• Palavras machucam mais que o silêncio?

    Melhor resposta: O silêncio é um companheiro do pensamento introspectivo, da meditação. Mas, ao comparar silêncio e palavras, imagino que você se refira a um tipo especial de silêncio: O famoso "gelo", que aplicamos às relações pessoais quando nos decepcionamos com outra pessoa. Bem, nesse caso, embora ambos sejam... mostrar mais
    Melhor resposta: O silêncio é um companheiro do pensamento introspectivo, da meditação. Mas, ao comparar silêncio e palavras, imagino que você se refira a um tipo especial de silêncio: O famoso "gelo", que aplicamos às relações pessoais quando nos decepcionamos com outra pessoa. Bem, nesse caso, embora ambos sejam incômodos, as palavras têm mais a capacidade de ferir. O silêncio com todas as suas possibilidades, deixa no ar a dúvida sobre o que poderia ter sido. Já as palavras são como flechas lançadas: Não voltam mais.
    101 respostas · 3 dias atrás
  • Todos os dias vamos nos esculpindo como uma grande obra?

    Ou apenas nos desgastando? https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/564... "Caminhante, são tuas pegadas o caminho e nada mais; caminhante, não há caminho, se faz caminho ao andar" Antonio Machado.
    Ou apenas nos desgastando? https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/564... "Caminhante, são tuas pegadas o caminho e nada mais; caminhante, não há caminho, se faz caminho ao andar" Antonio Machado.
    31 respostas · 3 dias atrás
  • Dentro de você há dois cachorros enormes brigando ferozmente. Um é muito bom, e o outro é terrivelmente cruel....?

    Melhor resposta: eu deixo o cachorrão malvado morrer por inanição,
    e alimento bem o cachorro dócil.
    às vezes o malvado é forte, tinhoso, mas eu dou um jeito
    de não entrar na onda dele.
    Melhor resposta: eu deixo o cachorrão malvado morrer por inanição,
    e alimento bem o cachorro dócil.
    às vezes o malvado é forte, tinhoso, mas eu dou um jeito
    de não entrar na onda dele.
    38 respostas · 3 dias atrás
  • Qual foi o melhor presente que vc ganhou?

    8 respostas · 12 horas atrás
  • Filosofos, o q acham da frase "Se arrependido matasse não existia suicídio"?

    Melhor resposta: O certo é SE ARREPENDIMENTO MATASSE, NÃO TERIA FEITO ISSO.
    Melhor resposta: O certo é SE ARREPENDIMENTO MATASSE, NÃO TERIA FEITO ISSO.
    18 respostas · 3 dias atrás
  • Se a vida fosse uma equação matemática, vc teria facilidade em encontrar os "X" das questões?

    "Que dança é essa de tantos ritmos, sem prévia coreografia.. cada passo,um improviso,uma incógnita no final" Matéria Desumanas e Inexatas Quem dera fosse tão simples assim...rs 2x + y + x² + ax² Bom dia a todos!
    "Que dança é essa de tantos ritmos, sem prévia coreografia.. cada passo,um improviso,uma incógnita no final" Matéria Desumanas e Inexatas Quem dera fosse tão simples assim...rs 2x + y + x² + ax² Bom dia a todos!
    32 respostas · 4 dias atrás
  • Por que "orgulho de ser hétero"? Precisa de muito esforço pra ser?

    Melhor resposta: Esse discurso nunca é gratuito: trata-se de uma retaliação do orgulho de se ser diferente, e é geralmente acompanhado pela deturpação daquilo que as minorias defendem. Quem ostenta orgulho por ser heterossexual (e cisgênero) frequentemente busca desmerecer aqueles que são representados pela bandeira do arco-íris –... mostrar mais
    Melhor resposta: Esse discurso nunca é gratuito: trata-se de uma retaliação do orgulho de se ser diferente, e é geralmente acompanhado pela deturpação daquilo que as minorias defendem. Quem ostenta orgulho por ser heterossexual (e cisgênero) frequentemente busca desmerecer aqueles que são representados pela bandeira do arco-íris – afinal, pessoas LGBTQ têm orgulho de quê? Por que se orgulhar de levar uma vida “vergonhosa”?

    Na verdade, o orgulho que ostentamos é o de não termos desistido de sermos quem somos para acatarmos aos “bons costumes” da sociedade – que, por estar imersa numa cultura cis-heteronormativa, demandam que todos sejamos cis-heterossexuais –. Ou seja: trata-se do orgulho de não termos cedido aos anseios do moralismo; do orgulho de não termos sucumbido ao contemplarmos o suicídio; do orgulho de termos uma vida digna, por mais que multidões selvagens tenham afirmado que, para nós, isso nunca seria possível.

    Veja: uma pessoa cis-hétero que se formou, casou, construiu uma carreira e constituiu uma família não fez nada além daquilo que toda a sociedade espera de qualquer indivíduo normal. Uma pessoa LGBTQ, por sua vez, raramente não teve que ir contra o julgamento do mundo e de todos para alcançar essas mesmas coisas, tendo sido segregada inúmeras vezes – frequentemente, aliás, pela própria família. A vivência de qualquer LGBTQ que não se esconde, que não se reprime, é extremamente diferente da de uma pessoa normal, desde o relacionamento dela com a família até o mundo empresarial – lembremos que o preconceito é cultural!

