Gostaria de opiniões sobre o significado de Hebreus 6:4-6?

Seguir
  • Seguir de forma pública
  • Seguir de forma privada
  • Deixar de seguir
Fico meio perdido quando leio isso - "cair" nesse contexto não é sinônimo de "pecar", né? Até pq o crente continua pecador, entretanto, confessa seus pecados e se ...mostrar mais
Melhor respostaEscolha do autor da pergunta
Neste trecho a referência é feita aos judeus que haviam se convertido (que estavam debaixo da graça) que retornaram as práticas da lei Mosaica (sacrifícios como oferta pelos pecados), anulando portanto o sacrfício de Jesus.

Contexto está no versículo 1

1 Por isso, pondo de parte os princípios elementares da doutrina de Cristo, deixemo-nos levar para o que é perfeito, não lançando, de novo, a base do arrependimento de obras mortas e da fé em Deus,

Quanto a sua observação sobre pecado e confissão está certo, pois se não fosse assim ninguém seria salvo.

Que Deus continue te abençoando com o crescimento do conhecimento da Sua Perfeita e Boa Vontade.

Classificação e comentário do autor da pergunta

5 de 5
massa
  • Taxa
  • Comentário

Outras respostas (9)

Classificada como mais alta
  • Classificada como mais alta
  • Mais antigo
  • Mais recente
  • servo respondido 7 anos atrás
    4 Porque é impossível que os que já uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se tornaram participantes do Espírito Santo,
    5 E provaram a boa palavra de Deus, e as virtudes do século futuro,
    Eu vou te fazer umas perguntas,dependendo das tuas respostas sera a minha: 1-Você ja foi iluminado. 2-ja provou do dom celestial. 3-ja se tornou participante do espirito santo. 4-ja provou da boa palavra de Deus. 5-Ja provou das virtudes do século futuro. Se você ja alcançou todos estes degraus, e se deixou cair então;Fica dificil o arependimento pois quem vai te encinar oque você ja sabe.Veja oque é ser iluminado,é o conhecer e vejo que você não conhece tudo,e a quinta questão você ja provou das virtudesdo céculo vindouro,o poder,oque vai acontecer amanha,quem vai se salvar,quem vai morrer.Se ainda não então continue caminhando até a perfeição,pois você ainda tem perdão.LUCAS 18
    27 Mas ele respondeu: As coisas que são impossíveis aos homens são possíveis a Deus.
    MATEUS 19
    26 E Jesus, olhando para eles, disse-lhes: Aos homens é isso impossível, mas a Deus tudo é possível.
    Deus te abençoe.

    Fonte(s):

    A biblia é a resposta.
    • Taxa
    • Comentário
  • BomStarAki respondido 7 anos atrás
    Hebreus 6
    4 Porque é impossível que os que já uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se fizeram participantes do Espírito Santo,
    5 e provaram a boa palavra de Deus e as virtudes do século futuro,
    6 e recaíram sejam outra vez renovados para arrependimento; pois assim, quanto a eles, de novo crucificam o Filho de Deus e o expõem ao vitupério.

    6.4-6 É IMPOSSíVEL... QUE SEJAM OUTRA VEZ RENOVADOS. Nestes três versículos o escritor de Hebreus trata das consequências da apostasia (decair da fé).

    6.6 RECAÍRAM. Esta palavra (gr. parapesontas, de parapipto) é um particípio aoristo e deve ser traduzido no tempo passado literalmente: "tendo decaído". O escritor de Hb apresenta a apostasia como algo realmente possível.

    Segue um estudo doutrinário sobre
    A APOSTASIA PESSOAL

    Hb 3.12 “Vede, irmãos, que nunca haja em qualquer de vós um coração mau e infiel, para se apartar do Deus vivo”.

    A apostasia (gr. apostasia) aparece duas vezes no NT como substantivo (At 21.21; 2Ts 2.3) e, aqui em Hb 3.12, como verbo (gr. aphistemi, traduzido “apartar”). O termo grego é definido como decaída, deserção, rebelião, abandono, retirada ou afastar-se daquilo a que antes se estava ligado.

    (1) Apostatar significa cortar o relacionamento salvífico com Cristo, ou apartar-se da união vital com Ele e da verdadeira fé nEle. Sendo assim, a apostasia individual é possível somente para quem já experimentou a salvação, a regeneração e a renovação pelo Espírito Santo (cf. Lc 8.13; Hb 6.4,5); não é simples negação das doutrinas do NT pelos inconversos dentro da igreja visível. A apostasia pode envolver dois aspectos distintos, embora relacionados entre si:
    (a) a apostasia teológica, i.e., a rejeição de todos os ensinos originais de Cristo e dos apóstolos
    ou dalguns deles (1Tm 4.1; 2Tm 4.3); e
    (b) a apostasia moral, i.e., aquele que era crente deixa de permanecer em Cristo e volta a ser escravo do pecado e da imoralidade (Is 29.13; Mt 23.25-28; Rm 6.15-23; 8.6-13).

