Anônimo
Anônimo perguntou em Sociedade e CulturaReligião e Espiritualidade · Há 1 década

É verdade que Jesus era negro?

Se é verdade pq os senhores feudais não penduraram ele no pelourinho da senzala e crucificaram ele?

Fiquei sabendo por um amigo que Jesus era o irmão de Maomé e de Buda, aí eles brigaram e cada um foi pra uma parte do mundo

por isso Jesus descobriu Deus, Maomé descobriu Ala e Buda descobriu o Budismo.

Me expliquem gente.

31 Respostas

Classificação
  • Há 1 década
    Resposta favorita

    A Palavra de Deus omite deliberadamente tais detalhes ‘evocativos’ da aparência de Jesus. Por quê? Porque eles provavelmente distrairiam do que significa vida eterna — o conhecimento bíblico. (João 17:3) O próprio Jesus, que é nosso real exemplo, ‘não olha’, ou acha importante, “a aparência externa dos homens”. (Mateus 22:16; note Gálatas 2:6.) Destacar a aparência de Jesus, não havendo nenhuma menção dela nos Evangelhos inspirados, é ir de encontro ao próprio espírito desses Evangelhos.

    Como “Cordeiro de Deus” Jesus não tinha defeito, sendo, sem dúvida, um homem de boa aparência. (João 1:29; Hebreus 7:26) E, com certeza, não estampava sempre aquele ar melancólico que lhe atribui a arte popular. É verdade que Jesus passou por muitos eventos estressantes, mas, na sua disposição geral, ele espelhou com perfeição seu Pai, o “Deus feliz”. — 1 Timóteo 1:11; Lucas 10:21; Hebreus 1:3.

    Era longo o cabelo de Jesus? Apenas os nazireus não deviam cortar o cabelo nem beber vinho, e Jesus não era nazireu. De modo que ele, sem dúvida, usava um cabelo bem aparado, como os varões judeus em geral. (Números 6:2-7) Ele também apreciava tomar vinho moderadamente, na companhia de outros, o que reforça a idéia de que não era um indivíduo tristonho. (Lucas 7:34) De fato, ele fez vinho realizando um milagre numa festa de casamento em Caná da Galiléia. (João 2:1-11) E obviamente usava barba, evidenciado por uma profecia sobre seu sofrimento. — Isaías 50:6.

    E que dizer dos traços físicos de Jesus? Provavelmente eram semitas. Ele os teria herdado de sua mãe, Maria, que era judia. Os ancestrais dela também eram judeus, da linhagem dos hebreus. De modo que os traços físicos de Jesus provavelmente eram como os de um judeu comum.

    Mesmo entre seus apóstolos, Jesus evidentemente não se destacava como fisicamente muito diferente, pois Judas teve de traí-lo aos seus inimigos com um beijo identificador. Portanto, Jesus podia facilmente misturar-se no meio de multidões. E ele fez isso, pois, pelo menos uma vez, viajou da Galiléia a Jerusalém sem ser reconhecido. — Marcos 14:44; João 7:10, 11.

    Alguns concluem, porém, que Jesus era frágil. Por que dizem isso? Por um lado, ele precisou de ajuda para carregar a estaca de tortura. E, dos três homens executados na estaca, ele foi o primeiro a morrer. — Lucas 23:26; João 19:17, 32, 33.

    Contrário à tradição, a Bíblia não descreve Jesus como sendo frágil ou efeminado. Na verdade, ela diz que, ainda jovem, ele “progredia em sabedoria e em desenvolvimento físico, e no favor de Deus e dos homens”. (Lucas 2:52) Por quase 30 anos ele trabalhou como carpinteiro. Este parece não ser um ofício para uma pessoa franzina, especialmente naquele tempo, quando não havia máquinas modernas que poupam trabalho. (Marcos 6:3) Também, Jesus expulsou o gado, as ovelhas e os cambistas do templo, derrubando suas mesas. (João 2:14, 15) Isso também sugere uma pessoa varonil e robusta.

    Nos últimos três anos e meio de sua vida na Terra, Jesus caminhou centenas de quilômetros em viagens de pregação. No entanto, seus discípulos jamais sugeriram que ele ‘descansasse um pouco’. Ao contrário, foi Jesus quem disse para eles, alguns dos quais eram rijos pescadores: ‘Vinde, em particular, a um lugar solitário, e descansai um pouco.’ — Marcos 6:31.

    De fato, “a inteira narrativa evangélica”, diz a Cyclopœdia de M’Clintock e Strong, “indica que a saúde física [de Jesus] era boa e vigorosa”. Então, por que precisou de ajuda para carregar a estaca de tortura, e por que morreu antes dos outros executados junto com ele?

    Um fator-chave é a aflição extrema. Perto do dia de sua execução, Jesus disse: “Deveras, tenho um batismo com que devo ser batizado, e como estou aflito até que termine!” (Lucas 12:50) Essa aflição virou “agonia” na sua última noite. Diz o relato: “Ficando em agonia, continuava a orar mais seriamente; e seu suor tornou-se como gotas de sangue caindo ao chão.” (Lucas 22:44) Jesus sabia que as perspectivas de vida eterna da humanidade dependiam de sua integridade até a morte. Que responsabilidade! (Mateus 20:18, 19, 28) Ele também sabia que seria executado como criminoso ‘amaldiçoado’ pelo próprio povo de Deus. Assim, ele temia que isso causasse vitupério contra seu Pai. — Gálatas 3:13; Salmo 40:6, 7; Atos 8:32.

