• O que é ciclo respiratório?

    18 respostas · 1 dia atrás
  • O que são taxas de cambio? Quais os tipos?

    15 respostas · 2 dias atrás
  • Eu ejaculei no chao do banheiro e depois joguei agua sanitaria em cima e em seguida água tem como sobreviário ? Quanto tempo vive na agua ?

    Melhor resposta: Da forma que vc ejaculou no chão, já é sinal de todos morrerem em questão de minutos. E quando vc jogou agua sanitária, talvez já tinha até morrido. Espermatozoides não sobrevoam, eu quase RI com isso, mais tudo bem. Eles não sobrevivem já agua, e morrem ao entrar em contato com ela.
    Melhor resposta: Da forma que vc ejaculou no chão, já é sinal de todos morrerem em questão de minutos. E quando vc jogou agua sanitária, talvez já tinha até morrido. Espermatozoides não sobrevoam, eu quase RI com isso, mais tudo bem. Eles não sobrevivem já agua, e morrem ao entrar em contato com ela.
    4 respostas · 1 dia atrás
  • Se o homem veio do macaco, por que os outros macacos não evoluíram também?

    Melhor resposta: Porque a evolução não é algo que faz uma espécie se transformar em outra, mas sim a transformação gradual de um grupo de indivíduos de uma espécie em outra espécie. Existe uma grande diferença! Apesar da expressão “evolução das espécies” ser bastante comum, não são as espécies que evoluem, mas os grupos de... mostrar mais
    Melhor resposta: Porque a evolução não é algo que faz uma espécie se transformar em outra, mas sim a transformação gradual de um grupo de indivíduos de uma espécie em outra espécie. Existe uma grande diferença! Apesar da expressão “evolução das espécies” ser bastante comum, não são as espécies que evoluem, mas os grupos de indivíduos. Uma espécie de plantas pode se espalhar por diversos locais, sendo que um grupo pode sofrer pressões evolutivas e se tornar uma segunda espécie, enquanto que um outro grupo pode sofrer outras pressões e se tornar uma terceira espécie, enquanto que outro grupo pode não sofrer pressão alguma e continuar sendo a mesma espécie. Como cada grupo estava em uma região diferente, cada grupo interagiu com um meio diferente e cada grupo tomou caminhos evolutivos diferentes. O fato de um grupo estar sofrendo mudanças não significa que as mudanças irão ocorrer em todos os indivíduos que pertencem àquela espécie, mas que estão em ambientes diferentes.

    Essa pergunta também esconde um erro comum de que evolução significa “melhoria contínua”. Evolução na verdade significa “adaptação ao meio”. Uma espécie plenamente adaptada ao seu meio está em equilíbrio e não conseguirá mais evoluir por estar no seu “ápice”. Uma vez que o meio mude, o equilíbrio se rompe e surgem pressões que irão selecionar mutações que tragam algum benefício, alguma ajuda para superar as novas dificuldades.

    Isso significa que os indivíduos que conhecemos hoje como macacos são os descendentes daqueles indivíduos que sofreram pressões evolutivas diferentes de nossos ancestrais, apenas isso.
    23 respostas · 1 semana atrás
  • É possível perder pontos de QI, ou melhor dizendo, ficar mais “burro” ao bater a cabeça ?

    Melhor resposta: Apenas se uma parte do crânio for danificada. Uma batida superficial não causaria tal dano.

    Espero ter ajudado.
    Melhor resposta: Apenas se uma parte do crânio for danificada. Uma batida superficial não causaria tal dano.

    Espero ter ajudado.
    6 respostas · 5 dias atrás
  • Qual o nome cientifico da maconha?

    5 respostas · 6 dias atrás
  • De que adianta ser bonito e ser um tremendo pega ninguém?