    (2) A Bíblia adverte fortemente quanto à possibilidade da apostasia, visando tanto nos alertar do perigo fatal de abandonar nossa união com Cristo, como para nos motivar a perseverar na fé e na obediência. O propósito divino desses trechos bíblicos de advertência não deve ser enfraquecido pela idéia que afirma: “as advertências sobre a apostasia são reais, mas a sua possibilidade, não”.
    Antes, devemos entender que essas advertências são como uma realidade possível durante o nosso viver aqui, e devemos considerá-las um alerta, se quisermos alcançar a salvação final. Alguns dos muitos trechos do NT que contêm advertências são: Mt 24.4,5,11-13; Jo 15.1-6; At 11.21-23; 14.21,22; 1Co 15.1,2; Cl 1.21-23; 1Tm 4.1,16; 6.10-12; 2Tm 4.2-5; Hb 2.1-3; 3.6-8,12-14; 6.4-6; Tg 5.19,20; 2Pe 1.8-11; 1Jo 2.23-25.

    (3) Exemplos da apostasia propriamente dita acham-se em Êx 32; 2Rs 17.7-23; Sl 106; Is 1.2-4; Jr 2.1-9; At 1.25; Gl 5.4; 1Tm 1.18-20; 2Pe 2.1,15,20-22; Jd 4,11-13; ver o estudo O PERÍODO DO ANTICRISTO, para comentários sobre a apostasia que, segundo a Bíblia, ocorrerá dentro da igreja professa nos últimos dias desta era.

    (4) Os passos que levam à apostasia são:
    (a) O crente, por sua falta de fé, deixa de levar plenamente a sério as verdades, exortações, advertências, promessas e ensinos da Palavra de Deus (Mc 1.15; Lc 8.13; Jo 5.44,47; 8.46).
    (b) Quando as realidades do mundo chegam a ser maiores do que as do reino celestial de Deus, o crente deixa paulatinamente de aproximar-se de Deus através de Cristo (4.16; 7.19,25; 11.6).
    (c) Por causa da aparência enganosa do pecado, a pessoa se torna cada vez mais tolerante do pecado na sua própria vida (1Co 6.9,10; Ef 5.5; Hb 3.13). Já não ama a retidão nem odeia a iniqüidade
    (d) Por causa da dureza do seu coração (3.8,13) e da sua rejeição dos caminhos de Deus (v. 10), não faz caso da repetida voz e repreensão do Espírito Santo (Ef 4.30; 1Ts 5.19-22; Hb 3.7-11).
    (e) O Espírito Santo se entristece (Ef 4.30; cf. Hb 3.7,8); seu fogo se extingue (1Ts 5.19) e seu templo é profanado (1Co 3.16). Finalmente, Ele afasta-se daquele que antes era crente (Jz 16.20; Sl 51.11; Rm 8.13; 1Co 3.16,17; Hb 3.14).

    (5) Se a apostasia continua sem refreio, o indivíduo pode, finalmente, chegar ao ponto em que não seja possível um recomeço.
    (a) Isto é, a pessoa que no passado teve uma experiência de salvação com Cristo, mas que deliberada e continuamente endurece seu coração para não atender à voz do Espírito Santo (3.7-19), continua a pecar intencionalmente (10.26) e se recusa a arrepender-se e
    voltar para Deus, pode chegar a um ponto sem retorno em que não há mais possibilidade de arrependimento e de salvação (6.4-6; Dt 29.18-21 nota; 1 Sm 2.25 nota; Pv 29.1 nota). Há um limite para a paciência de Deus (ver 1 Sm 3.11-14; Mt 12.31,32; 2 Ts 2.9-11; Hb 10.26-29,31; 1 Jo 5.16).
    (b) Esse ponto de onde não há retorno, não se pode definir de antemão. Logo, a única salvaguarda contra o perigo de apostasia extrema está na admoestação do Espírito: Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais os vossos corações ( 3.7,8,15; 4.7).

    (6) É próprio salientar que, embora a apostasia seja um perigo para todos os que vão se desviando da fé (2.1-3) e que se apartam de Deus (6.6), ela não se consuma sem o constante e deliberado pecar contra a voz do Espírito Santo (ver Mt 12.31, nota sobre o pecado contra o Espírito Santo).

