida em 1973, a elevação dos preços de petróleo fizeram com que o carvão fosse novamente valorizado, pelo menos em parte, e ele voltou a subir, representando cerca de 25% da energia total consumida no globo nos anos 80 e 90.

Os maiores produtores mundiais actuais desse recurso mineral são a China, os Estados Unidos, a Rússia, o Cazaquistão, a Índia, a Polónia, a Alemanha, a África do Sul e a Austrália.

O carvão é o mais abundante combustível fóssil do mundo.
bullet

Gás Natural

O gás natural é um gás mais leve que o ar, sendo menos poluente do que o carvão ou o petróleo.

Este gás é altamente inflamável e encontra-se em reservatórios subterrâneos perto do petróleo. Desta forma é bombeado e transportado de forma semelhante á do petróleo.

O gás natural não tem odor nem pode ser visto, por isso, antes de ser canalizado por tubos até aos tanques de armazenamento, mistura-se um químico que lhe confere um forte odor parecido com ovos podres. Assim, é facilmente identificada uma fuga de gás.

O gás armazenado nos tanques é distribuído através de tubos até ás casas, fábricas e centrais eléctricas servindo de combustível para produzir electricidade.



Energias Renováveis

As energias renováveis, são formas de energia que após terem sido utilizadas podem ser utilizadas novamente.

Estas energias são o resultado do aproveitamento de recursos naturais como o sol e o vento, ou de resíduos como restos agrícolas ou lixo orgânico. Além de as matérias primas dessas fontes serem abundantes, utiliza-las significa não esgota-las.

Estas são a energia solar, hidroeléctrica, eólica, geotérmica, da biomassa, das ondas, das marés, e a energia nuclear.

Os recursos renováveis representam actualmente cerca de 20% do fornecimento total de energia no mundo.

Biomassa

Através da fotossíntese, as plantas capturam energia do sol e transformam em energia química. Esta energia pode ser convertida em vária formas de energia electricidade, combustível ou calor. As fontes orgânicas que são usadas para produzir energias usando este processo são chamadas de biomassa.

A biomassa é o material que normalmente imaginamos como lixo.

Existem três fontes energéticas de origem natural:

- biomassa sólida;

- biocombustíveis gasosos;

- biocombustíveis líquidos.
bullet

Biomassa sólida

Tem como fonte os produtos e resíduos da agricultura (incluindo substâncias vegetais e animais), os resíduos da floresta e das indústrias conexas e a fracção biodegradável dos resíduos industriais e urbanos.
bullet

Bio combustíveis gasosos: biogás

Tem origem nos efluentes agro-pecuários, da agro-indústria e urbanos (lamas das estações de tratamento dos efluentes domésticos) e ainda nos aterros de resíduos sólidos urbanos.

Este resulta da degradação biológica anaeróbia da matéria orgânica contida nos resíduos anteriormente referidos e é constituído por uma mistura de metano (CH4) em percentagens que variam entre os 50% e os 70% sendo o restante essencialmente CO2.
bullet

Biocombustíveis líquidos

Existe uma série de biocombustíveis líquidos com potencial de utilização.

- biodiesel: obtido principalmente a partir de óleos de colza ou girassol, por um processo químico chamado transesterificação.

- etanol: é o mais comum dos álcoois e caracteriza-se por ser um composto orgânico, incolor, volátil, inflamável, solúvel em água, com cheiro e sabor característicos. Produzido a partir da fermentação de hidratos de carbono (açúcar, amido, celulose), com origem em culturas como a cana de açúcar ou por processos sintéticos.

- metanol: os processos de produção mais comuns são de síntese a partir do gás natural, ou ainda a partir da madeira através de um processo de gaseificação

A biomassa pode ser aproveitada para produzir electricidade reduzindo a necessidade de recorrer a outras fontes de energia.