    Melhor resposta: Vc não é bonito pra ficar pegando mulher. Vc é bonito principalmente para agradar a si mesmo. As pessoas não se cuidam para agradar os outros mas por auto estima quer dizer, para agradarem a si mesmas.
    Melhor resposta: Vc não é bonito pra ficar pegando mulher. Vc é bonito principalmente para agradar a si mesmo. As pessoas não se cuidam para agradar os outros mas por auto estima quer dizer, para agradarem a si mesmas.
    40 respostas · 2 semanas atrás
  • Seleção Natural...?

    Melhor resposta: Vamos lá. Existe muita confusão sobre o que é a seleção natural. Primeiro de tudo, é preciso lembrar que a expressão ‘seleção natural’ é uma metáfora, inspirada na ideia de ‘seleção artificial’, que é quando os criadores de animais e plantas escolhem certas características desejáveis de certos animais e plantas e... mostrar mais
    Melhor resposta: Vamos lá. Existe muita confusão sobre o que é a seleção natural.

    Primeiro de tudo, é preciso lembrar que a expressão ‘seleção natural’ é uma metáfora, inspirada na ideia de ‘seleção artificial’, que é quando os criadores de animais e plantas escolhem certas características desejáveis de certos animais e plantas e as ‘selecionam’ (através dos indivíduos que as possuem) para a reprodução, desta maneira, fazendo com que essas características tornem-se mais comuns nas próximas gerações, já que apenas os indivíduos portadores das características de interesse poderão cruzar, reproduzir, deixar descendentes. Esse processo feito contínua e reiteradamente pode criar novas raças com características bastante particulares e diferentes das das raças ancestrais.

    Darwin, teve o insight de propor que algo parecido deveria ocorrer na natureza, sem a supervisão humana ou de qualquer outro ser inteligente. Na perspectiva de Darwin, fatores do ambiente poderiam agir como ‘agentes seletivos’. Portanto, a seleção natural é basicamente como chamamos o fato de que certos indivíduos dentro da população, por possuírem certas características fenotípicas (anatômicas, fisiológicas, bioquímicas, comportamentais etc) diferentes em relação aos demais indivíduos, serem mais propensos a sobreviverem e a deixarem mais descendentes, pelo menos, em um dado contexto ecológico.

    Portanto, a seleção natural diz respeito ao fato de que certas características variantes presentes em certos indivíduos produzem (causam) diferenças no sucesso reprodutivo através de seus efeitos em interações ecológicas nas quais esses indivíduos estão envolvidos (ex: predação, parasitismo, competição por recursos ou parceiros etc).

    Por exemplo, imagine uma população de pequenos animais herbívoros que está constantemente sujeita a predação, sendo esse o principal fator de morte de indivíduos. Caso um desses indivíduos possua uma melhor capacidade de evitar predadores (por exemplo, por causa de seu padrão de camuflagem), ele provavelmente sobreviverá por mais tempo e, portanto, poderá acasalar mais e deixar mais descendentes. Isso é essencialmente a ‘seleção natural’: Existem vários indivíduos sujeitos aos mesmos fatores ambientais, mas um (ou alguns) deles tem uma característica que o torna diferente dos demais e que aumenta suas chances de sobreviver e procriar -ou seja, um fator ambiental comum (a predação) ‘o seleciona’ em relação aos demais. Dessa maneira, ser ‘selecionado pelo ambiente’ quer apenas dizer que certos fenótipos em certos ambientes aumentaram as chances dos indivíduos que os exibem deixarem mais descendentes.

    Aí entramos em outra questão importante. Para que esse processo seja eficaz e promova a evolução de uma população ou espécie é preciso que ele seja consistente através das gerações, portanto, essas características diferenciais precisam ser herdáveis. O mesmo ocorre na seleção artificial. Para que valha a pena selecionar e cruzar indivíduos com certas características é preciso que seus descendentes também as possuam. A característica variante deve ser, pelo menos, parcialmente herdável. É aí que entram os genes. (Na realidade, os alelos – ou seja, as variantes genicas). Se isso acontece, o processo pode continuar ao longo de várias gerações (claro, caso o ambiente permaneça estável e a característica vantajosa), o que fará que cada vez mais indivíduos exibam essa característica na população simplesmente porque os indivíduos que as possuem deixam mais descendentes. Isso faz com que a proporção desses indivíduos (e das variantes genicas que ‘codificam’ as tais características) aumente geração após geração até que todos os indivíduos da população a exibam. Isso é o que os geneticistas de populações chamam de ‘fixação’* de uma característica, gene ou alelo.

