...E o que é uma ponte?

. .. ... Giovanna tem sete anos e veio mostrar seu desenho, uns rabiscos oblongos com pontinhos nos extremos. Com meus olhos distantes dessa infância, não pude entender o que era. "- É uma ponte, tio. Não sabe o que é uma ponte?" - E o que é uma ponte? perguntei. Ela fez uma mesura de... mostrar mais .
..
...

Giovanna tem sete anos e veio mostrar seu desenho, uns rabiscos oblongos com pontinhos nos extremos.

Com meus olhos distantes dessa infância, não pude entender o que era.

"- É uma ponte, tio. Não sabe o que é uma ponte?"

- E o que é uma ponte? perguntei.

Ela fez uma mesura de tédio e respondeu:
"-Você já é grande e não sabe o que é uma ponte? Ponte é uma coisa que as pessoas fazem quando querem encontrar com as outras! Não vê quanta gente aqui?" - Mostra os pontinhos.

Olhei bem o desenho e, querendo embaraçá-la, disse:
- Mas tem um montinho de gente que está fora da ponte!

Esperta, ela emendou: "Umas pessoas não querem. Têm medo"

- Medo de encontrar as outras? reperguntei

"É"

-Quando uma pessoa está brigada com a outra, ela também pode fazer uma ponte?

Ela revirou os olhos, pensando e procurando uma resposta:
"Claro, né. Mas não pode ficar com medo" Mostrou de novo os pontinhos fora.

Fiquei cá pensando com meus botões eletrônicos:

...Quando a gente cresce tudo vai ficando tão complicado!
Construímos mais muros do que pontes e encastelamo-nos nos cercados...

E você, tem encontrado mais pontes ou mais muralhas?
Como estão suas construções interiores?
...
..
.
Atualizar: Ah! as pontes que parecem sair do nada para lugar nenhum! Há aquelas que antecedem os caminhos; há as que são naturais; há as rústicas que intercalam pequeninos seixos e pedras bem grandes; há as que ficam ainda que os caminhos não sejam trilhados mais, por anacrônicos ou obsoletos; há as pontes que também... mostrar mais Ah! as pontes que parecem sair do nada para lugar nenhum!

Há aquelas que antecedem os caminhos;

há as que são naturais;

há as rústicas que intercalam pequeninos seixos e pedras bem grandes;

há as que ficam ainda que os caminhos não sejam trilhados mais, por anacrônicos ou obsoletos;

há as pontes que também ligam e parecem bamboleantes mas transpõem abismos.
Destas ficamos admirados de como são construídas ante tal dificuldade, seja pelo despenhadeiro que interfere ou a distancia entre os pontais, que assusta.

O verbo artesão das pontes é o QUERER e as peças partes e pedaços são o que sentimos e como sentimos os estão do outro lado.

Porém, muitos de nós ficamos às cabeceiras delas acenando sem dar um passo pra lá
como a Giovanna quis me ensinar, mas só vou aprender quando for criança outra vez.

Obrigado amigos.
8 respostas 8