Vantagens

· Pode ser reutilizada e transformada noutros produtos como o papel e fertilizantes;

· Acumula-se menos lixo nas lixeiras, sendo necessária menos terra para depositar o lixo;

· Não contribui para o aquecimento global da Terra;

· Pode ser reduzida, reciclada e reutilizada;

· Tem baixo custo de aquisição;

· As cinzas são menos agressivas ao meio ambiente;

· Provoca uma menor corrosão dos equipamentos;

Curiosidades

· O etanol ocupa um lugar de destaque no Brasil, com cerca de 43% dos veículos movidos a etanol;

· Em Vila Real, o aquecimento das escolas é feito através da energia da Biomassa;

· O sistema híbrido da única piscina existente em Torrão utiliza uma caldeira a biomassa;

· A central termoeléctrica de Mortágua utliliza a energia do biogás para produzir energia eléctrica;

· Dos 20% da energia renovável no mundo, cerca de 14% é proveniente da biomassa;

· Na Califórnia, a biomassa é responsável pela produção de 2,77% de toda a energia eléctrica.



Energia das Marés

Os oceanos podem ser uma fonte de energia para iluminar as nossas casas e empresas. Neste momento, o aproveitamento da energia do mar é apenas experimental e raro. A energia da deslocação das águas do mar é outra fonte de energia. Para a transformar são construídos diques que envolvem uma praia. Quando a maré enche a água entra e fica armazenada no dique; ao baixar a maré, a água sai pelo dique como em qualquer outra barragem.

Para que este sistema funcione bem são necessárias marés e correntes fortes. Tem que haver um aumento do nível da água de pelo menos 5,5 metros da maré baixa para a maré alta. Existem poucos sítios no mundo onde se verifique tamanha mudança nas marés.

O ciclo de marés de 12 horas e meia e o ciclo quinzenal de amplitudes máxima e mínima apresentam problemas para que seja mantido um fornecimento regular de energia.

Caracteriza-se essencialmente pelo aproveitamento de cursos de água cuja energia potencial (queda), seja possível transformar em energia mecânica através de turbinas hidráulicas e por sua vez em energia eléctrica com recurso a geradores acoplados às mesmas.

Energia das Ondas

A energia das ondas é definida pela energia total contida em cada onda e é a soma da energia potencial do fluído deslocado a partir do nível médio da água entre a cava e a crista da onda incluindo a energia cinética das partículas da água em movimento. Esta energia resulta da força do vento exercida na superfície dos Oceanos.

Quando a onda se desfaz e a água recua o ar desloca-se em sentido contrário passando novamente pela turbina entrando na câmara por comportas especiais normalmente fechadas.

Esta é apenas uma das maneiras de retirar energia da ondas. Actualmente, utiliza-se o movimento de subida/descida do onda para dar potência a um êmbolo que se move para cima e para baixo num cilindro. O êmbolo pode por um gerador a funcionar.

Os sistemas para retirar energia das ondas são muito pequenos e apenas suficientes para iluminar uma casa ou algumas bóias de aviso por vezes colocadas no mar.

Desvantagens

· O fornecimento da energia das ondas não é continuo;

· Apresenta baixo rendimento;

· É fortemente dispendiosa

· Existe pouca experiência e tradição de empreendimentos deste tipo em Portugal.

Curiosidades

· A energia que chega à costa ocidental portuguesa (500 km) é de cerca de 120 TWh/ano (em águas profundas);

· As zonas costeiras portuguesas, em especial a costa ocidental do continente e as ilhas dos Açores têm condições naturais entre as mais favoráveis em qualquer parte do mundo para o aproveitamento da energia das ondas.

Energia Hidroeléctrica

A energia hidroeléctrica é a electricidade produzida através do movimento da água. Esta usa a energia cinética da água para produzir electricidade.

Normalmente constroem-se diques que param o curso da água acumulando-a num reservatório a que se chama barragem. Noutros casos, existem diques que não param o curso natural da água, mas obriga-a a passar pela turbina, fazendo-a girar de forma a produzir electricidade.