    (7) Aqueles que, por terem um coração incrédulo, se afastam de Deus (3.12), podem pensar que ainda são verdadeiros crentes, mas sua indiferença para com as exigências de Cristo e do Espírito Santo e para com as advertências das Escrituras indicam o contrário. Uma vez que alguém pode enganar-se a si mesmo, Paulo exorta todos aqueles que afirmam ser salvos: "Examinai-vos a vós
    mesmos se permaneceis na fé; provai-vos a vós mesmos" (ver 2 Co 13.5 nota).

    (8) Quem, sinceramente, preocupa-se com sua condição espiritual e sente no seu coração o desejo de voltar-se arrependido para Deus, tem nisso uma clara evidência de que não cometeu a apostasia imperdoável. As Escrituras afirmam com clareza que Deus não quer que ninguém pereça (2 Pe 3.9; cf. Is 1.18,19; 55.6,7) e declaram que Deus receberá todos que já desfrutaram da graça salvadora, se arrependidos, voltarem a Ele (cf. Gl 5.4 com 4.19; 1 Co 5.1-5 com 2 Co 2.5-11; Lc 15.11-24; Rm 11.20-23; Tg 5.19,20; Ap 3.14-20; note o exemplo de Pedro, Mt 16.16; 26.74,75; Jo 21.15-22).

    Fonte(s):

    Bíblia de Estudo Pentecostal - CPAD
    • Taxa
    • Comentário
  • klenial respondido 7 anos atrás
    Há uma seita cristã, (famosa) que baseada nesse texto, não aceita alguém que desvia, novamente em seu direitos eclesiais. (E dizem que usam de amor).
    Vemos que o escritor dessa epístola, se referia exclusivamente ao judeus convertidos, (hebreus).
    Então ele não está falando com pessoas que se desviam, pecando, mas de pessoas, que tentam voltar aos rituais da lei, desprezando o que Cristo fizera em suas vidas.
    Assim se já provaram da salvação em Cristo e recairam voltando aos rituais, de novo estão crucificando Jesus.
    É a estes que o escritor exorta.
    Aos demais ficamos com o apóstolo do amor, João, que disse.
    Se pecarmos, temos um advogado, etc...
    • Taxa
    • Comentário
  • EPSYLON respondido 7 anos atrás
    Amigo otter, Esta advertência de Paulo nos faz refletir sobre o conhecimento moral adquirido sobre as máximas de Cristo
    e nosso relapso em não permanecermos vigilantes quanto a nossas fraquezas para incorrermos em falhas, quando estamos novamento crucificando Jesus.
    • Taxa
    • Comentário
  • Genesis respondido 7 anos atrás
    é uma das mais graves na epístola aos Hebreus, até mesmo, quando comparada a qualquer outra no Novo Testamento. Provavelmente, poucas almas regeneradas a têm lido, refletidamente, sem serem tocadas de temor e tremor. Professantes2 descuidados têm sido levados freqüentemente à inquietação em suas consciências assim que ouvem sua atemorizante linguagem. A passagem fala de uma classe de pessoas que foram altamente privilegiadas, que foram singularmente favorecidas, mas que, ao invés de terem aperfeiçoado suas oportunidades, desgraçadamente perverteram-nas; aqueles que trouxeram vergonha e reprovação à causa de Cristo; e que estão em uma condição tão sem esperanças que é "impossível que sejam outra vez renovados para arrependimento". Bom será se, cada um de nós, levarmos sinceramente nosso coração a Deus, suplicando-Lhe que nos impeça de cometer tal naufrágio na fé3.

    Fonte(s):

    • Taxa
    • Comentário
  • ♫♪Fencer♫♪ 4Him respondido 7 anos atrás
    Cair nesse contexto significa os apostatas. Apostasia, aqueles que abandonaram a fe em Cristo.
    O restante vc esta certo.
    • Taxa
    • Comentário
  • Florisvaldo J respondido 7 anos atrás
    Escreve para R R Soares que ele desenrola .
    • Taxa
    • Comentário
  • Antonio Vieira Sobrinho respondido 7 anos atrás
    Ele está dizendo que é preciso sermos firmes na fé, esperança e caridade, procurando sermos cada vez mais pessoas de bem.