    É, de fato, prudente que o nosso orgulho esteja restrito às nossas conquistas, mas o que a maioria da população não consegue compreender é que se permitir *ser* diferente já é, em si, uma conquista. Por quê? Porque a discriminação é onipresente; e ela pode ser facilmente constatada com o seguinte experimento, que proponho a quem interessar: ande de mãos dadas num lugar público e movimentado com alguém do sexo oposto; depois repita, mas com alguém do mesmo sexo. Garanto que a diferença será colossal, e que isso ainda é muito pouco ou quase nada para se depreender todos os aspectos de uma vida imoral.

    Há moralistas que defendem que “não há problema algum” em sermos quem somos, mas que deveríamos dissimular os nossos relacionamentos, restringirmo-nos às quatro paredes, como se a nossa sexualidade pudesse ser reduzida ao coito; como se não houvesse afeto; como se não fôssemos dotados de sentimento; como se pertencêssemos a uma espécie sub-humana cujo amor fosse alérgico à luz solar…

    O nosso orgulho serve para que ponhamos a nossa cara à tapa sem medo; serve para que gritemos que existimos, sim, e que não queremos que as futuras gerações passem pela mesma repressão que nos consome (e que já foi muito pior); serve para que não tenhamos medo de ter voz nas transformações dos valores morais da nossa sociedade. Trata-se de uma afronta a um moralismo mórbido, porque demandamos o fim do deboche; o fim da agressão; o fim do assassinato passivo que a cis-heteronormatividade pratica em seu cotidiano.

    O nosso orgulho é o jeito que encontramos para impormos a nossa existência.
    61 respostas · 5 dias atrás
  • Agora que o Carnaval chegou. Será que vai alegrar sua alma e suprir todas as suas expectativas de felicidades: Colombina eu te amei ...?

    Melhor resposta: Pois é...há tanta infelicidade nesse mundo, que as pessoas se apegam nessa alegria falsa, maquiada e sem nexo do carnaval...a alegria é de dentro pra fora e não com o riso escancarado somente diante das câmeras da TV.não é mesmo....e saio cantando pra essa gente que pensa assim: Quanto riso óh quanta... mostrar mais
    Melhor resposta: Pois é...há tanta infelicidade nesse mundo, que as pessoas se apegam nessa alegria falsa, maquiada e sem nexo do carnaval...a alegria é de dentro pra fora e não com o riso escancarado somente diante das câmeras da TV.não é mesmo....e saio cantando pra essa gente que pensa assim:

    Quanto riso óh quanta alegria...mais de mil palhaços no salão....literalmente falando...rs

    bjos
    13 respostas · 3 dias atrás
  • A ignorância pode descostruir um sábio?

    16 respostas · 3 dias atrás
  • VOCÊ TAMBÉM ODEIA O CARNAVAL?

    14 respostas · 1 dia atrás
  • O excesso de tecnologia hoje em dia faz as pessoas pensarem menos?

    Filósofos como Aristóteles, Sócrates, Platão, etc., inventores como Dumont, Thomas Edson, Einstein, etc., cada vez ficam mas escassos, hoje em dia dificilmente se inventa alguma coisa, o máximo que fazem é juntar o que já existe com uma coisa que já existe, tipo colocar uma câmera num celular. Será que antigamente... mostrar mais
    Filósofos como Aristóteles, Sócrates, Platão, etc., inventores como Dumont, Thomas Edson, Einstein, etc., cada vez ficam mas escassos, hoje em dia dificilmente se inventa alguma coisa, o máximo que fazem é juntar o que já existe com uma coisa que já existe, tipo colocar uma câmera num celular. Será que antigamente as pessoas pensavam mais porque não tinham a tecnologia para ocupar o tempo ou fazia parte de uma cultura?
    5 respostas · 2 dias atrás
  • Sorte e azar existem?

    8 respostas · 2 dias atrás
  • Você concorda que ser uma pessoa amarga vale mais a pena?

    Melhor resposta: as pessoas que se dão melhor na vida,são os ranzinzas, mal humorados e chatos.
    desconfie de quem é muito doce e conversa muito mansamente,pessoas assim costumam ser falsas.
    pessoas bruscas normalmente são mais verdadeiras.
    Melhor resposta: as pessoas que se dão melhor na vida,são os ranzinzas, mal humorados e chatos.
    desconfie de quem é muito doce e conversa muito mansamente,pessoas assim costumam ser falsas.
    pessoas bruscas normalmente são mais verdadeiras.
    10 respostas · 20 horas atrás
  • Sera essa a verdade sobre 2018 ?

    Sera essa a verdade sobre 2018 ?

    Melhor resposta: Pobre de Direita/Coxinhas pedindo a Volta de Dilma

    https://www.youtube.com/watch?v=IbkMBr3Hs_I
    Melhor resposta: Pobre de Direita/Coxinhas pedindo a Volta de Dilma

    https://www.youtube.com/watch?v=IbkMBr3Hs_I
    35 respostas · 6 dias atrás