Curiosidades

· A primeira central hidroeléctrica do mundo foi construída em Appleton nos EUA, em 1882;

· A central hidroeléctrica de Owen Falls, no Uganda, construída em 1954 é a maior em capacidade (2700000 milhões de m³);

· A central hidroeléctrica de Rogun, construída em 1990 no Tajiquistão, é a maior em altura (335m);

· A barragem de Cahora Bassa, construída em 1974, em Moçambique é a maior barragem construída por Portugal (63000 milhões de m³);

· Em Portugal existem cerca de 40 barragens.

· Em Portugal o potencial de aproveitamento de energia hídrica está distribuído por todo o território nacional, com maior concentração no Norte e Centro do país.

Energia Geotérmica

A energia geotérmica existe desde que o nosso planeta foi criado.

Geo significa terra e térmica significa calor, por isso, geotérmica é a energia calorífica que vem da terra, resultando do fluxo de calor das camadas mais profundas, devido ao magma, e à radioactividade natural das rochas.

Este recurso pode ser classificado em duas categorias:

· Alta temperatura (T>150 ºC): este recurso está geralmente associado a áreas de actividade vulcânica, sísmica ou magmática. A estas temperaturas é possível o aproveitamento para a produção de energia eléctrica.

· Baixa temperatura (T<100 ºC): resultam geralmente da circulação de água de origem meteórica em falhas e fracturas e por água residente em rochas porosas a grande profundidade.

A água contida nos reservatórios subterrâneos é aquecida pelo magma, aquecendo e podendo até ferver, pois em termos médios a temperatura aumenta 1ºC por cada 32m que se avança em profundidade na crusta terrestre. Onde a água quente sobe até à superfície terrestre em pequenos lagos são as chamadas furnas.

No território continental português não existe actividade magmática recente, pelo que as zonas geotérmicas estão reduzidas às das nascentes termais que se localizam em zonas fracturadas do continente. Porém, existem as furnas dos Açores, onde a água tem temperaturas que ultrapassam os 200ºC.

Curiosidades

. O primeiro país a utilizar energia geotérmica foi a Itália, em 1904, seguido pela Islândia em 1928;

. Esta representa uma potência de 10.000 vezes da energia consumida por ano no mundo actualmente;

. Alguns peritos admitem que futuramente a energia geotérmica poderá satisfazer cerca de 20% das necessidades energéticas mundiais.

Energia Eólica

O vento tem origem nas diferenças de pressão causadas pelo aquecimento diferencial da superfície terrestre, sendo influenciado por efeitos locais, como a orografia e a rugosidade do solo. Assim, o potencial energético a ele associado, varia não só em função das condições meteorológicas (intensidade e direcção) mas também do local.

A energia do vento faz girar turbinas, que por sua vez geram electricidade.

A energia cinética, resultante das deslocações de massas de ar, pode ser transformada em:

- energia mecânica: através de aeromotores;

- energia eléctrica: através de turbinas eólicas ou aerogeradores.

Curiosidades

. Em Portugal, o primeiro parque eólico foi criado em 1988 em Santa Maria (Açores), com a instalação de um parque eólico no Figueiral, constituído por 9 aerogeradores de 30 kW perfazendo uma potência instalada de 270 kW. Esta estrutura produtiva contribuiu anualmente com uma média de cerca de 4% da produção total da ilha. Actualmente a distribuição destas centrais abrange quase todo o território nacional com aproximadamente 150 MW de potência instalada até 2001;

. Um barco á vela usa a energia dos ventos para se deslocar na água. Esta é uma forma de produzir força através do vento;

. Durante muitos anos, os agricultores serviram-se da energia eólica para bombear água dos furos usando moinhos de vento;

. O vento também é usado para girar a mó dos moinhos transformando o milho em farinha. Cada turbina produz entre 50 a 300 kW de energia eléctrica. Com 1000 watts podemos acender 10 lâmpadas de 100 watts; assim, 300 kilowatts acendem 3000 lâmpadas de 100 watts cada.