    O homem de bem
    O verdadeiro homem de bem é o que cumpre a lei de justiça, de amor e de caridade, na sua maior pureza. Se ele interroga a consciência sobre seus próprios atos, a si mesmo perguntará se violou essa lei, se não praticou o mal, se fez todo o bem que podia, se desprezou voluntariamente alguma ocasião de ser útil, se ninguém tem qualquer queixa dele; enfim, se fez a outrem tudo o que desejara lhe fizessem.
    Deposita fé em Deus, na Sua bondade, na Sua justiça e na Sua sabedoria. Sabe que sem a Sua permissão nada acontece e se Lhe submete à vontade em todas as coisas.
    Tem fé no futuro, razão por que coloca os bens espirituais acima dos bens temporais.
    Sabe que todas as vicissitudes da vida, todas as dores, todas as decepções são provas ou expiações e as aceita sem murmurar.
    Possuído do sentimento de caridade e de amor ao próximo, faz o bem pelo bem, sem esperar paga alguma; retribui o mal com o bem, toma a defesa do fraco contra o forte, e sacrifica sempre seus interesses à justiça.
    Encontra satisfação nos benefícios que espalha, nos serviços que presta, no fazer ditosos os outros, nas lágrimas que enxuga, nas consolações que prodigaliza aos aflitos. Seu primeiro impulso é para pensar nos outros, antes de pensar em si, é para cuidar dos interesses dos outros antes do seu próprio interesse. O egoísta, ao contrário, calcula os proventos e as perdas decorrentes de toda ação generosa.
    O homem de bem é bom, humano e benevolente para com todos, sem distinção de raças, nem de crenças, porque em todos os homens vê irmãos seus.
    Respeita nos outros todas as convicções sinceras e não lança anátema aos que como ele não pensam.
    Em todas as circunstâncias, toma por guia a caridade, tendo como certo que aquele que prejudica a outrem com palavras malévolas, que fere com o seu orgulho e o seu desprezo
    a suscetibilidade de alguém, que não recua à idéia de causar um sofrimento, uma contrariedade, ainda que ligeira, quando a pode evitar, falta ao dever de amar o próximo e não merece a clemência do Senhor.
    Não alimenta ódio, nem rancor, nem desejo de vingança; a exemplo de Jesus, perdoa e esquece as ofensas e só dos benefícios se lembra, por saber que perdoado lhe será conforme
    houver perdoado.
    É indulgente para as fraquezas alheias, porque sabe que também necessita de indulgência e tem presente esta sentença do Cristo: "Atire-lhe a primeira pedra aquele que se achar sem pecado."
    Nunca se compraz em rebuscar os defeitos alheios, nem, ainda, em evidenciá-los. Se a isso se vê obrigado, procura sempre o bem que possa atenuar o mal.
    Estuda suas próprias imperfeições e trabalha incessantemente em combatê-las. Todos os esforços emprega para poder dizer, no dia seguinte, que alguma coisa traz em si de melhor do que na véspera.
    Não procura dar valor ao seu espírito, nem aos seus talentos, a expensas de outrem; aproveita, ao revés, todas as ocasiões para fazer ressaltar o que seja proveitoso aos outros.
    Não se envaidece da sua riqueza, nem de suas vantagens pessoais, por saber que tudo o que lhe foi dado pode ser-lhe tirado.
    Usa, mas não abusa dos bens que lhe são concedidos, porque sabe que é um depósito de que terá de prestar contas e que o mais prejudicial emprego que lhe pode dar é o de aplicá-lo à satisfação de suas paixões.
    Se a ordem social colocou sob o seu mando outros homens, trata-os com bondade e benevolência, porque são seus iguais perante Deus; usa da sua autoridade para lhes levantar o moral e não para os esmagar com o seu orgulho. Evita tudo quanto lhes possa tornar mais penosa a posição subalterna em que se encontram.
    O subordinado, de sua parte, compreende os deveres da posição que ocupa e se empenha em cumpri-los conscienciosamente.
    Finalmente, o homem de bem respeita todos os direitos que aos seus semelhantes dão as leis da Natureza, como quer que sejam respeitados os seus.
    Não ficam assim enumeradas todas as qualidades que distinguem o homem de bem; mas, aquele que se esforce por possuir as que acabamos de mencionar, no caminho se acha que a todas as demais conduz.

    Fonte:
    O Evangelho Segundo o Espiritismo, de Allan Kardec
    http://www.omensageiro.com.br/doutrina/
    • Taxa
    • Comentário
  • Kozi respondido 7 anos atrás
    Cair nesse contexto significa os apostatas. Apostasia, aqueles que abandonaram a fe em Cristo.
    O restante vc esta certo.