    Depois de ter sido traído, Jesus sofreu uma série de crueldades. Num julgamento simulado realizado bem depois da meia-noite, as principais autoridades do país o ridicularizaram, cuspiram nele e deram-lhe socos. Para dar ao julgamento da madrugada um ar de legitimidade, houve outro julgamento de manhã cedo. Nesse, Jesus foi interrogado por Pilatos; daí por Herodes, que, junto com seus soldados, zombou dele; e de novo por Pilatos. Por fim, Pilatos mandou açoitá-lo. E não eram chicotadas comuns. A revista JAMA, da Associação Médica Americana, disse a respeito da prática romana do açoite:

    “O instrumento costumeiro era um chicote curto . . . com várias correias, simples ou trançadas, de diversos comprimentos, nas quais bolinhas de ferro ou afiadas lascas de osso de ovelha eram amarradas em intervalos. . . . À medida que os soldados romanos repetidamente açoitavam as costas da vítima com toda a força, as bolinhas de ferro causavam profundas contusões, e as correias e os ossos de ovelha cortavam os tecidos cutâneos e subcutâneos. Daí, ao passo que a fustigação prosseguia, as lacerações dilaceravam os músculos subjacentes do esqueleto e produziam tremulantes tirinhas de carne viva.”

    Obviamente, a vitalidade de Jesus já estava comprometida bem antes de ele envergar-se sob o peso da estaca que carregava. De fato, a revista JAMA observou: “O abuso físico e mental infligido pelos judeus e pelos romanos, bem como a falta de alimentos, água e sono, também contribuíram para o enfraquecimento geral de sua condição.

  • Há 1 década

    O meu avatar mostra como a medicina forense reconstituiu o rosto de um crânio jucaico do século I.

    Se Jesus tivesse a aparência das imagens que circulam por aí, ele seria muito diferente dos apóstolos.

    O beijo de Judas teria sido desnecessário.

    Bastaria ele diser para os romanos:

    "Peguem o loiro de madeixas cacheadas!"

  • Anônimo
    Há 1 década

    Pode até ser, dada a região em que Ele viveu... Loirinho de olhos azuis, e cabelinho de shampoo, é que Ele não tinha.

    Ficou 40 dias e 40 noites no deserto... Andava por toda a Judeia e Samaria a pé e dormia ao relento... Fala sério!

    Pouco me importa se era Branco, Negro, Asiático, Vermelho... Ele sendo quem é, me basta, e nada diminuirá meu respeito a amor por Ele!

  • Há 1 década

    o amor tem cor?

    bom domingo

  • O que você acha das respostas? Você pode entrar para votar em uma resposta.
  • ?
    Lv 6
    Há 1 década

    Existe datas que não batem em sua pergunta.

    Buda = ano 500 a.C.

    Jesus = ano zero

    Maome = ano 600 d.C.

    Quanto a cor, Jesus era judeu e os judeus não são negros.

    .

  • Carlos
    Lv 5
    Há 1 década

    A questão é que os cristãos confundem propositalmente Jesus com Deus. O que é uma blasfêmia, para qual até Jesus rejeitava. Jesus sempre se colocou como um mandatário de Deus e não O próprio. A sua autoridade estava em ser o legado de Deus na Terra naquele momento e não o próprio Deus.

    Quanto à cor da pele de Jesus não era de um homem do Norte da Europa, como os artistas europeus pintaram. No oriente a figura de Jesus tem traços orientais para criar um vinculo com as pessoas.

    Maomé nasceu uns 600 anos após Jesus e a Igreja cristã ainda era incipiente e mal estava organizada pelo estado romano na Europa. Na península árabe a relação entre Judeus, árabes (que ainda não eram mulçumanos de hoje) e cristãos era harmoniosas.

    Tanto que o Alcorão faz referencias a Judeus e Cristãos.

    Buda que muito anterior a Jesus não foi irmão de Jesus (nem de Maomé) e muito menos teve algum vinculo. A personalidade a qual se referem como Buda, Sidarta Gautama, não foi nem o primeiro e nem o último Buda, mas um entre vários.

    Os ensinamentos dele tem um paralelo coma doutrina crista, tirando essa invencionice cristã de salvação (nesse sentido que dão hoje) e ao qual nunca foi ensinado por Jesus.

  • HOPE
    Lv 5
    Há 1 década

    Se Jesus era negro ou não isso não importa, pois, o mais importante em uma pessoa não e sua raça, cor, credo ou religião, mas seus ensinamentos e acredite alguém que ensinou a amar as pessoas como elas são,como Jesus fez, foi alguém muito importante.

  • Há 1 década

    Jesus era Hebreu, portanto da raça predominante no Oriente Médio, mas não era negro e muito menos irmão de Maomé e Budha.

    Budha viveu no século VI antes de Cristo.

    Jesus viveu no século I e

    Maomé viveu entre os séculos VI e VII depois de Cristo.

    Paz e Luz!

    Fonte(s): História
  • Anônimo
    Há 1 década

    E isso faz alguma diferença pra vc?

  • Há 1 década

    Branco ele não devia ser, é só vc ver os árabes como são. O povo é o mesmo: judeu... árabe, só muda a religião.

Tem mais perguntas? Obtenha suas respostas perguntando agora.