. Cerca de 30% da electricidade produzida a partir do vento é criada na Califórnia. A Dinamarca e Alemanha também são grandes exploradores da energia eólica;

. O recurso energético disponível em Portugal estima-se entre os 2.000 MW e os 3.500 MW, para rentabilidades na ordem das 2.500 horas brutas anuais e 2.000 horas brutas anuais.

Problemas

. O vento não sopra com intensidade todo o ano, logo não é possível a produção de energia eólica;

. O vento tem que atingir uma velocidade superior a 20 km/h para fazer girar a turbina suficientemente rápido;

. O ruído, o impacto visual e a influência na fauna avícola.

. A energia eólica já é utilizada à muitas centenas de anos como a forma de energia mais barata e também menos poluente. Contudo, a abundância de petróleo que surgiu no fim da Segunda Guerra Mundial fez regredir muitíssimo esta utilização.

. O futuro da energia eólica é promissor, mas não é isento de dificuldades, pois existem muitos problemas técnicos para resolver na construção das turbinas.

Energia Solar

O sol sempre foi uma fonte de energia. Quando se põe a roupa a secar está-se a usar o seu calor. As plantas usam o sol para produzir alimento, e os animais alimentam-se delas.

A energia solar refere-se à utilização directa dos raios solares na produção de energia.

Esta radiação disponível à superfície terrestre divide-se em três componentes:

- directa: vem "directamente" desde o sol;

- difusa: proveniente de todo o céu: das nuvens, gotas de água, etc;

- reflectida: proveniente da reflexão no chão e dos objectos circundantes.

A energia solar pode ser utilizada para aquecer água nas casas, empresas e piscinas, e aquecimento do ambiente interior. Este processo começou a ser utilizado, pois este sistema era mais benéfico do que o carvão e a madeira, e a electricidade e o gás artificial eram muito caros. Este processo consiste em colocar placas solares (painéis grandes, negros, recobertos por vidro ou outra superfície transparente) nos telhados das casas, sendo assim possível o aquecimento da água que se encontra nos canos por baixo da placa solar.

A venda de placas solares tem vindo a aumentar ao longo do tempo, devido á subida do preço dos combustíveis.

A energia solar pode também ser utilizada para produzir electricidade.

Isto é possível pois alguns sistemas solares, usam um reflector alto e côncavo como uma parabólica para focar a luz do sol nos tubos; estes aquecem tanto que a água ferve. O vapor pode ser usado para girar uma turbina e produzir electricidade.

O problema do sistema solar eléctrico é que apenas funciona durante o dia, enquanto o sol aquece. Por isso, com o tempo nublado ou á noite não se gera energia eléctrica. Alguns sistemas são duplos, ou seja, durante o dia a água é aquecida pelo sol e á noite usa-se gás natural para a ferver; deste modo, continua-se a produzir electricidade.

Porém, é possível transformar a luz solar directamente em electricidade usando as células solares.

Quando a célula solar fica exposta ao sol, os electrões libertam-se do seu núcleo deslocando-se e movendo-se para a superfície da placa solar. As duas extremidades da célula solar estão ligadas por um fio condutor eléctrico e com o movimento dos electrões gera uma corrente eléctrica. A energia eléctrica da célula solar pode então ser usada directamente nas máquinas de calcular, podendo também ser armazenada para ser utilizada nos candeeiros de estrada. O futuro desta tecnologia é incerto, pois, além de ser relativamente ineficiente, as células são muito caras e são facilmente deterioradas.

A energia solar é uma das alternativas energéticas mais promissoras para o futuro.