    21 minutos atrás - Denuncie aqui
    0 0

    por Fencer ...♫♪♫♪
    21 minutos atrás Resposta ocultada por causa da baixa avaliação Mostrar Avaliação total: 0 0 0

    Resposta ocultada por causa da baixa avaliação Ocultar

    GenesisMembro desde: 29 de Setembro de 2006

    Total de pontos: 454 (Nível 2)

    Pontos ganhos na semana:
    --% Melhor resposta

    Genesis
    0
    é uma das mais graves na epístola aos Hebreus, até mesmo, quando comparada a qualquer outra no Novo Testamento. Provavelmente, poucas almas regeneradas a têm lido, refletidamente, sem serem tocadas de temor e tremor. Professantes2 descuidados têm sido levados freqüentemente à inquietação em suas consciências assim que ouvem sua atemorizante linguagem. A passagem fala de uma classe de pessoas que foram altamente privilegiadas, que foram singularmente favorecidas, mas que, ao invés de terem aperfeiçoado suas oportunidades, desgraçadamente perverteram-nas; aqueles que trouxeram vergonha e reprovação à causa de Cristo; e que estão em uma condição tão sem esperanças que é "impossível que sejam outra vez renovados para arrependimento". Bom será se, cada um de nós, levarmos sinceramente nosso coração a Deus, suplicando-Lhe que nos impeça de cometer tal naufrágio na fé3.

    Fonte(s):

    http://www.luz.eti.br/pink-hebrews-c24pt...

    18 minutos atrás - Denuncie aqui
    0 0

    por Genesis
    18 minutos atrás Resposta ocultada por causa da baixa avaliação Mostrar Avaliação total: 0 0 0

    Resposta ocultada por causa da baixa avaliação Ocultar

    EPSYLONMembro desde: 01 de Setembro de 2006

    Total de pontos: 6.302 (Nível 5)

    Pontos ganhos na semana:
    --% Melhor resposta

    EPSYLON
    0
    Amigo otter, Esta advertência de Paulo nos faz refletir sobre o conhecimento moral adquirido sobre as máximas de Cristo
    e nosso relapso em não permanecermos vigilantes quanto a nossas fraquezas para incorrermos em falhas, quando estamos novamento crucificando Jesus.

    17 minutos atrás - Denuncie aqui
    0 0

    por EPSYLON
    17 minutos atrás Resposta ocultada por causa da baixa avaliação Mostrar Avaliação total: 0 0 0

    Resposta ocultada por causa da baixa avaliação Ocultar

    cmte.ola…Membro desde: 05 de Abril de 2007

    Total de pontos: 825 (Nível 2)

    Pontos ganhos na semana:
    --% Melhor resposta

    cmte.olavo
    0
    Neste trecho a referência é feita aos judeus que haviam se convertido (que estavam debaixo da graça) que retornaram as práticas da lei Mosaica (sacrifícios como oferta pelos pecados), anulando portanto o sacrfício de Jesus.

    Contexto está no versículo 1

    1 Por isso, pondo de parte os princípios elementares da doutrina de Cristo, deixemo-nos levar para o que é perfeito, não lançando, de novo, a base do arrependimento de obras mortas e da fé em Deus,

    Quanto a sua observação sobre pecado e confissão está certo, pois se não fosse assim ninguém seria salvo.

    Que Deus continue te abençoando com o crescimento do conhecimento da Sua Perfeita e Boa Vontade.

    15 minutos atrás - Denuncie aqui
    0 0

    por cmte.olavo
    15 minutos atrás Resposta ocultada por causa da baixa avaliação Mostrar Avaliação total: 0 0 0
    Perguntas abertas em Religião e Espiritualidade
    Pensamento da noite (Para todos, Ateus, Evangélicos, Católicos, Espiritualistas etc.)?
    Muito boa,?
    Podemos servir a DEUS e às RIQUEZAS? O que VOCÊ acha?
    O avanço do conhecimento humano sobre os cosmos, fez com as Teologias aceitassem o Heliocentrismo.?
    Perguntas respondidas em Religião e Espiritualidade
    você quer comprar uma lasca da madeira da cruz de cristo?
    questão para espiritualista?
    Já aconteceu uma coincidência com vs que era muita coincidência para ser uma coincidência?
    • Taxa
    • Comentário
  • Sign In 

    para adicionar sua resposta

Quem está seguindo esta pergunta?

    %
    MELHORES RESPOSTAS
    Membro desde:
    Pontos: Pontos: Nível
    Total de respostas:
    Pontos nesta semana:
    Seguir
     
    Deixar de seguir
     
    Bloquear
     
    Desbloquear