Tecnologia, poder, hipocrisia e libertinagem, por onde haverá conciliação ou destaque?

Vou começar falando da grande conspiração capitalista contra a humanidade. Quem já leu algumas obras que falam sobre isso como "O protocolo dos sábios do Sião" (Obrigado Bruska) verá que tudo o que acontece na política mundial é cuidadosamente arquitetado e sincronizado por gente que pensa nos mínimos... mostrar mais Vou começar falando da grande conspiração capitalista contra a humanidade. Quem já leu algumas obras que falam sobre isso como "O protocolo dos sábios do Sião" (Obrigado Bruska) verá que tudo o que acontece na política mundial é cuidadosamente arquitetado e sincronizado por gente que pensa nos mínimos detalhes.
Os homens do poder, como até mesmo nosso presidente, dentro do âmbito que lhes compete, são peças num tabuleiro mundial que obedecem a movimentos absolutamente sincronizados e com intenções delineadas de domínio das massas.
Documentários, filmes e reportagens sobre os "11 de setembro", "Osama Bin Laden", "Saddam Roussein", "Bento XVI", mas, nada mais do que ações engendradas para criar um apelo político mundial e justificar ações belicosas que visam abarcar a humanidade inteira, subjugando-a e a mantendo calma dentro de padrões previamente estabelecidos e previstos, de forma que enriqueçam às pessoas certas e escravizem-nas da mesma forma.


Se você parar pra refletir e observar bem, verá que a evolução tecnológica chegou ao seu ápice. Hoje um sul americano médio vive melhor do que os Reis da Renascença e todos os anteriores. Esgoto, energia elétrica, máquinas que dinamizam o trabalho e nos dão tempo em tarefas outrora custosas; alimentação diversificada e barata graças às técnicas genéticas e de enxertia, bem como outras que envolvem ecologia e processos de plantio orgânicos e similares que começam a dispensar o uso de agrotóxicos e outros pesticidas; celulares, computadores, TVs de LCD e similares, passagens aéreas de baixo custo, água mineral, roupas baratíssimas, relógios, rádios, aparelhos de som, MP3 e uma miríade de coisas que ultrapassam o limite da utilidade real e se tornam até supérfluas. Assim, surge a primeira pergunta, mas com o uso do verbo no sentido existencial e não como expressão de conforto delinqüente:

Se ultrapassamos os limites do essencial, o que a indústria do “não preciso” vai inventar para alienar os macaquitos?

Invenções cosméticas que prometem restituir juventude ou ao menos simulá-la, tais como implantes de silicone, botox, cirurgias, transplantes, etc., todas elas adulterando o curso normal da vida no caráter biológico. Gente que começa a consumir tudo o que a TV mostra, crendo que todas as informações sejam verdade. Qualquer hora, teremos esterco como “Elixir da juventude” e o substrato das baias valerá ouro!

Mas observe que enquanto alguns usufruem dessas novidades, a maioria está alienada e sofrendo processos de cobaia em campo de testes armamentistas.
Como alguém pode admitir a palavra “Insurgente” sendo usada contra um cidadão que luta pela sua pátria contra outra invasora que assim o denomina?
Não tendo mais o que conquistar, o mundo deverá se tornar algo mais evidente. Enquanto alguns povos vivem premidos pelos processos de Guerra e Dominação, outros que têm acesso à tecnologia vão se tornar “Romas” dos excessos, admitindo tudo o que é decadente, como podemos ver com relação às drogas, sexo e comportamento social alienado.
A diferença é que antigamente, não havia informação, mas hoje, só não sabe quem é boçal e ímprobo. Assim, a humanidade futura deverá ser moldada por uma minoria pensante que mudará os termos da relação entre a subsistência e a luxúria da índole humana.

Os débeis e inúteis mentalmente deverão assim se assumir, se tornando serviçais sem direitos iguais aos seus senhorios. Os mais inteligentes serão a casta superior encerrada “in vitro”, separada em metrópoles especiais e os grandes manipuladores ( terceiro grupo), viverão nesses centros na mais perfeita tranqüilidade. Tal e qual Aldous Huxley em seu “Admirável Mundo Novo” haverá graus e as drogas dadas aos “animais de carga” serão licenciadas. Da mesma forma a luxúria condenável, habitará a vida dos poderosos e manipuladores.
Portanto, o capitalismo nos assegura esse futuro com sua tecnologia díspar da integração social.

O que seria então melhor:

Viver assim ou voltar aos tempos da Lei rígida onde vale a hipocrisia dos valores morais que disfarçam essa trama?
Atualizar: Lampreia
Esqueci-me de pedir para hipocéfalos não responderem.
Me desculpe por isso.
Atualização 2: Zaratustra;
Concordo, cada vez mais levados e menos opinião.

Encucada
obrigado lindinha, beijos for to you too.
Atualização 3: Bill Li o texto do Fuser Zaratustra, aliás, grande pergunta e grande resposta, que pena que tais coisas passem por aqui sem alarde. Exuberante Krystal A nossa reação é justamente essa, desilusão, pois a porcalha não nos deixa alternativa. Parece que contra as massas nada pode ( a não ser a... mostrar mais Bill
Li o texto do Fuser Zaratustra, aliás, grande pergunta e grande resposta, que pena que tais coisas passem por aqui sem alarde.

Exuberante
Krystal
A nossa reação é justamente essa, desilusão, pois a porcalha não nos deixa alternativa. Parece que contra as massas nada pode ( a não ser a mentira).

Gatito preto
Adoro teu Vixe....

iluminado Sun
profunda palavra. Do cadáver do mundo nasce um rebento que cria um novo Universo. profecia e aspiração antiga que implica justamente nisso, pois da morte da forma negativa o ensinamento nasce como a única coisa boa.

Cara LINCE
A tua perspectiva encerra a posição do Sun.
A evolução segue por todos os terrenos e muitas vezes teremos pedras no meio do caminho, quando melhores serão calos, ferimentos, e unhas perdidas, mas um progresso. Concordo, pois, como disse o Sun, daí nascem novas formas.



Tirzah nossa belezura
Vou te mostrar minha coleção de ácaros sarcofagais e bactérias mumificadas.
Nem tudo!

beijos.
9 respostas 9