    Entenda que esse processo é cumulativo. Novas mutações vão sempre surgindo, ajudando a produzir características compostas mais complexas e muitas vezes, e, como o ambiente muda (o que inclui a relação entre os próprios indivíduos dentro da população), as características mais vantajosas também podem mudar. Assim uma vantagem agora pode ser uma desvantagem depois ou em outro ambiente. O importante é compreender que as tais vantagens dependem sempre do contexto ecológico específico e, em geral, são relativas (e não absolutas) em relação aos diferentes indivíduos a população..

    Sobre a origem de novas espécies, acho que você confundiu as coisas. A seleção natural pode sim ser um dos fatores que produz novas espécies, mas não é o único e nem é sempre necessário para isso, embora esteja quase sempre atuando. Como evolução é a mudança das características herdáveis ao longo das gerações de uma população, para que haja evolução só é preciso que haja variabilidade hereditária (que é produzida por mutações e recombinação) e alterações nas proporções de diferentes indivíduos com diferentes genótipos ao longo das gerações, isto é, reprodução ou sobrevivência diferencial. Isso pode ocorrer em virtude da seleção natural, mas também em virtude do puro acaso, como é acontece com a ‘deriva genética aleatória’, as diferenças na sobrevivência e sucesso reprodutivo dos indivíduos não é causado pela posse de nenhuma característica fenotípica particular herdável, mas pelo simples fato de que quase sempre haverá variação nas taxas de nascimento e morte de indivíduos a despeito de sua constituição genética. Lembra daquele individuo que se camuflava melhor e assim evitava a predação? Embora ele tenha mais chances de sobreviver e deixar descendentes que os demais, eventualmente, ele pode ser pisoteado ou contrair uma doença e morrer, em um evento completamente não relacionado com sua vantagem e em virtude de circunstâncias em que qualquer outro indivíduo poderia perecer (‘Azar’).

    No caso dos tigres siberianos, o que deve ter ocorrido é que existia uma população ancestral de tigres que se dividiu em várias populações localizadas em regiões geográficas diferentes e que enfrentavam ambientes diferentes. Aos poucos, como elas estavam isoladas reprodutivamente umas das outras, os eventos de mutação, recombinação, deriva e seleção que ocorriam em uma subpopulação não afetavam outra e, assim, aos poucos, cada subpopulação foi evoluindo características distintas umas das outras, a medida que o tempo passava. Uma dessas subpopulações é o que conhecemos hoje como tigres Siberianos, as outras são os de Bengali, Sumatra, Bornéu etc. Esse é o mesmo processo que produz espécies diferentes a partir de uma mesma espécie ancestral. Com o tempo, as subpopulações podem tornar-se tão diferentes entre si que os indivíduos de uma não conseguem acasalar com o de qualquer outra e, aí, são consideradas espécies diferentes.
    ----------------------------
    *Nem sempre isso acontece. Algumas características (ou genes e alelos) nunca se fixam, mantendo sempre uma certa variabilidade na população. Isso pode ocorrer por causa de vários fatores, mas um bastante comum é a chamada seleção natural dependente de frequência. Nesse tipo particular de ‘regime’ seleção natural, as vantagens de um tipo de característica só existem enquanto ela for relativamente rara na população. Assim que ela aumenta demais na população, outra característica passa a ser a mais vantajosa. Isso faz com que as características oscilem na população e, em algumas situações, atinjam um equilíbrio e coexistam diversas variações na mesma população por longos períodos de tempo.
    5 respostas · 1 semana atrás