Curiosidades

. Portugal é um dos países da Europa com maior disponibilidade de radiação solar;

. Para Lisboa, num plano inclinado (cerca de 40º) e orientado a Sul, o valor médio diário de potência da radiação solar global directa pode atingir os 414 W/m²;

. Num dia de céu claro é possível medir junto à superfície terrestre num plano perpendicular, cerca de 1.000 W/m².

. Na Califórnia está a ser reconstituído com novas tecnologias um sistema solar de produção eléctrica, o Solar II, que conserva numa direcção constante um raio solar introduzido numa câmara escura. A luz reflectida para o centro da câmara aquece um fluído que pode ser usado para ferver a água girando a turbina e o gerador.

Chuva Ácida

Os principais ácidos da chuva são o sulfúrico (H2SO4) e o nítrico (HNO3), formados pela associação da água com dióxido de enxofre (SO2) e óxidos de nitrogénio (NOx), produtos da queima de combustível fóssil, que podem ser carregados pelo vento por distâncias superiores a 1.000 quilómetros do ponto de emissão, ocasionando chuvas ácidas distantes da fonte primária de poluição, o que acaba se tornando um problema sem fronteiras territoriais.

O dióxido de enxofre e os óxidos de nitrogénio podem causar danos tanto pela precipitação seca, que se depõe sobre a vegetação e as estruturas (monumentos, prédios, etc.), como pela precipitação húmida, dissolvidos na chuva ou em vapores d'água atmosféricos. Para a saúde humana os principais danos causados pela ingestão de água ou alimentos contaminados por metais pesados presentes na chuva ácida são os problemas neurológicos.·

Curiosidade

• Por dois anos consecutivos (1999-200), pesquisadores norte-americanos, europeus e indianos do Projecto INDOEX (Indian Ocean Experiment) constataram a existência de uma mancha castanha de 10 milhões de quilómetros quadrados de extensão com 3 a 5 km de espessura formada por resíduos poluentes - fuligem, sulfatos, nitratos, partículas orgânicas, cinzas e poeira mineral - sobre a Índia e o Oceano Índico, obstruindo a passagem da luz solar e provocando chuva ácida. Para os cientistas, a mancha resulta da alta concentração de poluentes emitidos em toda a Ásia e acumulados sobre essa região em decorrência dos padrões de circulação climática.

Efeito de estufa

O crescente consumo de combustíveis fósseis está a alterar o equilíbrio do planeta proporcionado pelo "efeito estufa", fenómeno de retenção do calor solar pelos gases existentes na atmosfera, mantendo a terra quente.

O “vidro” de gases durante o dia mantém uma estufa quente porque permite que a radiação solar de ondas curtas passe facilmente, mas impede a passagem da radiação de ondas longas reflectida pela terra e retém o calor no interior da estufa:

Entre os gases de efeito estufa mais conhecidos estão o vapor de água, o dióxido de carbono, o metano, o óxido nitroso e os clorofluorcarbonetos. Os óxidos de nitrogénio, o monóxido de carbono, os halocarbonos e outros de origem industrial como o hidrofluorcarbono, o perfluorcarbono também são exemplos de gases de efeito estufa.

O aumento de dióxido de carbono em decorrência da intensificação das actividades industriais foi o principal factor que contribuiu para elevar a média da temperatura entre 0,4ºC e 0,8ºC na superfície do planeta durante o último século.

Curiosidades

• O relato da Academia Nacional de Ciências (NAS) dos Estados Unidos durante a realização do Fórum Econômico, na Suíça, em Janeiro de 2000, confirmou que a temperatura média global nos dias actuais é substancialmente maior que a taxa média de aquecimento durante todo o século XX.

Source:

  • Taxa
  • Comentário
Sign In 

para adicionar sua resposta

Não há outras respostas

Quem está seguindo esta pergunta?

    %
    MELHORES RESPOSTAS
    Membro desde:
    Pontos: Pontos: Nível
    Total de respostas:
    Pontos nesta semana:
    Seguir
     
    Deixar de seguir
     
    Bloquear
     
    Desbloquear